quarta-feira, setembro 23, 2020

    Tag: UPP

    blank

    MP denuncia oficiais da PM por invasão a imóveis na favela Nova Brasília

    Entre os denunciados está o comandante da Coordenadoria de Polícia Pacificadora Por ADRIANA CRUZ, do Justiça e Cidadania  Dois oficiais, entre eles o comandante da Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP), coronel André Luiz Belloni Gomes, foram denunciados pelos crimes de constrangimento ilegal e invasão de domicílio por entrar em imóveis na Favela Nova Brasília, no Complexo do Alemão, em fevereiro. Segundo denúncia Ministério Público que atua junto à Auditoria de Justiça Militar, a qual o blog teve acesso, Belloni tinha o dever de impedir que o major Leonardo Gomes Zuma, comandante da UPP Nova Brasília, usasse casas e até uma loja como ponto estratégico militar. À época, os militares alegaram que os locais estavam abandonados. Mas as investigações mostraram que, de fato, houve invasão em cinco locais, como consta no inquérito da 8ª Delegacia de Polícia Judiciária.  As penas variam de seis meses a dois anos de detenção. Em nota, a ...

    Leia mais
    blank

    Nova base de UPP no Alemão revolta moradores

    Moradores do Reservatório, no conjunto de favelas do Alemão, foram pegos de surpresa na tarde de hoje (1) com a mudança da base avançada da UPP. A antiga base avançada da UPP Nova Brasília, será instalada na antiga caixa d’água, ao lado da Associação dos moradores. Segundo denúncia dos moradores, os locais onde existem as bases avançadas da UPP são vitimas de tiroteios diários e de arbitrariedade da parte da PM. As atividades que aconteciam no espaço ocupado pelos militares serão interrompidas. “Existia capoeira, torneio de ping pong, alfabetização, varias atividades, e agora não vai ter mais porquê ocuparam nosso espaço. Absurdo…” disse revoltada uma moradora para o Voz das Comunidades Por Betinho Casas Novas, para oVoz das Comunidades No Brasil 247 Nova base da UPP Nova Brasília será instalada na comunidade do Reservatório Os militares levaram hoje alguns materiais da antiga base para a nova instalação. Moradores ficaram revoltados ...

    Leia mais
    upp

    A ressaca da UPP

    O próprio governo estadual admite a estagnação do programa por Chico Alves no Carta Capital Há 41 anos morador de Camarista Méier, na zona norte do Rio de Janeiro, André Luiz Bezerra encheu-se de esperança quando foi instalada na favela uma das 38 Unidades de Polícia Pacificadora. Sonhava com duplo benefício: mais segurança para o lugar por tanto tempo dominado pelo tráfico e a chegada de serviços básicos. Mais de um ano depois da implantação da UPP, resta a frustração. “Muitos pontos da comunidade continuam sem saneamento e água encanada”, lamenta. A paz, promessa inscrita no próprio título do programa do governo fluminense, também não foi restabelecida completamente. Em outras comunidades que receberam UPPs em seis anos, a realidade é a mesma: pequena melhora dos serviços públicos e ressurgimento do clima de medo. Aos poucos, a rotina volta a ser bem parecida com aquela do passado. Voltaram as trocas de tiros, os trechos controlados ...

    Leia mais
    Abordagem de Natal na UPP Chapéu Mangueira

    Abordagem de Natal na UPP Chapéu Mangueira

    Na segunda feira (22) a UPP Chapéu Mangueira/Babilônia realizou uma ação social em parceria com Hostel Lisentonga e a Happy Moto, baseada em experiência da polícia canadense. Os policiais abordaram os mototaxistas e motociclistas, mas ao invés de pedir documentos, ofereceram a eles um kit de manutenção para veículos contendo graxa branca, óleo para corrente, silicone, elástico, pneufix ou spray para capacete, chocolate, cartilha de segurança no trânsito Por UPP-RJ Abordagem de Natal UPP Chapéu Mangueira faz ação para presentear motociclistas da comunidade Na segunda feira (22/12) a UPP Chapéu Mangueira/Babilônia realizou uma ação social em parceria com Hostel Lisentonga e a Happy Moto. Os policiais abordaram os mototaxistas e motociclistas, mas ao invés de pedir documentos receberam um kit de manutenção para os veículos. De acordo com a tenente Paula Apulchro, comandante da UPP, os proprietários do Lisetonga viram uma ação parecida realizada na Polícia do Canadá e propôs fazer ...

    Leia mais
    blank

    Homem flagrado chutando mulher em conflito é comandante de UPP no Rio

    Imagens foram feitas durante tumulto no Morro da Formiga, na Tijuca. PM disse que estava desequilibrando mulher para prendê-la por desacato. O homem de camisa vermelha que aparece nas imagens de confronto ocorrido na noite de quarta-feira (1º), no Morro da Formiga, na Tijuca, na Zona Norte do Rio, foi identificado como o comandante Barrin, da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da comunidade. Como informou o RJTV, ele aparece chutando uma mulher no tumulto que se formou após uma manifestação. O comandante disse que estava desequilibrando a manifestante para prendê-la por desacato. Ainda segundo o comando da UPP, toda semana é feita uma blitz, que tem o objetivo de fiscalizar mototaxistas em situação irregular. Na ação de quarta-feira foram apreendidas oito carteiras de habilitação vencidas. Na noite de quarta-feira, policiais da UPP do Morro da Formiga faziam uma blitz para fiscalizar mototaxistas, quando moradores começaram a protestar contra a operação. ...

    Leia mais
    blank

    A PM, as UPPs e os Panteras Negras

    Sérgio Domingues   O Mapa da Violência 2014 mais uma vez confirma: os jovens pretos continuam a ser as maiores vítimas de mortes violentas no País. Em reportagem publicada pela Agência Brasil, em 03/07, Helena Martins destacou o depoimento de Julio Jacob Waiselfisz. Waiselfisz coordena a Área de Estudos da Violência da Faculdade Latino-Americana de Ciências. Segundo ele, entre 2002 e 2012, o número de homicídios de jovens brancos caiu 32,3% e o dos jovens negros aumentou 32,4%. É costume dizer que os números da violência no Brasil são semelhantes aos de países em guerra civil. Mas boa parte das baixas desse conflito interno é causada pela violência estatal. Principalmente, por ações policiais ilegais e movidas pelo ódio aos pobres e pretos. O Partido dos Panteras Negras surgiu nos anos 1960, nos Estados Unidos, como reação a algo parecido. Seus membros consideravam a polícia como uma força invasora dentro das ...

    Leia mais
    'Acreditei na pacificação, mas é de mentira', diz mãe de mototaxista morto no Alemão

    ‘Acreditei na pacificação, mas é de mentira’, diz mãe de mototaxista morto no Alemão

    Jefferson Puff "Quando a morte bate na porta da sua casa, você começa a ver as coisas de uma maneira muito diferente. No começo eu acreditei, quando se falava em UPP com objetivos sociais, colocando esportes, trazendo iniciativas para aproximar a comunidade, mas não foi isso que aconteceu. É uma pacificação de mentira. A gente não está na África nem em Israel, mas vivemos uma guerra também, e aqui no Alemão não se usa bala de borracha e não tem primeira abordagem. Aqui você morre logo." Denize Moraes da Silva, de 49 anos, nasceu e cresceu no Complexo do Alemão, na zona norte do Rio de Janeiro. A comerciante perdeu em 27 de maio o filho Caio Moraes da Silva, aos 20 anos, atingido por uma bala no peito quando tentava sair de um tumulto gerado por uma manifestação na favela em que trabalhava como mototaxista. A investigação ainda está ...

    Leia mais
    UPPs: uma estranha forma de mediar conflitos

    UPPs: uma estranha forma de mediar conflitos

    GABRIEL BAYARRI Polícia e Justiça tentam levar, às favelas “pacificadas”, técnicas de mediação. Naufragam por enxergarem comunidade como inferior e por visão ultra-hierárquica de mundo O Programa de Mediação em comunidades atendidas pelas Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) é uma iniciativa destinada a capacitar os policiais integrantes dessas unidades para exercerem, com o uso de ferramentas próprias à técnica da mediação, o papel de mediadores dos conflitos de proximidade nas denominadas favelas cariocas. A iniciativa faz parte de um acordo de cooperação, celebrado em 2011, entre o Tribunal da Justiça e a Secretaria de Estado de Segurança do Rio de Janeiro. O propósito dos centros de mediação de conflitos diminuir a “judicialização” das controvérsias entre próximos, e diminuir o abismo que ainda separa, da sociedade, o Direito e os tribunais. Nos processos de mediação, as partes implicadas são as responsáveis por alcançar um acordo. O serviço que as UPPs oferecem tem sido constituído, em sua origem, sob as técnicas ...

    Leia mais
    blank

    Pós-Copa, A UPP Tarda e a Ocupação do Exército Continua na Maré

    Três meses se passaram desde a ocupação das 16 favelas que compõem o Complexo da Maré. A ocupação do exército é a primeira etapa para estabelecer a Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) no complexo, e completar as 40 UPPs que o governo do estado prometeu até o fim de 2014. Enquanto referida como Força Pacificadora, as forças armadas que atualmente ocupam a Maré não devem ser confundidas com as UPPs implementadas em outras favelas. O projeto das UPPs inclui oficiais de polícia da Polícia Militar do Rio de Janeiro especialmente treinados, e todos os recrutados tem origem direta da academia de polícia. Apesar das limitações o programa tem como missão construir uma relação de confiança e paz, promovendo inclusão. O exército, por outro lado, segue sua lógica estritamente militar. Ocupação versus Pacificação Os primeiros rumores sobre a instalação da UPP chegaram na Maré em 2012, com anúncios na imprensa começando em março de 2013. Preocupados com as experiências ambíguas relatadas ...

    Leia mais
    amarildo

    Onde está Amarildo? por Eliane Brum

    O fato de o ajudante de pedreiro ser visto como “boi” pode ter ajudado a fazer do seu desaparecimento um protesto. Os conhecidos chamavam Amarildo de “boi”. Porque fazia a proeza de carregar dois sacos de cimento nas costas, apesar de magro e quase baixo, em seu pouco mais de 1,70 metro de altura. Porque era também quem carregava os doentes nas costas, tirando-os de dentro da favela e vencendo as escadarias da Rocinha. De todas as descrições de Amarildo, é a do boi a mais marcante, a infinitamente repetida. É como boi que o enxergavam. Boi, não touro. E esta, talvez, seja parte da tragédia. A que começou muito antes do derradeiro crime. Passei quase duas semanas sem acesso à internet, telefone ou qualquer notícia, numa viagem de trabalho. Não vi o Papa. Quando voltei, descobri que precisava saber onde estava Amarildo. Que, para muitos, o Papa não tinha ...

    Leia mais
    cap-priscilla

    Primeira mulher a comandar uma UPP é uma das dez a ganhar prêmio internacional nos EUA

    Ela é negra, corpo seco e musculoso, cabelos sempre presos num coque bem apertado e, de enfeites, apenas gloss e discretos brincos nas orelhas. Tem 1,65 metro e não deve pesar muito mais do que 60 quilos. Não fosse por uma certa dureza, logo notada, a major da Polícia Militar Pricilla, de 34 anos, poderia até ser descrita como uma mulher de aparência frágil. Engano. Depois de expulsar o tráfico do Morro Dona Marta, em Botafogo, como primeira comandante de uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) no Rio, ela ligou na terça-feira dos EUA, na hora do almoço, para contar ao secretário de Segurança, José Beltrame, outro feito. Meio sem jeito, disse que era uma das dez vencedoras do Prêmio Internacional Mulheres de Coragem 2012. - Você é uma guerreira! - explodiu Beltrame ao telefone. Não era para menos. Em 2008, ele colocara nas mãos de uma oficial da PM, ...

    Leia mais
    Luis Kawaguti / UOL

    Rio anuncia tropa permanente em mais duas favelas

    - Fonte: O Estado de São Paulo - Luis Kawaguti / UOL RIO - O secretário de Segurança Pública do Rio, José Mariano Beltrame, anunciou hoje que vai inaugurar no dia 10 de junho a Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) nos morros da Babilônia e Chapéu Mangueira, no Leme, na zona sul do Rio. A tropa de ocupação permanente contará com o efetivo de 100 homens e deve ser comandada por uma mulher. Beltrame anunciou que o governo estadual vai instalar rede sem fio para acesso gratuito dos moradores a Internet de banda larga. A construção de um plano inclinado, ligando os dois morros vizinhos ao asfalto, também está em estudo, como parte das obras nas favelas que o governo estadual pretende incluir no Plano de Aceleração do Crescimento (PAC). O projeto, estimado em R$ 63 milhões, prevê reforma de creches, calçamento de ruas, construção de ...

    Leia mais

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist