Nova base de UPP no Alemão revolta moradores

Moradores do Reservatório, no conjunto de favelas do Alemão, foram pegos de surpresa na tarde de hoje (1) com a mudança da base avançada da UPP. A antiga base avançada da UPP Nova Brasília, será instalada na antiga caixa d’água, ao lado da Associação dos moradores. Segundo denúncia dos moradores, os locais onde existem as bases avançadas da UPP são vitimas de tiroteios diários e de arbitrariedade da parte da PM. As atividades que aconteciam no espaço ocupado pelos militares serão interrompidas. “Existia capoeira, torneio de ping pong, alfabetização, varias atividades, e agora não vai ter mais porquê ocuparam nosso espaço. Absurdo…” disse revoltada uma moradora para o Voz das Comunidades

Por Betinho Casas Novas, para oVoz das Comunidades

No Brasil 247

Nova base da UPP Nova Brasília será instalada na comunidade do Reservatório

Os militares levaram hoje alguns materiais da antiga base para a nova instalação. Moradores ficaram revoltados com a ocupação do espaço

Moradores da comunidade do Reservatório se assustaram com a grande movimentação policial na região, na tarde desta segunda feira (01). Tudo isso por conta da troca de base, feita pelos agentes da Unidade de Policia Pacificadora, para o novo local. A antiga base avançada da Upp Nova Brasília, será instalada na antiga caixa D’água ao lado da Associação dos moradores. Os militares levaram armários, camas e colchões, documentos entre outros materiais que serão levados durante a semana para a nova base. Além do espaço, que funcionava diariamente inúmeras atividades esportivas e culturais, os militares ocuparam também os estacionamentos que os moradores usavam para estacionar seus veículos particulares. Os militares lavaram hoje todo o espaço e já montaram o alojamento entre outras instalações no local.

Solta a Voz Morador

Os moradores da comunidade, que terá ainda esta semana a base inaugurada, não curtiram essa nova mudança. Segundo denúncia dos moradores, os locais onde existem as bases avançadas, são vitimas diariamente de intensas trocas de tiros e de arbitrariedade da parte dos militares. Além de perderem as atividades que aconteciam no espaço que será ocupado pelos militares. “Existia capoeira, torneio de ping pong, alfabetização, varias atividades, e agora não vai ter mais porquê ocuparam nosso espaço. Absurdo…” conta revoltada uma moradora do local, que preferiu não se identificar com medo de represálias.

+ sobre o tema

Quem é mesmo a escrava?

A médica cubana Natasha Romero Sanches, que disse...

para lembrar

População negra entre o genocídio e o racismo

A  maioria da população brasileira é negra. A...

Justiça militar condena cidadãos no Rio sem direito de defesa

Estudo feito pelo DIA e ONG Justiça Global localizou...
spot_imgspot_img

SC tem alta de 51% nos casos de injúria racial e lidera denúncias do crime no país

Em Santa Catarina, seis pessoas procuraram a polícia por dia, em média, para denunciar casos de injúria racial em 2023. No ano passado, 2.280 pessoas sofreram ofensas...

O destino dos negros

A semana em que o Estatuto da Igualdade Racial (lei 12.288/2010) completou 14 anos foi repleta de notícias que atestam o quanto o Brasil está longe...

Roda de samba no Centro do Rio registra dupla imitando macacos em evento: ‘não será tolerado’

O PedeTeresa, roda de samba que acontece na Praça Tiradentes, no Centro do Rio, compartilhou um vídeo de uma dupla imitando macacos em um...
-+=