Guest Post »

Uylê das Pretas acontece neste sábado, às 16h, na Casa da Pólvora

Evento faz parte do 25J, mês da mulher negra, e contará com roda de diálogo, música, poesia, performance e feira preta

Do Brasil de Fato

Neste sábado (20) acontece mais um evento da programação do 25 de Julho: o Uylê das Pretas. Na sua segunda edição, o evento terá início às 14h, no complexo Casa da Pólvora, e tratá roda de diálogo, música, poesia, performance e feira preta. Segundo a organização, o Uylê das Pretas é uma ação político-cultural organizada pelos diferentes movimentos e  coletivos que pautam a questão de gênero, raça, classe e sexualidade, e que se juntam neste mês alusivo ao 25 de Julho para fomentar, estimular e produzir a visibilidade da arte e da cultura da mulher negra no estado. A atividade é uma produção da Coletiva Abayomi –  Mulheres Negras da Paraíba, Slam Parahyba e GMLB Maria Quitéria/Pb.

Com o tema: “Mulheres Negras pelo Bem Viver: Afrontando o Racismo por um Nordeste Livre,  o 25 de Julho – Dia Internacional das Mulheres Negras da América Latina e do Caribe – e Dia Nacional de Tereza de Benguela, é promovido pelo Movimento de Mulheres Negras na Paraíba, com a participação de várias organizações, gabinetes e movimentos sociais.

O evento terá abertura com uma Roda de Conversa com o tema: “Mulher Negra Interseccionalidade,  Questão de Gênero, Raça, Classe e Sexualidade”. Em seguida, vai haver a abertura da Feira Preta e início das atividades do palco, com uma Performance da atriz Fernanda Ferreira com o tema “Vidas Negras Importam”. Em seguida, começam os shows com a participação de vários grupos de cultura de rua e apresentações individuais, como o Slam das Minas/Pb; Slam Parahyba, Rafa Rasta MC, Batalha Freetyles, DjIsa Queirós, Dj AlY e espetáculos de dança, além do Mic Aberto.

Mariane Oliveira, do Slam Parahyba, fala sobre a importância do evento. “O Uyelê das Pretas é um convite para uma arte engajada. É  um encontro que se propõe a juntar aquilo que não deveria jamais ter sido separado: a Luta e sua Celebração. Festejar em dias difíceis é o que fazemos na cultura de rua. Através da arte, da fala, da Liberdade de expressão, esperamos transformar João Pessoa e o Nordeste em um lugar ainda mais colorido e diverso”, conclama a artista.

O evento tem como parcerias: a Prefeitura Municipal de João Pessoa, através da Casa da Pólvora e Fundação de Cultura – Funjope, o Governo do Estado, através da Secretaria  de Estado das Mulheres e da Diversidade Humana e Secretaria do Desenvolvimento Humano /Pb, e o Projeto Elas por Elas (PT).

Programação

14h Roda de Conversa – Mulher Negra e a questão de gênero, raça, classe e sexualidade

16h20 Abertura da Feira Preta

Abertura do Palco – Performance

Fernanda Ferreira “Vidas negras importam”

17h00 Mic Aberto

17h30 Slam Parahyba convida as Minas

19h00 Rafa Rasta Mc  e convidadas

20h00 Dj Iza Queiroz

Related posts