Guest Post »

Veja a repercussão da morte do ex-campeão Muhammad Ali

Ex-boxeador morreu nesta sexta-feira (3). ‘Ali chocou o mundo. E o mundo é melhor por causa disso’, disse Obama.

Do G1

A morte de Muhammad Ali nesta sexta-feira (3), um dos maiores boxeadores de todos os tempos, provocou reações entre pugilistas, ex-lutadores, personalidades e políticos.

A cidade de Louisville, no estado de Kentucky, nos Estados Unidos, onde Ali nasceu, homenageou o ex-campeão com bandeiras a meio mastro.

Mike Tyson lamentou a morte de Ali (Foto: Teddy Blackburn / Arquivo / Reuters)

Veja a repercussão da morte de Ali:

George Foreman, ex-pugilista
“Uma parte de mim escapuliu: A maior parte. ‘Se você tivesse 16 anos e queria copiar alguém, tinha que ser Ali’.”

Manny Pacquiao, boxeador
“Perdemos um gigante.”

Mike Tyson, ex-campeão dos pesados
“Deus veio para o seu campeão. Grande homem todo o tempo.”

Don King, promotor de boxe
“Um dia triste para a vida.”

Roy Jones Jr, ex-pugilista
“Meu coração está profundamente triste, mas aliviado que o maior está agora descansando no maior lugar. Que Deus abençoe a família e todos que são deixados para trás. Não haverá nunca outro como ele”.

Tiger Woods, jogador de golfe
“Vocês sempre será um dos maiores por mais do que apenas o que você fez no ringue. Um campeão para tantas pessoas de muitas formas.”

Barack Obama, presidente dos Estados Unidos
“Muhammad Ali foi O Maior. Ponto. Se você perguntasse a ele, ele teria dito isso a você. Ele diria que ele foi duplamente o maior, que ele seria ‘relâmpago algemado, um trovão jogado na cadeia’.

Mas o que fez O Campeão o maior – o que realmente o separava de todos os outros – é que todo mundo diria a você a mesma coisa. Como todo mundo no planeta, Michelle e eu lamentamos sua partida. Mas nós estamos também gratos a Deus pela sorte de o termos conhecido, mesmo que por algum momento; pela sorte de O Maior ter escolhido a nossa geração para agraciar.

Fora do Salão Oval, eu mantenho um par de luvas dele em um quadro, abaixo daquela fotografia icônica dele – o jovem campeão, apenas com 22 anos, urrando como um leão sobre um Sonny Liston caído. Eu era muito jovem quando ela foi tirada para entender quem ele era – ainda Cassius Clay, já um campeão da medalha de ouro das Olimpíadas, ainda para iniciar sua jornada espiritual que o levaria à fé muçulmana, o exilou no auge de seu poder e preparou o palco para seu retorno à grandeza com um nome tão familiar aos oprimidos dos bairros pobres do sudeste da Ásia e das vilas da África como se isso fosse animar o público do Madison Square Garden.

‘Eu sou a América’, declarou ele uma vez. ‘Eu sou a parte que você não reconhece. Mas acostume-se a mim – negro, confiante e convencido; meu nome, não o de vocês; minha religião, não a de vocês; meus objetivos, eu mesmo. Acostume-se a mim.’

Esse é o Ali que eu conheci quando fui ficando mais velho – não apenas como hábil poeta no microfone e um lutador no ringue, mas um homem que lutava pelo que era certo. Um homem que lutou pornôs. Ele se juntou a [Martin Luther] King e [Nelson] Mandela; ficou quando isso era difícil; falou quando outros não falariam. Sua luta fora do rinque lhe custaria seu título e seu posicionamento público. Isso lhe rendeu inimigos à esquerda e à direita, fez com que fosse insultado e quase o levou para a cadeia. Mas Ali se manteve firme. E sua vitória ajudou que nos acostumássemos à América que nós reconhecemos hoje.

Ele não era perfeito, claro. Por toda sua mágica no ringue, ele poderia ser descuidado com suas palavras e cheio de contradições à medida que sua fé evoluiu. Mas sua maravilha contagiante, ainda que, em última análise, um espírito inocente, deu a ele mais fãs do que inimigos – talvez porque nós esperávamos ver nele algo de nós mesmos. Mais tarde, à medido que sua potência física decaiu, ele se tornou uma força ainda mais poderosa para a paz e reconciliação no mundo. Nós vimos um homem que disse ser tão desprezível que faria um doente relevar um ponto fraco, visitando crianças com doenças e deficiências em todo mundo, dizendo a elas que também poderiam se tornam as maiores. Nós vimos um herói acender uma tocha e lutar sua maior luta de todas uma vez mais; uma luta contra a doença que devastou seu corpo, mas não poderia tirar o brilho de seus olhos.

Muhammad Ali chocou o mundo. E o mundo é melhor por causa disso. Nós somos melhores por isso. Michelle e eu enviamos nossas profundas condolências a suas famílias e nós rezamos para que o maior lutador de todos finalmente descanse em paz.”

Bernie Sanders, político norte-americano
“Muhammad Ali foi um dos maiores, não apenas um extraordinário atleta mas um homem de grande coragem e humanidade.”

David Cameron, primeiro-ministro britânico
“Muhammad Ali não era apenas um campeão no ringue. Era um campeão dos direitos civis e um modelo para tantas pessoas.”

Bill Clinton, ex-presidente dos Estados Unidos
“Hillary e eu estamos tristes com a partida de Muhammad Ali. Desde o dia em que reivindicou a medalha de ouro olímpica em 1960, os fãs de boxe em todo o mundo sabiam que estavam vendo uma mistura de beleza e graça, velocidade e força que talvez nunca fosse encontrada novamente. Nós assistimos ele crescer desde a impetuosa auto-confiança e sucesso da juventude até a maturidade cheia de religião e convicções políticas que o levaram a tomar duras decisões e ter de viver com as consequências. Ao longo do caminho, nós vimos sua coragem no ringue, inspirando a juventude, compaixão com aqueles em necessidade e força e bom humor ao carregar o fardo de seus próprios desafios de saúde.”

beatles-ali-g1

Paul McCartney, John Lennon, Ringo Star e George Harrison, integrantes dos Beatles, e Muhammad Ali. (Foto: Divulgação/Paul McCartney)

Paul McCartney, músico
“Querido, Muhammad Ali. Eu amei esse cara. Ele foi demais desde o primeiro dia em que nós o conhecemos em Miami, e nas inúmeras ocasiões quando eu estive ao seu lado ao longo dos anos. Além de ser um grande boxeador, ele era um belo e gentil homem com um grande senso de humor, que frequentemente poderia tirar cartas da manga, não importasse quão luxuosa a situação, e fazer um truque para você. O mundo perdeu um homem realmente grande. Com amor, Paul.”

Ringo Star, músico
“Deus o abençoe e amor para toda a sua família.”

Greg Stanton, prefeito de Phoenix
“Muhammad Ali foi um ícone do esporte, da filantropia, de espiritualidade e integridade pessoal. Tivemos o privilégio de ele fazer sua casa no Vale do Sol. Mesmo como sua saúde debilitada nunca parou de usar seu carisma sem limites e de humanidade para tornar a nossa comunidade e o mundo um lugar melhor. Era um verdadeiro campeão. Phoenix vai sentir falta dele.”

Aguinaldo Silva, novelista
“Muhammad Ali foi o último Deus do boxe. Depois dele vieram uns caras velozes e furiosos, mas sem nenhuma arte, e foi o fim do esporte.”

Ronaldo Caiado, senador
“Uma tristeza. Ali era simplesmente o maior do seu esporte, muitas lutas épicas que ficarão marcadas na história. Ao final de sua carreira, Ali fez de sua fama global um instrumento a favor da paz e dos mais necessitados.”

Sadiq Khan, Prefeito de Londres
“Muhammad Ali foi não só uma lenda do boxe, mas um campeão dos direitos civis e uma arrebatadora figura de nosso tempo.”

Narendra Modi, primeiro ministro da Índia
“Descanse Muhammad Ali. Você foi um exemplar homem do esportee fonte de inspiração que demonstrou o poder do espírito humano e determinação.”

Sergio Ramos, jogador espanhol de futebol
“Muhammad Ali foi mais do que um grande boxeador. Inspiração e exemplo para muitos em todo o mundo. Descanse em paz.”

Tom Morello, ex-guitarrista do Rage Against the Machine
“Descanse em paz, Ali, o campeão do povo. Useu seu talento sem tamanho, inteligência e carisma para lutar sem medo contra o poder.”

Liverpool, time de futebol
“O esporte perdeu um dos grandes de verdade. Descanse em paz, Muhammad Ali. Nossos pensamentos estão com sua família e amigos.”

Chelsea, time de futebol
“Descanse em paz, Muhammad Ali. Um dos mais talentosos e inspiradores atletas de todos os tempos #TheGreatest.”

Michael Moore, cineasta
“Ali, nós nunca iremos esquecer sua coragem, de enfrentar aqueles que estão no poder. Você abriu mão do seu título e da sua carreira para não matar vietnamitas. Descanse em paz.”

Lionel Richie, cantor
“Você sempre será meu herói.”

Bruno Mazzeo, ator e humorista
“Cassius Clay é um nome de escravo. Eu não o escolhi e não o quero. Eu sou Muhammad Ali.” #RIPMuhammadAli

Related posts