terça-feira, agosto 4, 2020

    Tag: Muhammad Ali

    (Foto: STANLEY WESTON/GETTY)

    Exames mostram que Muhammad Ali descende de escravo herói

    Quando Cassius Clay entrou para a Nação do Islã, em 1964, e mudou seu nome para Muhammad Ali, tinha uma explicação na ponta da língua. "Por que devo manter visível o nome herdado de um senhor branco de escravos e deixar na invisibilidade os nomes dos meus ancestrais?" Na época, isso era mais um conceito abstrato, uma declaração contra a opressão branca. Ali pouco sabia, se é que sabia algo, sobre seus ancestrais e sua árvore genealógica. Décadas depois, porém, sua família faz uma descoberta que parece lançar nova luz sobre a linhagem do pugilista - de onde ele vem e seu lugar na história americana. Segundo pesquisas da família, Ali é tataraneto de Archer Alexander, um escravo que lutou tanto por sua liberdade quanto contra a escravidão (dos EUA). Alexander fugiu do cativeiro e, na clandestinidade, forneceu informações para o Exército da União durante a Guerra Civil. Tornou-se mais tarde ...

    Leia mais
    blank

    Filho de Muhammad Ali é retido em aeroporto e escuta: ‘Você é muçulmano?’

    Muhammad Ali Jr., filho do ex-pugilista morto em junho de 2016, ficou retido por duas horas no aeroporto internacional de Fort Lauderdale-Hollywood e, segundo o site "TMZ Sports", pretende entrar com um processo contra o departamento de imigração norte-americano. Isso porque ele suspeita ter sido interrogado apenas por ser muçulmano. Da UOL Por meio de seu porta-voz, Chris Mancini, Ali Jr. relatou que voltava da Jamaica no último dia 7 com Khalilah Ali, sua mãe e primeira esposa do ex-pugilista, quando foi parado por agentes da imigração no aeroporto da Florida. Khalilah foi autorizada a passar, porém Ali Jr. foi chamado para questionamento e ficou retido por duas horas. Durante o interrogatório, Ali Jr. teria sido perguntado duas vezes se ele é muçulmano e onde ele tinha recebido seu nome. O filho do ex-pugilista tem 44 anos e possui passaporte norte-americano – afinal nasceu no país. Chris Mancini diz que ...

    Leia mais
    blank

    George Michael, Muhammad Ali, Dom Paulo: A resistência empobreceu em 2016

    Quantas vezes já não cantamos Freedom! em coro, no meio da balada, enquanto o DJ – percebendo que a pista sabia a letra de cor – desligava o som. Música que saía a plenos pulmões quando lembrávamos os significados que ela podia adotar. Definitivamente, o mundo perde um pouco a cor sem George Michael, que morreu neste domingo (25). Fonte: Blog do Sakamoto Pode ser coincidência apenas. Ou uma tentativa do nosso cérebro relacionar o ano de crises política, econômica e institucional, no Brasil, e de crise humanitária de refugiados, sandice nas Filipinas, Brexit, Donald Trump, no mundo, com a morte de uma série de pessoas que não eram apenas cultuados na música, nos esporte, nas artes, na religião, mas também referências para nossa resistência diária. George não desejava ser símbolo da luta pelos direitos dos homossexuais, mas também não queria a farsa de ser vendido como símbolo sexual hétero. Tornou-se, diante do preconceito da sociedade que ...

    Leia mais
    blank

    Obrigado, Muhammad Ali-Haj

    Professor Juarez Xavier homenageia Muhammad Ali, um dos maiores esportistas da história e símbolo de resistência e orgulho negro Texto: Juarez Xavier / Imagens: Reprodução, do Alma Preta O dia 1º de dezembro de 1955 é um ponto de inflexão na história da luta pelos direitos civis nos Estados Unidos da América. Nele, Rosa Louise McCauley (Parks), 42, com o corpo destroçado por uma exaustiva jornada de trabalho, disse não! Ela se recusou a dar lugar ao homem branco (como determinava a política de segregação racial no transporte público), e deflagrou o movimento que incendiou Montgomery, Alabama, que se estendeu para todo o país. A decisão da costureira provocou um boicote que se prolongou de 1º de dezembro de 1955 a 20 de dezembro de 1956. Ao final de quase um ano, a Suprema Corte dos Estados Unidos declarou inconstitucional a segregação no transporte público, na cidade e no estado. Rosa ...

    Leia mais
    blank

    14 mil pessoas homenagearam Muhammad Ali em funeral

    Milhares de pessoas de todas as raças e credos se reuniram nesta quinta-feira (9) para uma cerimônia fúnebre muçulmana em Louisville, cidade-natal de Muhammad Ali no Estado norte-americano de Kentucky, para prestar suas homenagens a um homem que lutou dentro dos ringues e buscou a paz fora deles. por  Steve Bittenbender no HuffPost Brasil O jenazah, que significa funeral em árabe, começou às 12h (13h no horário de Brasília) em um centro de convenções de Freedom Hall, o complexo onde o ex-campeão mundial dos pesos pesados derrotou Willi Besmanoff no dia 29 de novembro de 1961, sua última luta em Louisville. Cerca de 14 mil pessoas compareceram à cerimônia. Ali, conhecido por sua destreza como boxeador, seu carisma e seu ativismo político nos turbulentos anos 1960 e 1970, morreu na sexta-feira de uma infecção generalizada em um hospital do Estado do Arizona, aos 74 anos de idade. O imã Zaid Shakir, fundador da ...

    Leia mais
    Foto: STANLEY WESTON/GETTY

    Fica triste pela morte de Muhammad Ali, mas é racista no Brasil

    Precisamos de mais pessoas como Muhammad Ali. Por conta da morte de Ali, estamos sendo cobertos por comentários de pessoas que louvam o esportista e esquecem o ativista, como se as folhas de uma árvore existissem sem o seu tronco e os galhos. Feito o que aconteceu por ocasião da morte de Nelson Mandela, quando lembravam do conciliador e não do ativista que usava de todos os meios possíveis para resistir. É fascinante como há gente que ignora a complexidade da figura de Muhammad Ali e o que ele significou para seu tempo, falando do esporte e amenizando seu ativismo político. Pessoas que se tornam maiores que os esportes que os alçaram à fama, por travarem a boa luta pela dignidade de todo um povo. Por não aceitar que os Estados Unidos tratassem brancos e negros de forma desigual, optou pela desobediência civil. Negou-se a lutar no Vietnã, pagando um preço alto por isso ...

    Leia mais
    Foto: STANLEY WESTON/GETTY

    ‘Muhammad Ali, o braço negro contra o racismo’

    Em 1942, no dia 17 de janeiro, na cidade de Louisville, no estado de Kentucky, nascia o maior atleta de todos os tempos, Cassius Marcellus Clay Jr.. Detentor de marcas e conquistas históricas, Muhammad Ali, nome que assumiu depois de se converter ao islamismo em 1967, está para além de números e estatísticas. Descrever o mito do boxe ultrapassa seu cartel de 56 vitórias, sendo 37 por nocaute, e somente 5 derrotas. A vida de Ali não se limita aos seus três títulos de campeão do boxe, 1964, 1974 e 1978. Para o narciso negro, nas palavras de Jorge Ben, é pouco vencer o jovem Jorge Foreman em uma luta épica no Zaire e recuperar o título de campeão em 1974, aos 32 anos de idade. Ali é mais. E só é mais, porque é único. A lenda, vencedora de uma medalha olímpica aos 18 anos de idade em Roma, ...

    Leia mais
    blank

    Muhammad Ali: “Eu te digo como eu gostaria de ser lembrado”

    Em uma entrevista à Playboy americana, em 1975, o boxeador foi questionado sobre como ele gostaria que sua memória fosse lembrada. Reproduzimos sua resposta. fragmento do artigo Adeus a um Titã da UOL “Eu te digo como eu gostaria de ser lembrado: como um homem negro que ganhou um cinturão de peso-pesado e era bem-humorado e tratava todo mundo bem. Como um homem que nunca desprezou aqueles por quem foi desprezado e ajudou tantas pessoas do seu próprio povo quanto ele podia – financeiramente e também em sua luta por liberdade, justiça e igualdade. Como um homem que não machucaria a dignidade de seu povo fazendo algo que pudesse envergonhá-los. Um homem que tentou unir seu povo através de sua fé no Islã... E se isso é pedir muito, eu acho que me contentaria em ser lembrado apenas como um grande pugilista campeão que se tornou um pregador e um campeão ...

    Leia mais
    blank

    20 frases de Muhammad Ali que são verdadeiras lições de vida

    A filosofia do boxeador era tão admirada quanto sua trajetória no esporte por Óscar Téves no El Pais 1. “Cassius Clay é o nome de um escravo. Não foi escolhido por mim. Eu não o queria. Eu sou Muhammad Ali, um homem livre”. 2. “Somente um homem que sabe o que sente ao ser derrotado pode ir até o fundo de sua alma e tirar dali aquilo que lhe resta de energia para vencer um combate equilibrado”. 3. “Odiei cada minuto de treinamento, mas não parava de repetir a mim mesmo: ‘não desista, sofra agora para viver o resto de sua vida como campeão’”. 4. “Sei aonde vou e sei o que é a verdade. E não tem por que ser o que você quer que seja. Sou livre para ser aquilo que quero ser”. 5. “Impossível é apenas uma palavra usada pelos fracos que acham mais fácil viver no mundo que lhes foi determinado do ...

    Leia mais
    Muhammad Ali in action after first round knockout of Sonny Liston at St. Dominic's Arena, Lewiston, ME May 25, 1965. (Foto: Neil Leifer/Sports Illustrated/Getty Images)

    Muhammad Ali e a arte da paciência diante do inimigo. Por Kiko Nogueira

    O documentário “Quando Éramos Reis”, sobre a luta de Muhammad Ali com George Foresman no Congo, então Zaire, em 1974, entra fácil em qualquer lista dos filmes de esporte da história. Eu o vi em San Francisco no fim dos anos 90 e foi amor imediato pela fita e pelo personagem central. O confronto, batizado “Rumble in the Jungle” — um de uma série de apelidos fantásticos dados às disputas de título de Ali, como “Thrilla in Manilla” —, foi maior do que a vida, como tudo em se tratando do boxeador. Os promotores acharam que Ali estava se arriscando a morrer no ringue. Tinha 32 anos, sete a menos do que Foreman, então no auge, campeão olímpico, atropelando os oponentes com imensa facilidade. Ali havia perdido quatro anos da carreira ao se recusar a servir no Vietnã. Voltaria só em 1970, por decisão da Suprema Corte americana. Seus melhores anos de ...

    Leia mais
    Mike Tyson lamentou a morte de Ali (Foto: Teddy Blackburn / Arquivo / Reuters)

    Veja a repercussão da morte do ex-campeão Muhammad Ali

    A morte de Muhammad Ali nesta sexta-feira (3), um dos maiores boxeadores de todos os tempos, provocou reações entre pugilistas, ex-lutadores, personalidades e políticos. A cidade de Louisville, no estado de Kentucky, nos Estados Unidos, onde Ali nasceu, homenageou o ex-campeão com bandeiras a meio mastro. Veja a repercussão da morte de Ali: George Foreman, ex-pugilista “Uma parte de mim escapuliu: A maior parte. 'Se você tivesse 16 anos e queria copiar alguém, tinha que ser Ali'." Manny Pacquiao, boxeador “Perdemos um gigante." Mike Tyson, ex-campeão dos pesados “Deus veio para o seu campeão. Grande homem todo o tempo." Don King, promotor de boxe “Um dia triste para a vida.” Roy Jones Jr, ex-pugilista “Meu coração está profundamente triste, mas aliviado que o maior está agora descansando no maior lugar. Que Deus abençoe a família e todos que são deixados para trás. Não haverá nunca outro como ele”. Tiger Woods, ...

    Leia mais
    Ex-campeão mundial sofria de problemas respiratórios (Foto: REUTERS)

    Morre, aos 74 anos, o lendário boxeador Muhammad Ali

    Ex-campeão mundial dos pesos-pesados e um dos mais conhecidos esportistas do planeta estava hospitalizado na cidade de Phoenix, Estado do Arizona, nos Estados Unidos. Ele lutava contra uma doença respiratória - condição que havia sido complicada pela doença de Parkinson. O funeral ocorrerá na cidade natal de Ali, Louisville, no Kentucky. Batizado como Cassius Marcellus Clay, Ali ficou famoso ao ganhar a medalha de ouro no boxe na Olimpíada de Roma, em 1960. O americano venceu Sonny Liston em 1964 e ganhou seu primeiro título mundial. Ele foi o primeiro boxeador a ganhar o campeonato na categoria dos pesos-pesados em três ocasiões diferentes. Ele se aposentou em 1981 tendo vencido 56 de suas 61 lutas. Ele foi coroado como o "Esportista do Século" pela Sports Ilustrated e "Personalidade Esportiva do Século" pela BBC Além da fama pela habilidade dentro dos ringues, ele ficou conhecido por seu ativismo na área de ...

    Leia mais
    blank

    Como uma amizade com Muhammad Ali deu origem a algumas das melhores fotos de esportes do mundo

    Em 9 de setembro de 1966, a revista Life publicou um artigo sobre Cassius Marcellus Clay Jr., a estrela do box em ascensão que tinha recentemente adotado um codinome mais familiar aos devotos do esporte — Muhammad Ali. Por  Katherine Brooks Do Brasil Post Naquela época, Ali já tinha ganhado a medalha de ouro na Olimpíada de Verão em Roma e levado o título de peso-pesado de Sonny Liston, em 1964. Ele também se tornaria uma figura polêmica para os fãs, depois de se consagrar campeão. Questionado sobre sua ligação com líderes muçulmanos negros como Malcom X, e sua objeção de consciência ao serviço militar na Guerra do Vietnã, Ali tinha que lutar dentro e fora do ringue. “Aqueles ‘Vietcongs’ não estão me atacando”, Ali declarou, quando se recusou a servir o Exército, citando sua mais nova religião. “Tudo o que sei é que eles são considerados negros asiáticos, e ...

    Leia mais
    blank

    Por que Muhammad Ali é um dos maiores do século

    O lendário boxeador Muhammad Ali completa 73 anos neste sábado, 17. Comemoração dupla: além do aniversário, Ali acaba de receber alta do hospital. Foi sua segunda internação em um mês. Ele havia passado quatro semanas internado por suspeita de pneumonia - depois, foi diagnosticada uma grave infecção urinária. Por Tatiana de Mello Dias no Brasil Post  Agora está estável. Felizmente, saiu do hospital a tempo de passar o aniversário com a família. "Ele está em casa descansando", disse Bob Gunnell, seu porta-voz. Ali se aposentou em 1981. Em 1984, foi diagnosticado com doença de Parkinson. Passou os últimos anos envolvido em projetos sociais e missões humanitárias. Hoje faz pouca aparições públicas. O boxeador é uma das maiores lendas do boxe e símbolo na luta por direitos civis nos EUA. Saiba por que ele é uma das figuras mais emblemáticas do século 20: 1 Ele foi campeão mundial de peso-pesado com apenas 22 anos ...

    Leia mais
    blank

    Ícone do boxe, Muhammad Ali é internado com pneumonia

    O ex-boxeador norte-americano Muhammad Ali, de 72 anos, considerado um dos maiores atletas da modalidade de todos os tempos, foi internado com pneumonia neste sábado (20). Do: Jornal do Brasil  O ex-atleta, que já sofre de Mal de Parkinson, estaria com pneumonia "leve". No entanto, a família não quis dar mais detalhes nem informar o nome do hospital onde Ali está. O porta-voz de Ali, Bob Gunnell, citado pelos jornais norte-americanos, disse que sua internação deve ser "breve". "Ele foi internado pela manhã com uma leve pneumonia. Mas os prognósticos são bons", comentou. O ex-boxeador vive no Arizona, nos Estados Unidos. Em 2012, ele foi proclamado "Rei do Boxe" pelo Conselho Mundial do esporte. Leia mais Sobre Patrimônio Cultural

    Leia mais
    Cassius Clay - Muhammad Ali

    Cassius Clay – Muhammad Ali

    Foi o único boxeador que até hoje suportou 12 assaltos com o maxilar quebrado (luta com Ken Norton, em 1973). Converteu-se ao Islamismo (mudando de nome para Muhammad Ali-Haj) e lutou contra o racismo. Muhammad Ali-Haj Muhammad Ali-Haj, nascido Cassius Marcellus Clay Jr., (Louisville, 17 de janeiro de 1942) é para muitos o melhor pugilista de todos os tempos. É mundialmente conhecido não somente pela sua maneira de boxear, mas também pelas suas posições políticas. Ali foi eleito " O Esportista do Século" pela revista americana Sports Illustrated em 1999. Nascido no estado do Kentucky, tornou-se o melhor lutador de boxe do seu tempo e começou vencendo os Jogos Olímpicos de 1960. Conquistou o título de campeão dos pesos pesados ao derrotar Sonny Liston em 1964. Perdeu o título em 1967 e foi proibido de atuar por três anos e meio por ter se recusado a lutar ...

    Leia mais

    Últimas Postagens

    blank

    Artigos mais vistos (7dias)

    Instagram

    Twitter

    Facebook

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist