Vereadora denuncia abuso da polícia contra sociólogo alagoano

Carlos Martins teria sido algemado, e sua residência foi revirada, por um erro dos policiais

 

A vereadora Tereza Nelma vai propor, na terça feira, na Câmara de Maceió, uma moção de solidariedade ao sociólogo e dirigente do movimento negro de Alagoas, Carlos Martins, que, segundo denunciou, foi preso, algemado, atirado ao chão e teve sua residência revirada por tropas policiais, sem qualquer base legal.

Carlos Martins, que cursa mestrado na Ufal, foi homenageado recentemente pela Câmara de Maceió, recebendo a Comenda Zumbi dos Palmares. É um intelectual respeitado em Alagoas.

A polícia teria cercado sua residência com carros do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), Tático Integrado de Grupos de Repressão Especial (Tigre) e Policia Civil e ainda tinha cobertura de helicóptero. Os policiais encapuzados recusaram a se identificar ou a indicar o comandante da operação ou a mostrar qualquer mandado de busca e apreensão, algemando e humilhando Carlos Martins, conforme relata a denúncia.

Só após revirar toda a residência, apresentaram um mandado de busca e apreensão, verificando que estavam invadindo a residência errada, situada na Avenida Gilberto Soares, número oito, no conjunto Antares, e não a da rua Sérgio Luiz Santander, número oito, do mesmo conjunto, que constava no documento.

Mesmo assim, ainda levaram Carlos Martins à delegacia para prestar depoimento. “Combatemos a violência e a impunidade, mas não podemos concordar com ações policiais que violem a lei e agridam cidadãos inocentes”, enfatiza Tereza Nelma.

 

 

Fonte: Tribuna Hoje

+ sobre o tema

Poesia: Ela gritou Mu-lamb-boooo!

Eita pombagira que riscaseu ponto no chãoJoga o corpo...

Geledés participa do I Colóquio Iberoamericano sobre política e gestão educacional

O Colóquio constou da programação do XXXI Simpósio Brasileiro...

A mulher negra no mercado de trabalho

O universo do trabalho vem sofrendo significativas mudanças no...

para lembrar

A democracia, a surdez e por que (infelizmente) nossos motivos pra lutar ainda são os mesmos

Muitas coisas acontecem em dez anos, inclusive nada. Por EMICIDA, no...

Extermínio tolerado

Waldik Gabriel Chagas, 11 anos, tinha o olhar esperto...

Vidas negras ainda não importam

Na sua essência mais absoluta, o racismo é o...
spot_imgspot_img

Negros são maioria entre presos por tráfico de drogas em rondas policiais, diz Ipea

Nota do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) mostra que negros são mais alvos de prisões por tráfico de drogas em caso flagrantes feitos...

Um guia para entender o Holocausto e por que ele é lembrado em 27 de janeiro

O Holocausto foi um período da história na época da Segunda Guerra Mundial (1939-1945), quando milhões de judeus foram assassinados por serem quem eram. Os assassinatos foram...

Caso Marielle: mandante da morte de vereadora teria foro privilegiado; entenda

O acordo de delação premiada do ex-policial militar Ronnie Lessa, acusado de ser o autor dos disparos contra a vereadora Marielle Franco (PSOL), não ocorreu do dia...
-+=