Verga, não verga

Edson Lopes Cardoso
fonte: Jornal Irohin – Opinião
data: 24/04/2009

Foto: Fabiana Karine

 

Ou o uso da força (capangas), ou a fraude (confundir deliberadamente falta com licença médica). São estes recursos tradicionais do poder utilizados pelo presidente do STF, segundo intervenção do ministro Joaquim Barbosa, no bate-boca desta semana no plenário do Supremo.

Sem esquecer a utilização da mídia, de que o presidente do STF estaria também abusando. A oposição das locuções na rua/na mídia, levantada também pelo ministro Barbosa, sugere, entre outras coisas, que os meios de comunicação estão longe de expressar a opinião pública.

Não pode mais ser ocultado também, após essa rica sessão do STF, que o momento crítico vivido pelo ministro Joaquim Barbosa se manifesta sob a forma de intensas dores na coluna. Agora estamos falando, portanto, de idéias, de oposição a práticas consagradas no judiciário, e, ao mesmo tempo, estamos falando de pele, carne e osso, de intensa luta corporal.

Verga. Não vergo. Verga, sim. Não vergo, não. O ministro Barbosa não se verga, mas está quase entrevado. A dor intensa no corpo retesado, mal disfarçada na expressão indignada do ministro, parecia tirar qualquer sentido figurado à oposição verga/não verga.

O ministro Barbosa, aliás, já havia afirmado, em entrevista à Folha de S. Paulo meses atrás, que se enganavam no STF os que o supunham mais um “negro submisso”. Agora na discussão áspera com o ministro Gilmar Mendes, declarou que não era um de seus “capangas”, o que vem a dar no mesmo. Os cabras e capangas sempre foram pinçados, preferencialmente, na grande massa de não-brancos.

É chover no molhado dizer que a persistência de representações ideológicas que reafirmam a inferioridade do negro está também na base das tensões desencadeadas a partir da simples presença de Joaquim Barbosa no plenário do STF (“Crioulo já entra aqui?”).

As significações envolvidas nessa polarização Joaquim Barbosa versus os signatários da nota de solidariedade transcendem em muito o plenário do STF. E, portanto, nenhuma nota vai poder reverter o desmascaro do ministro Gilmar Mendes ( e com a presença da mídia, que ele preza tanto). A emergência do conflito neste lugar, com estes atores, é reveladora do que se vai deflagrando mais amplamente, por influência de mudanças no comportamento individual e coletivo.

A frase de Gilmar Mendes sobre Joaquim Barbosa “não ter moral para…” deve ecoar no plenário quando o ministro negro fizer a leitura de seu parecer que envolve a constitucionalidade das ações afirmativas. Uma sessão imperdível.

+ sobre o tema

Saiba quem são os deputados que propuseram o PL da Gravidez Infantil  

A Câmara dos Deputados aprovou, nesta quarta-feira (12), a...

Com PL do aborto, instituições temem mais casos de gravidez em meninas

Entre 1º de janeiro e 13 de maio deste...

‘Criança não é mãe’: manifestantes em todo o Brasil protestam contra PL da Gravidez Infantil

Diversas cidades do país receberam na noite desta quinta-feira...

para lembrar

Carmen Ferreira é absolvida e abre precedente para defesa de lideranças sem-teto

Por unanimidade, o Tribunal de Justiça de São Paulo...

Chamada de Projetos para Apoio aos Grupos de Base no Enfrentamento a COVID-19

Vivemos uma crise mundial sem precedentes. O Brasil que já...

Santo deus das bananas olhai por eles! por Cidinha da Silva

Olhai pelos tolos seguidores dos idiotas, senhor deus das...

A pátria é pária e antifeminista

O Conselho de Direitos Humanos da ONU (Organização das...

É sórdido condenar vítima de estupro por aborto

É sórdido e apequena a política o Projeto de Lei que ameaça condenar por homicídio meninas, jovens e mulheres que interromperem gestações, ainda que...

Geledés repudia decisão da Câmara sobre aborto

Geledés – Instituto da Mulher Negra vem a público manifestar sua indignação e repúdio à decisão da Câmara dos Deputados, aprovada nesta terça-feira, 12,...

Mulheres vão às ruas contra PL que equipara aborto a homicídio; confira locais dos atos

Mulheres vão às ruas de diversas partes do país em protesto contra o avanço, na Câmara dos Deputados, do projeto de lei que equipara...
-+=