Youtuber aos 93 anos, Nelson Sargento brinca sobre seu celular velho: ‘Só liga e recebe chamada’

Há um povoado de frases avulsas no cérebro de Nelson Sargento. Diariamente, dezenas de máximas pessoais brotam sob os parcos fios da careca negra. Os pensamentos sempre cortam o silêncio. “Se a vaidade soubesse quantos adeptos tem, talvez ela fosse vaidosa também”, divaga o sambista de 93 anos, com orgulho das tiradas instantâneas. Mesmo aquilo que ainda gera dúvida serve de inspiração para as reflexões.

no EXTRA por Gustavo Cunha

— A internet é a nova janela das fofoqueiras da cidade — sentencia ele, um zero à esquerda quando o assunto é rede social.

Nelson Sargento testa smartphone Foto: EXTRA / Gustavo Cunha

Facebook? Twitter? Instagram? WhatsApp? Nada disso faz muito sentido para o baluarte mangueirense, dono de um dinossáurico celular flip. “Meu telefone sem-vergonha só liga e recebe chamada. Às vezes, nem isso faz, porque enguiça. Quero um aparelho inteligente agora!”, protesta, bem-humorado.

“Só a natureza pode responder sobre a minha vitalidade”, diz Nelson Sargento Foto: Leo Martins / Agência O Globo

A tecnologia se faz necessária — e já foi prometida por uma fã. Há duas semanas, o carioca de riso fácil criou um canal no YouTube, onde publica vídeos em que entrevista colegas e dá detalhes curiosos sobre sua trajetória. O trabalho produzido em família, dentro de casa, é encarado com a animação de quem descobre um mundo de novidades.

— É um fato sensacional me ver no YouTube com quase 94 anos. Muita gente se surpreende. Acho bom mostrar coisas que os mais jovens não viram. Tenho muito a falar. Desculpe, não é vaidade. É verdade — ressalta, concluindo que deve gesticular mais à frente das câmeras, após assistir ao youtuber Whindersson Nunes.

Nelson Sargento, em desfile da Mangueira de 2018 Foto: Mauro Pimentel / AFP

As inovações não param. Passado o desfile de carnaval na Sapucaí, o presidente de honra da Mangueira cumprirá uma agenda robusta (veja abaixo). A palavra “descanso” não é motivo para rimas criativas. Ainda.

— Nada mais prejudica quem trabalha do que a presença daqueles que nada fazem. Legal essa frase, né? — diverte-se: — Enquanto os meninos que moram dentro da minha cabeça estiverem na ativa, continuarei fazendo algumas coisas. Honestamente, só a natureza pode responder sobre minha vitalidade. Mas estarei sempre bem! Tenho habeas corpus com São Pedro até o ano 3000. Quando o cara abre o caderno lá no céu, ele diz: “Esse daí não é para vir, não!”.

Criolo e Nelson Sargento, em show na Fundição Progresso, no Rio Foto: Luiz Franco / Divulgação

Novidades à vista: CD para crianças e turnê com Criolo

Há uma porção de letras e melodias inéditas no caderno que Nelson Sargento guarda na gaveta. Avô de 29 netos — “e bisnetos a perder de vista”, diz —, o bamba sonha produzir um disco com canções voltadas para crianças.

— Nesse tempo cruel, os mais novos são quem mais sofrem. Quero fazer música que possa servir de conselho e apoio aos pequenos — revela ele, que tem como principal parceiro musical Agenor de Oliveira (não confunda com o Cartola).

Além da incursão no mundo virtual — em março, ele passará a fazer vídeos-selfies em seu canal na web —, Sargento mantém os dedos ocupados com pincéis: artista plástico, o carioca tem pintado quadros e instrumentos sob encomenda.

Em agosto, a rotina ficará mais agitada. É que ele rodará o Estado do Rio numa turnê de shows em comemoração aos 90 anos da Mangueira, ao lado do rapper Criolo e da Orquestra Sinfônica Cesgranrio.

— Quero me aposentar financeiramente. Inteligentemente, não — pondera.

Nelson Sargento faz careta em foto Foto: Leo Martins / Agência O Globo

+ sobre o tema

Alemanha amplia indenização a sobreviventes do Holocausto

Em negociações com representantes judaicos, governo alemão...

Ngugi wa Thiong’o: “Eu quero competir com Cervantes”

O escritor queniano diz que, aos 81 anos, tem...

Feira Cultural Preta do Estado do Pará realiza sua primeira edição

Artesanato, estética, culinária, vestuário, produção cultural e produtos afro...

Plantio tradicional de quilombolas se torna patrimônio cultural do país

Saber valorizar nossa própria cultura e reconhecer o que...

para lembrar

Letícia Sabatella é agredida durante ato da direita em Curitiba

A atriz e cantora Leticia Sabatella foi agredida na...

Podcast Pessoas: Temporada Vidas Negras é destaque do mês no Museu da Pessoa

Nele, cada episódio apresenta a edição de uma entrevista...

Anderson Silva se inspira ao ver sua retrospectiva e posta no Twitter

"Espaço Octógono" especial sobre o Spider é assunto entre...
spot_imgspot_img

Festival Negritudes celebra a diversidade e a representatividade nas telas

A quarta edição do Festival Negritudes Globo aconteceu nesta quinta-feira (18), no Centro Histórico de Salvador. Foi a primeira vez que a cidade sediou...

Exposição e seminário em São Paulo celebram legado de Nelson Mandela

No dia 18 de julho é celebrado o Dia Internacional Nelson Mandela, data estabelecida pela Organização das Nações Unidas (ONU) em reconhecimento à contribuição...

Oito em cada dez quilombolas vivem com saneamento básico precário

De cada dez quilombolas no país, praticamente oito vivem em lares com saneamento básico precário ou ausente. São 1,048 milhão de pessoas que moram...
-+=