A farsa sobre a polícia não poder entrar nas favelas

Nos últimos dias, temos ouvido de forma recorrente o discurso de que a polícia do Rio de Janeiro não pode agir diante da violência na cidade porque foi impedida pelo Supremo Tribunal Federal (STF) de “entrar nas favelas”, a partir do acolhimento da Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental, a chamada ADPF 635. Essa é uma afirmação duplamente falsa! Alguns esclarecimentos sobre essa ação precisam, portanto, ser feitos.

A afirmativa é falsa, primeiro, porque identifica e reduz as favelas e seus moradores ao crime e, ao mesmo tempo, entende as ações policiais —que mataram, só no ano passado, pelo menos 1.814 pessoas— como necessárias e inevitáveis. Em segundo lugar, há clara intenção de desacreditar a determinação da Suprema Corte, fazendo um perigoso jogo de chantagem para colocar a população contra a decisão que julgou a ADPF 635.

O fato é que a decisão liminar do STF de suspender as operações policiais nas favelas durante o período da pandemia da covid-19 já surtiu efeitos: houve uma diminuição de mortes da ordem de 73% em junho deste ano em comparação com o mesmo período de 2019. Ao mesmo tempo, houve redução expressiva dos crimes contra o patrimônio (39%) e contra a vida (47%) em toda a Região Metropolitana do Estado. Esses dados são fundamentais, pois significa a preservação de vidas, principalmente de pessoas negras e pobres, as maiores vítimas da política atual de segurança do Governo do Estado do Rio de Janeiro, que, desde o início, apostou na violência e na eliminação de pessoas como forma de política de governo. É de Wilson Witzel —governador afastado— a frase “atirar na cabecinha”, vale lembrar.

Continue lendo aqui

+ sobre o tema

Com iniciativa Global Gateway, UE apoia o Brasil no combate às desigualdades no mundo

A presidência brasileira do G20 fez do combate à fome, à...

Kamala Harris diz que está ‘honrada’ com apoio de Biden e que pretende ‘merecer e ganhar’ candidatura democrata

A vice-presidente Kamala Harris disse em uma declaração neste domingo que...

Biden desiste de reeleição após pressão e anuncia apoio a Kamala Harris

Após pressão de democratas, o presidente dos Estados Unidos, Joe...

para lembrar

Bruno: da infância pobre ao conto de fadas que virou tragédia

Do Buracão ao Maracanã, a história do menino abandonado...

Djamila Ribeiro enfrenta Moro em debate em Londres: “Juiz não deveria ter partido”

Em evento na London School of Economics, no Reino Unido,...

Geração de empregos e combate ao crack estão entre prioridades de Lula até o fim do governo

Por: Luana Lourenço   O presidente Luiz Inácio Lula da Silva...

O ódio que cresceu 550% na América Latina

O ódio é proporcional ao feito de redução das...

Para cumprir os ODS, o Estado brasileiro precisa parar de matar pessoas negras

Em um período de dez anos (2012-2022), o Brasil registrou o assassinato de 445.442 pessoas negras. De acordo com o Atlas da Violência de...

Coalizão de entidades lança campanha por mais negros nos parlamentos

A Coalizão Negra por Direitos, que reúne mais de 200 entidades, dará início à campanha “Quilombo nos Parlamentos Eleições 2024”. O lançamento acontece na...

Kenarik Boujikian é nomeada para a Secretaria Nacional de Diálogos Sociais da Presidência

A desembargadora aposentada do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) Kenarik Boujikian foi nomeada nesta sexta-feira (21) para o comando da Secretaria Nacional de Diálogos Sociais e...
-+=