Afropop de Margareth Menezes abre Estação Nordeste nesta 6ª

A tradição afro brasileira afinada à linguagem pop com uma pegada forte de percussão é uma característica do trabalho da cantora e compositora baiana Margareth Menezes. Ela e a paraibana Regina Brown, com seu estilo “soul black brasil” serão as atrações da primeira noite do Estação Nordeste 2011. Os dois shows estão marcados para acontecer nesta sexta-feira (7), a partir das 21h, em palco armado na divisa das areias das praias de Tambaú e Cabo Branco, em frente ao Busto de Tamandaré. A realização é da Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope).

O show que Margareth Menezes vai fazer nesta sexta-feira terá o clima do último trabalho, o DVD “Naturalmente – Acústico”. O álbum contou com as participações de Carlinhos Brown (“Amor Ainda”, parceira inédita na composição), Luís Represas (“Um Caso a Mais”), Roberto Mendes (“A Beira e o Mar”, que deu título ao disco de Maria Bethânia em 1984), Marivaldo Stomp (“Côco do M”) e Saul Barbosa (em “Gracias a la Vida”, sucesso de Mercedes Sosa que ganhou agora um molho de salsa).

No repertório de sexta-feira estão músicas de compositores como Gilberto Gil (“Mulher de Coronel”), Arnaldo Antunes, Marisa Monte e Pepeu Gomes (“Gente”), Zeca Baleiro (“Febre”), Caetano Veloso (“O Quereres”), Alceu Valença e Marcelo D2 (junção de “FM Rebeldia” e “Qual é”). Margareth vai mostrar ainda canções próprias como “Quero te abraçar”.

Com 23 anos de carreira, Margareth Menezes soma 21 turnês internacionais por todos os continentes, além de 14 CDs/LPs e três DVDs. Fiel às raízes, ela mistura na música elementos africanos, brasileiros, indígenas e pop, em um movimento que denomina Afropop Brasileiro.

Regina Brown – A intérprete e compositora paraibana Regina Brown busca na diversidade rítmica as suas influências. Aos 8 anos de idade já era solista de coral de igreja. Com 17 anos, ingressou no coral da Universidade Federal da Paraíba (UFPB). A artista já ganhou prêmio de melhor intérprete da Paraíba, por dois anos consecutivos.

Um dos trabalhos mais conhecidos de Regina foi como integrante da banda paraibana “Absurdus”. No grupo, ela permaneceu por sete anos, apresentando-se em palcos do Norte, Nordeste e Sul do país. A artista já abriu shows de renomados astros da música brasileira como Rita Lee, Marisa Gata Mansa, Elba Ramalho, Flavio Venturini, Jair Rodrigues, Skank, Grupo 100% e Soweto.

No repertório, a musicalidade apresentada por Regina Brown é eclética, incluindo nomes como dos paraibanos Jackson do Pandeiro e Chico César. Atualmente, a cantora se divide entre o Brasil e a Europa para divulgar nos palcos seu trabalho.

Fonte: Paraiba.com.br

+ sobre o tema

Oscar adota critérios mínimos de inclusão em busca de premiação mais diversificada

Sete meses se passaram desde que um thriller sul-coreano ganhou...

Steve McQueen se inspira em Bob Marley para criar série sobre tensões raciais

"Não quero protestar. Ninguém quer protestar. Só queremos tratamento...

As colônias portuguesas: independência tardia

Um a um, todos os Estados africanos conquistaram a...

Após evangélicos, adeptos das religiões afro mostram cânticos em shopping

Nos últimos meses, frequentadores de vários shopping centers do...

para lembrar

Memória africana recordada em exposição

Por: António Bequengue   Manhã cinzenta de sábado. Uma chuva miúda...

Lima Barreto: Imagem e Linguagem

Imagem e Linguagem Sumário Introdução Capítulo I - O Escritor e seu...
spot_imgspot_img

iAMO lança seu programa de residência artística audiovisual durante Festival de Cannes

O Instituto Audiovisual Mulheres de Odun (iAMO), presidido pela cineasta Viviane Ferreira, anuncia na sexta-feira, 17 de maio, o lançamento do seu Programa de...

Carnaval 2025: nove das 12 escolas do Grupo Especial vão levar enredos afro para a Avenida

Em 2025, a Marquês de Sapucaí, com suas luzes e cores, será palco de um verdadeiro aquilombamento, termo que hoje define o movimento de...

Inéditos de Joel Rufino dos Santos trazem de volta a sua grandeza criativa

Quando faleceu, em 2015, Joel Rufino dos Santos deixou pelo menos dois romances inéditos, prontos para publicação. Historiador arguto e professor de grandes méritos, com...
-+=