quinta-feira, maio 28, 2020

    Tag: cantoras e compositoras

    Teresa Cristina

    Lives da cantora Teresa Cristina proporcionam samba, alegria e flertes virtuais

    A expressão “o samba cura’’ nunca fez tanto sentido quanto neste momento de isolamento social. Teresa Cristina é um exemplo disso. Durante a quarentena, a cantora tem realizado lives todas as noites no seu Instagram e proporcionado ao público momentos intimistas e calorosos. Calorosos mesmo! Além de um repertório diversificado, a sambista também tem possibilitado aos seus seguidores a chance de ganhar um dengo virtual. A brincadeira surgiu a partir de um trocadilho feito por um internauta, que enviou por mensagem: “Eu vou dormir com você hoje, com todo respeito”. Na mesma hora, Teresa respondeu: “Pode ser sem respeito também”. Foi o suficiente para atiçar os ânimos de quem assistia e transformar o momento em meme, que rendeu mais de 700 mil visualizações. Por Amanda Pinheiro, do Extra  Teresa Cristina Imagem retirada do site Extra — Foi muito engraçado e inesperado. Eu me emocionei, porque tinha terminado de ...

    Leia mais
    Imagem: mariadapparecida.eu

    Maria d’Apparecida cantora lírica brasileira ganha biografia

    A história de Maria d’Apparecida tinha tudo para se transformar em livro. Nascida em São Paulo e criada no Rio de Janeiro, dona de uma carreira internacional de dar inveja para os padrões da época, ela superou seus traumas, enfrentou o racismo e conquistou o exigente mundo da música lírica na Europa. por Adriana Brandão no RFI Imagem: mariadapparecida.eu Filha de uma empregada doméstica, fruto de uma relação com o filho da patroa, ela perdeu sua mãe ainda criança e foi criada por uma família que a educou nos melhores colégios do Rio de Janeiro, aprendendo piano e francês. A paixão pela música a levou ao conservatório carioca, mas o Brasil dos anos 1950 não estava pronto para acolher uma cantora lírica negra. “Ela não pode fazer carreira no Brasil e, como tinha ganho um prêmio na Itália, decidiu tentar carreira na Europa em 1959”, conta Mazé ...

    Leia mais
    Jessye Norman em cerimonia da The New York Foundation em abril de 2013 (Neilson Barnard/Getty Images)

    Morre estrela da ópera Jessye Norman, aos 74 anos

    Cantora lírica vencedora de quatro estatuetas no Grammy também era reconhecida por forte ativismo social Da Veja  Jessye Norman em cerimonia da The New York Foundation em abril de 2013 (Neilson Barnard/Getty Images) A soprano americana Jessye Norman, vencedora de quatro prêmios no Grammy Awards, morreu na manhã desta segunda-feira, aos 74 anos, na cidade de Nova York. A informação é de Gwendolyn Quinn, porta voz da família. De acordo com a declaração dada a agência Associated Press, a cantora lírica, que estava internada no Mount Sinai St Luke’s Hospital, foi vítima de um choque séptico e falência múltipla de órgãos decorrente de complicações de uma lesão na medula espinhal ocorrida em 2015. “Nós estamos orgulhosos das conquistas musicais de Jessye e da inspiração que ela foi para plateias por todo o mundo. Estamos igualmente orgulhosos de sua humanidade e seu ativismo em causas como a ...

    Leia mais
    Imagens do Vídeo

    Xênia França diz que Aparelha Luzia é espaço de visita obrigatória em São Paulo

    por Guilherme Soares Dias enviado para o Portal Geledés A cantora Xênia França indica que todas as pessoas que passam por São Paulo devem ir pelo menos uma vez ao centro cultural e quilombo urbano Aparelha Luzia. “São Paulo é uma cidade muito dura. Muitas vezes as pessoas ficam perdidas, procurando os negros da cidade. Em Salvador, é fácil de achar: os negros estão na rua, nos pontos turísticos como o Pelourinho, nos terreiros, no Ilê Aiyê.  Já São Paulo pode passar a ideia de que é destituída de negritude, de identidade negra. Mas, hoje, o Aparelha Luzia consegue aglutinar várias tribos, de diversas idades”, reforça a baiana radicada na capital paulista. Xênia lembra que os artistas negros que tocam na cidade acabam fazendo o after party no quilombo urbano criado pela ativista e deputada estadual Erica Malunguinho (PSOL/SP). “Tem muitos trabalhos que são apresentados, palestras. São atividades para agregar ...

    Leia mais
    Elza Soares será homenageada no próximo domingo | Foto: Gisele Endres/UFRGS

    UFRGS vai conceder título de Doutora Honoris Causa a Elza Soares

    “A entrega do reconhecimento a Elza Soares é um momento histórico também para a cultura brasileira, em razão de ser a primeira vez que uma artista mulher e negra, ligada à música popular, recebe a distinção", escreveu, em nota, a universidade no Sul 21 Elza Soares será homenageada no próximo domingo | Foto: Gisele Endres/UFRGS O Conselho Universitário da Universidade Federal do Rio Grandes do Sul (UFRGS) aprovou na última sexta-feira (17) a entrega do título de Doutora Honoris Causa à cantora Elza Soares, 81 anos, pelo conjunto de sua obra. A homenagem será concedida no Salão de Atos da universidade no próximo dia 26, às 20h, com entrada gratuita — os ingressos começaram a ser distribuídos nesta segunda-feira (20) na recepção do Centro Cultural da UFRGS, com limite de dois por pessoa. “A entrega do reconhecimento a Elza Soares é um momento histórico também para ...

    Leia mais
    blank

    “O que quero dizer a Lula é que ele foi o maior presidente do Brasil, queiram ou não seus opositores”, diz a deputada Leci Brandão

    Em 2010, a carioca Leci Brandão se filiou ao Partido Comunista do Brasil (PCdoB), para colocar em prática na política sua longa trajetória de dedicação à promoção de igualdade racial.  Naquele ano, foi eleita com mais de 85 mil votos como deputada estadual pelo estado de São Paulo e em 2014, reeleita. Leci Brandão foi a segunda deputada negra da história da Assembleia Legislativa de São Paulo.  Agora, aos 73 anos,  Leci volta à campanha para novamente tentar o cargo de deputada estadual por São Paulo e pelo mesmo partido, com ampla plataforma sobre as populações negra e indígena, as mulheres e os LGBTs. A defesa dos Direitos Humanos começou há mais de quatro décadas para Leci, através de sua música, como uma das grandes intérpretes do samba no país. Nessa entrevista à coluna Geledés no debate, Leci Brandão conta como são elaborados seus projetos de lei e a influência de ...

    Leia mais
    Foto: André Wanderlei

    “Não sofro com a discriminação racial, mas aproveito o espaço da mídia para denunciar, combater. E vejo isso como uma missão”, afirma a atriz Zezé Motta

    Aos 74 anos, a atriz e cantora Maria José Motta de Oliveira, mais conhecida como Zezé Motta, está a todo vapor, em plena gravação de dois novos filmes: “Intervenção”, de Rodrigo Pimentel, com direção de Caio Cobra, sobre a rotina dos policiais nas Unidades de Polícia Pacificadoras (UPPs) do Rio de Janeiro, e o longa “M8 - Quando a morte socorre a vida”, dirigido pelo cineasta Jeferson De e inspirado em livro de mesmo nome do escritor Salomão Polak. foto de André Wanderlei Zezé Motta não para. Em abril deste ano, lançou o CD “Missão”, em que solta a voz no samba. Com dezenas de filmes, novelas e peças, ao completar 50 anos de carreira no ano passado, a Xica da Silva de Cacá Diegues recebeu inúmeras homenagens. E as honrarias continuam. Neste mês, a atriz foi a escolhida para ser a homenageada do 1º. Festival ...

    Leia mais
    blank

    Elza Soares recebe pedido para não abordar política em show, e rebate: ‘O show é meu’

    Elza Soares acaba de lançar a turnê mundial de “A mulher do fim do mundo”, álbum aclamado pela crítica no Brasil. Mas, um pedido inesperado de um fã a fez se pronunciar na internet. O internauta sugeriu à cantora que evitasse falar de política nas apresentações. Eis que a veterana rebateu: Do Extra  “Acho que não ouviram o disco. Honey, o show é meu”, esclareceu a cantora, e completou. “Vou continuar falando do racismo, da homofobia, transfobia, da fome, da miséria, da falta de água…” Outros internautas tomaram partido e, nesta quinta-feira, a artista voltou a se pronunciar: Foi só um, entre muitos, comentários infelizes. Já passou. Nem doeu (em mim). https://t.co/OLkWM57Kde — Elza Soares (@ElzaSoares) 25 de maio de 2017 Elza Soares se apresentou em Nova York, nos Estados Unidos, na semana passada e lançou oficialmente sua turnê pela Europa, encerrando em terras estadunidenses. Em junho, a cantora se ...

    Leia mais
    blank

    As cores da minha alma: Nina Simone

    “Eu podia cantar para ajudar meu povo e isso se tornou o principal esteio da minha vida. Nem o piano clássico, nem a música clássica, nem mesmo a música popular, mas a música dos direitos civis.” – Nina Simone Do Revista Prosa Verso e Arte Nina Simone pianista clássica, estudou no conservatório de New York “Juilliard School”. Foi uma das primeiras negras a entrar na renomada Escola da Música de Juilliard, depois de ser rejeitada em outro conservatório na Filadélfia. Nina Simone (Eunice Kathleen Wayman) nasceu em Tryon, Carolina do Norte, EUA, em 21 de fevereiro em 1933, e morreu em Carry-le-Rouet, Provence-Alpes-Côte d’Azur, França em 21 de abril de 2003, aos 70 anos, enquanto dormia. ‘Liberdade’ por Nina Simone – trecho do documentário “Nina: a historical perspective”, de Peter Rodis (1970) “É um sentimento. Liberdade é apenas um sentimento. É como tentar explicar para alguém como é estar apaixonado. Como você vai explicar ...

    Leia mais
    blank

    Iza fala sobre representatividade da mulher negra na mídia durante entrevista

    A cantora Iza deu uma entrevista para o canal do YouTube “Todas Juntas”. O assunto é muito importante, a representatividade da mulher negra na mídia. Por  Caian Nunes, do Portal Popline  Durante o papo, ela fala sobre como a aceitação da própria imagem e os dilemas que enfrentou e enfrenta até os dias atuais, sendo uma mulher negra, a afetam na sua vida e trabalho. Ela também revelou sobre como se inspira em mulheres empoderadas no mundo da música – como Beyoncé. Assista: O “Todas Juntas” é um canal de Youtube que promove a união feminina para ajudar a quebrar padrões, estereótipos ou rótulos que limitam a mulher. Iza atualmente divulga seu single “Te Pegar”. Assista:

    Leia mais
    blank

    Liberdade para Clementina de Jesus, a Quelé

    Em A Voz da Cor, cantos de escravos da matriarca do samba mostram sua atualidade em 2017 por Pedro Alexandre Sanches, da Carta Capital  Uma coisa não parecia ter nada a ver com a outra. Menos de um ano depois da instalação do golpe civil-militar de 1964, surgiu tardiamente para o cenário artístico nacional, aos 63 anos, a sacerdotisa musical afro-brasileira Clementina de Jesus (1901-1987), apelido Quelé. O descobridor do vozeirão daquela mulher que fora doméstica a vida inteira era o jovem poeta, compositor e futuro produtor musical Hermínio Bello de Carvalho. Silenciosamente, ele usava o trovão vocal de Clementina para relativizar a onipotência elitizada da bossa nova. “Ela é a minha melhor obra, melhor que meus sambas e poemas”, afirma o hoje mestre Hermínio no livro recém-lançado A Voz da Cor - Biografia de Clementina de Jesus, escrito pelos jovens jornalistas Felipe Castro, Janaína Marquesini, Luana Costa e Raquel ...

    Leia mais
    blank

    10 cantoras negras para colocar na sua playlist

    Ei, você que sempre ouve as mesmas músicas e nunca prestou atenção em quem canta. Você já reparou se ouve mais mulheres ou homens? E se eles são negros ou negras? Nós não queremos impor regras, longe disso, mas você pode ter deixado de curtir algum som porque nunca ouviu falar de várias cantoras brasileiras e internacionais negras, e bem boas. Vamos te ajudar com isso! Se o seu problema são os gostos musicais, nós garantimos uma variedade, tem até Death Metal na lista! no Catraca Livre 01 - Mc Linn Da Quebrada “Bicha, trans, preta e periférica. Nem ator, nem atriz, atroz. Bailarinx, performer e terrorista de gênero”. Foi assim que Linn Da Quebrada definiu sua descrição nas redes sociais. A Mc e Funkeira veio do interior de São Paulo e vem ganhando a cena brasileira com o seu talento — e a desconstrução de gênero. Além das músicas ...

    Leia mais
    blank

    Salvador recebe Mostra Nacional de Negras Autoras dias 21 e 22 de janeiro

    Mais de 20 mulheres negras – artistas, compositoras, poetas – estarão reunidas durante dois dias, em Salvador, para a I Palavra Preta – Mostra Nacional de Negras Autoras, produzida pela cantora e compositora soteropolitana Luedji Luna e da poeta/cantautora brasiliense Tatiana Nascimento. A mostra acontecerá na Casa Preta, bairro do Dois de Julho e ingressos serão vendidos a R$5 no local (para cada dia), começando às 16h. Fonte: Sotero Preta A Mostra Palavra Preta tem como objetivo ser mais um espaço negro de confluência, compartilhamento e visibilização do protagonismo de artistas afrobrasileiras com ênfase na produção cultural poética, musical, performática e plástica. Na ocasião, comidas serão vendidas pelo projeto La Frida e terá também exposição da artista, Annie Gonzaga. “A primeira Palavra Preta traz pra Salvador a confluência do sonho de muitas que trouxeram, de longe e de antes, nossos passos até aqui: sendo donas da nossa voz, da nossa palavra, do nosso canto e ...

    Leia mais
    blank

    7 artistas feministas e não-brancas para você deixar Clarice Falcão em paz

    Caso não tenha ficado claro o suficiente, este texto começa com um apelo: ESQUEÇAM CLARICE FALCÃO. Fonte: Medium por, Iyara Vidal Clarice é feminista. Branca. Filha de um cineasta e uma escritora famosa. Mora num apartamento. Como feminista branca de apartamento, ela fala sobre o que entende: suas vivências brancas de apartamento em músicas brancas de apartamento para ouvintes brancos de apartamento. E não há problema nenhum em falar e cantar sobre suas vivências. Designar a um intérprete branco a atividade de falar com propriedade de algo que ele não conhece é cruel. Cruel com o público, que não receberá conteúdo sincero, cruel com o artista, que, mesmo empático, sabe que não pode lidar com esta missão, e cruel com todos os artistas negros e negras, que já fazem isso com louvor há tempos, mas não têm a devida projeção. Representatividade é necessária nos clipes, afinal mais da metade da ...

    Leia mais
    blank

    Iza fala de empoderamento feminino e representatividade da mulher negra

    'Se escutasse na TV alguém falando que cabelo crespo é lindo, talvez não alisasse o meu até os 20 anos', conta ela, sucesso na trilha de 'Rock Story'. Por Mateus Almeida, do Ego  Iza está na trilha sonora da novela das sete da Globo, 'Rocky Story' (Foto: Divulgação/Pedrita Junckes) Formada em Publicidade e Propaganda, Iza viu sua vida mudar ao carregar um vídeo seu na web cantando e tudo passou a fazer sentido. Acostumada a cantar e fazer coreografias para se apresentar nas festas de família, a cantora vê seu nome crescer ainda mais, desde que passou a fazer parte da trilha sonora da novela das sete da Globo, "Rock Story", com a música "Quem sabe sou eu". Iza largou a carreira de editora de vídeo para se dedicar a de cantora (Foto: Divulgação/Predita Junckes) "Vivo em uma época muito especial, a gente precisa aproveitar o potencial que a internet tem ...

    Leia mais
    LISBON, PORTUGAL - NOVEMBER 26: Elza Soares performs at the Lisbon Coliseum in Mexefest on November 26, 2016 in Lisbon, Portugal. (Photo by Pedro Gomes/Redferns)

    ‘A Mulher do Fim do Mundo’, de Elza Soares, é eleito um dos dez melhores discos do ano pelo NYT

    Continua a crescer o respeito internacional pelo disco A Mulher do Fim do Mundo, de Elza Soares, lançado pela Circus em outubro de 2015. Por Caio Delcolli Do Brasil Post Depois de vencer o Grammy Latino, a obra entrou para a lista dos dez melhores álbuns do ano de Jon Pareles, crítico-chefe de música pop do New York Times. O jornalista deu o primeiro lugar a Lemonade, de Beyoncé, e o segundo a Blackstar, de David Bowie. "Não é necessária uma tradução para reconhecer a ira e a coragem de A Mulher do Fim do Mundo", escreveu o crítico, chamando a cantora de "indomável". "Ela usa a voz rouca para arremessar canções sobre abuso e abusadores, pobreza e história, luxúria e violência." Veja a lista completa abaixo: Beyoncé – Lemonade; David Bowie – Blackstar; A Tribe Called Quest – We Got It From Here … Thank You 4 Your Service; Radiohead ...

    Leia mais
    blank

    Como uma funkeira “negra e gorda” virou símbolo de beleza e voz da favela

    Carolina tem 23 anos e aprendeu na escola, ainda criança, aquele que seria seu rito de sobrevivência no Morro do Preventório, comunidade no bairro de Charitas, em Niterói (RJ): bater para se defender. A vida toda ela ouviu piadas sobre seu peso, sua cor, suas origens. E sempre respondeu "na porrada". Por Renata Mendonça Do Uol "Sofri um pouquinho na escola. Mas nada de chorar, de ficar deprimida. Eu saía na porrada, apanhava e batia. Fui criada assim. Chegava em casa toda marcada e falava: 'Não, não aconteceu nada'", resume. Criada pelos avós, ela foi morar sozinha aos 14 anos, quando o avô morreu. Logo desistiu de brigar, e da própria escola, antes mesmo de iniciar o ensino médio. "Eu queria ser juíza, mas, quando meu avô morreu, percebi que era só sonho de criança. Que o pobre, o negro, para chegar até juiz é um mar sem barco." Os anos passaram ...

    Leia mais
    Divulgação / Graça Music

    Morre a cantora Carmen Silva, aos 71 anos, devido a uma parada cardíaca

    Uma notícia triste para o mundo da música. A cantora Carmen Silva, conhecida como Pérola Negra, morreu no início da manhã desta segunda-feira, 26, em São Paulo, aos 71 anos. Segundo o Hospital Presidente, ela estava internada na unidade desde o último dia 14, e a morte aconteceu em decorrência de uma parada cardíaca provocada por tromboembolia. Natural de Veríssimo, cidade do Triângulo Mineiro, Carmen Sebastiana de Jesus (nome de batismo) trabalhava na juventude como babá e empregada doméstica, mas tinha o sonho de ser cantora. Determinada com essa meta, ela passou a participar de programas de calouros. No fim da década de 60, em sua de suas tentativas, Carmen venceu o concurso "Um Cantor por um Milhão, um Milhão por uma Canção", na TV Record. Devido à visibilidade conquistada, foi convidada a gravar seu primeiro compacto, que a lançaria para o sucesso em todo o Brasil com a música ...

    Leia mais
    blank

    ‘A gente é mais feliz quando se aceita’, diz rapper Karol Conka

    Cheia de estilo e nova queridinha do mundo fashion, a cantora curitibana falou de preconceito e feminismo Por Anna Rombino "Sociedade em choque eu vim pra incomodar. Aqui o santo é forte, é melhor se acostumar". Nas letras de suas músicas, a rapper Karol Conka mostra a que veio - e que não está muito aí para a opinião alheia. Sem muitos limites e com verdade e carisma de sobra, ela vai passando sua mensagem de empoderamento feminino e contra o racismo. Talvez por isso, a curitibana seja a maior rapper brasileira da atualidade: ao lado da cantora mirim Mc Soffia, foi, por exemplo, um dos destaques da cerimônia de abertura da Olímpiada do Rio de Janeiro. E, cheia de estilo, virou ícone também do mundo fashion. Só nesta semana, se apresentou em dois eventos em São Paulo, o festival #EseEssaRuaFosseSua, organizado pela marca YouCom, que rolou no domingo, 28, e o ...

    Leia mais
    Página 1 de 15 1 2 15

    Últimas Postagens

    blank

    Artigos mais vistos (7dias)

    Instagram

    Twitter

    Facebook

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist