Início África e sua diáspora Patrimônio Cultural Amigos e admiradores de Ellen Oléria revelam verdadeira devoção na torcida

Amigos e admiradores de Ellen Oléria revelam verdadeira devoção na torcida

0
1272
Ellen Oleria

Quando ouviu Ellen Oléria cantar Maria Maria, João Gabriel Andrade chorou calado. O menino de 8 anos, fã incondicional da cantora, não sabe explicar o porquê. “Eu só chorei”, lembra. João é um entre milhares de fãs que se reunirão hoje, às 16h30, para ver a final do reality show The voice Brasil, da TV Globo, no qual Ellen é uma das finalistas, ao lado de Liah Soares, Ludmillah Anjos, Maria Christina, Ju Moraes, Thalita Pertuzatti, Késia e Danilo Dyba.

A popularidade da brasiliense criada no Chaparral é enorme. Formada em artes cênicas pela Universidade de Brasília, a cantora, compositora e instrumentista autodidata é uma das favoritas ao título. O prêmio só é dado àquele que for eleito pelo público. Se o critério é esse, Ellen pode mesmo se considerar uma das prediletas (leia quadro com a trajetória dela no programa). No Facebook, foram criados grupos para estimular o voto em massa para ela hoje. No Twitter, não foi diferente. Desde a estreia do programa, em 23 de setembro, até a última quinta-feira, Ellen foi citada mais de 1400 vezes na rede social, com maioria esmagadora de comentários positivos.

ellen oleriaFãs de Ellen Oléria na expectativa do resultado do The Voice Brasil

Amigos e fãs de Ellen torcem por ela com devoção. A vontade de vê-la campeã é tão grande que não foi difícil reunir essa turma toda para um grito de “Ellen campeã” para a foto do Correio. O pequeno João Gabriel contou que recentemente viu uma pessoa xingar Ellen de “feia, gorda e sapatona”. E não se segurou. “Disse a ele que é feio falar mal dos outros. Cada um segue a própria decisão”, ensina João, no alto dos seus 8 anos, que adora cantar e dançar Testando, música de autoria de Ellen Oléria. A irmã, Maria Gabrielli, 15 anos, a admira como pessoa. “É, além de tudo, uma batalhadora, dona de uma cabeça aberta e de uma mente livre”, classifica Gabrielli.

Cantora de rap, artesã e professora, Vera Verônika conheceu a candidata em 2007, durante a gravação do DVD Cartão postal bomba!, do rapper GOG. “Ellen é uma parcela do que Brasília tem a oferecer. Desde o primeiro dia, eu já sabia que ela ia chegar à final. Ela tem timbre, é musicista, uma artista completa. Além disso, é mulher, negra, lésbica. Essa parcela invisível passa a se encontrar no que ela canta”, complementa Vera. Grande amiga, a pedagoga Daniela Marques esteve presente nos estúdios da Globo em 11 de novembro para torcer por ela pessoalmente. “Vê-la toda vez é como se fosse uma estreia. Louco é quem não torce por ela”, vibra Daniela.

Emoção

O casal Nathália Lima e Bruno Leonardo conta que na loja onde trabalham (uma famosa megastore de discos e livros) toda vez que o CD da Ellen é colocado para tocar ou posto na prateleira em frente à loja, rapidamente se esgota. “O álbum dela vende muito bem. Já faz um tempo que a conheço e gosto muito do trabalho dela. Como cantora, me sinto representada”, explica Nathália. O namorado completa: “Vamos nos reunir para vê-la na final. O talento dela é superior ao dos outros candidatos. A interpretação dela de Zumbi, no primeiro programa, foi muito emocionante”, lembra Bruno.

Uma breve navegada nas redes sociais e já se vê mensagens escritas no Rio de Janeiro, em Salvador, São Paulo, Tocantins e em todos os cantos do país. O irmão de Ellen, Adailson Oléria, nota isso claramente quando sai às ruas ou entra na internet. “Já fui abordado várias vezes por pessoas que torcem por ela, até mesmo no hospital. Tem gente me adicionando no Facebook do Norte, do Nordeste, de vários lugares. Li esses dias um comentário dizendo que ela é o Neymar do The voice”, diverte-se Adailson, que reunirá amigos em casa, na QNA de Taguatinga, para ver a grande final. “Sempre vimos na sala, mas são tantos amigos que o local será pequeno. Não dá para aglomerar muito, temos que manter certo número que dê para a gente continuar votando com excelência”, reitera.

Outra grande apoiadora da vitória da brasiliense fora da cidade é Cidinha da Silva, dona do blog cidinhadasilva.blogspot.com e respeitada autora de livros e textos relacionados a questões raciais, de gênero, e ações afirmativas. Em textos publicados no blog, Cidinha analisa a presença de Ellen no programa e incentiva os leitores a votarem nela. Mineira, reunirá os amigos em casa, em São Paulo, e impôs uma condição: só entra quem votar no mínimo 21 vezes em Ellen. “Ouvi falar dela em 2007/2008. Minhas canções prediletas são Haiti e Janaína. Essa última é uma epifania iorubá”, explica Cidinha. A escritora diz ainda que Ellen é dona de uma presença cênica que inunda os ambientes. “A força do canto de Ellen, no meu sentir, é comparável à força da prosa de Paulina Chiziane e da poesia de Elisa Lucinda”, observa.

Fonte: Correio Braziliense

SEM COMENTÁRIOS

PortugueseEnglishSpanishGermanFrench