Ato contra retirada da placa de Marielle reúne milhares de pessoas na Cinelândia

Mil réplicas de placas de rua em homenagem à Marielle Franco foram distribuídas na Cinelândia neste domingo, em ato que é organizado todo dia 14, desde abril, pelo gabinete da ex-vereadora, assassinada no dia 14 de março deste ano. Milhares de pessoas estiveram presentes.

Aos gritos de “Ele não!” e “Fascistas não passarão!”, as placas foram rapidamente distribuídas e erguidas na praça. Os que chegaram a tempo de conseguir uma, receberam diversas orientações de segurança, como ir e voltar acompanhados, não ficar andando na rua com a placa à mostra e ir direto para a casa ou algum lugar seguro após o ato.

Manifestacao com entrega de 1000 placas de rua com o nome da vereadora Mariele na Cinelandia. (Marcio Mercante / Agencia O Dia)

A confecção das placas foi uma resposta ao episódio em que Rodrigo Amorim e Daniel Silveira, candidatos a deputados pelo PSL, destruíram a placa que homenageava Marielle e estava colocada na Praça Marechal Floriano, na Cinelândia, desde março.

Ao justificar a atitude, Amorim disse que a homenagem era uma “depredação do patrimônio público” e que “a placa era ilegal, imoral, ilegítima, arbitrária, contra a lei, que eles colocaram, ou mandaram colocar, passando por cima do patrimônio do Rio de Janeiro”. Rodrigo Amorim foi o deputado estadual mais votado do Rio. Daniel Silveira, candidato a deputado federal que posou ao lado dele com a placa destruída, também se elegeu.

“Em momento algum o patrimônio foi depredado, o que eu fiz foi uma intervenção artística”, explicou a autora da placa original, uma ativista que preferiu não ter o nome revelado por motivo de segurança. “Não é nem uma pichação, é uma coisa que você pode retirar a qualquer hora”.

Marcelo Feixo, segundo candidato a deputado federal mais votado no Estado, esteve presente no ato deste domingo e também rebateu a justificativa: “Não houve nenhuma depredação, houve uma homenagem pra fazer com que a memória da Marielle não fosse esquecida. Nada foi destruído. Era uma homenagem. Tentar destruir uma placa, rasgando uma placa, mostrando que se faz política com ódio, é o que a gente não precisa no Rio de Janeiro e nem no Brasil nesse momento”, afirmou o parlamentar. “Depredação da democracia é matar uma vereadora eleita, depredação da democracia é fazer política com ódio, depredação da democracia é não respeitar a memória de uma pessoa tão covardemente assassinada”, reforçou.

Wilson Witzel, candidato ao Governo do Rio mais votado no primeiro turno, esteve presente em outro ato – o que Rodrigo Amorim e Daniel Silveira exibiram a placa destruída, no início do mês. Por meio de nota, o ex-juiz federal reiterou “o que já declarou outras vezes, que lamenta a morte de qualquer ser humano em circunstâncias criminosas e que as investigações de homicídio devem ser conduzidas com rigor, e assim será feito caso seja eleito, dando respostas efetivas à sociedade”.

A ideia de confeccionar novas placas em homenagem à Marielle foi do Sensacionalista, site de humor com notícias fictícias. Pouco após a viralização da foto em que os parlamentares do PSL exibiam a placa destruída, no dia 4, o portal criou uma campanha de financiamento coletivo no Catarse. Em apenas vinte minutos, a meta – que originalmente confeccionaria 100 placas – foi batida. Foi aí que o Sensacionalista decidiu aumentar a meta para mil placas e doar o restante do dinheiro arrecadado para instituições que Marielle apoiava. A campanha ficou um dia no ar (a estimativa inicial era de uma semana), atingiu mais de 1500% e e arrecadou R$ 39.743, doados por 1.569 mil pessoas.

“Pra gente, foi muito surpreendente (a destruição da placa original), mas foi mais surpreendente ainda a solidariedade das pessoas e a vontade de dar uma resposta construtiva a isso”, afirmou Nelito Fernandes, um dos sócios do site.

+ sobre o tema

Vozes diversas e pretas para marcar o Julho das Pretas, escritoras negras do DF realizam encontro aberto ao público

Romancista. Contista. Poeta. Ensaísta. Cronista. Acadêmica. A produção literária...

Seppir cobra providências para crime contra Cláudia Silva Ferreira

Ministra encaminhou ofício ao Ministério da Justiça, pedido rigor...

ONG conclui primeira edição de programa de capacitação a jovens LGBTs+

Embaixadorxs capacitou em empreendedorismo social e liderança 26 jovens...

para lembrar

Avanços e desafios para as mulheres baianas nas eleições 2014

Passada a primeira fase do pleito eleitoral e com...

Kenia Maria: “Temos avanços quando ações racistas não ficam escondidas”

No dia 21 de setembro,  a carioca Kenia  Maria,...

Feminismo entra de vez na pauta por meio de artistas na internet

Conjunto amplo de movimentos e teorias, o feminismo tem...

O estranho caso do habeas corpus de Gilmar Mendes para Roger Abdelmassih

Algumas das mulheres estupradas pelo médico Roger Abdelmassih, preso...
spot_imgspot_img

Defender Maria da Penha é defender a vida das mulheres, os direitos humanos e a democracia

Maria da Penha está sendo ameaçada de morte. Foi necessário que a ministra das Mulheres, Cida Gonçalves, recorresse ao governador do Ceará, Elmano de Freitas,...

Naomi Campbell celebra 40 anos de carreira com exposição em Londres

Para celebrar os 40 anos de carreira, a supermodelo britânica Naomi Campbell, 53, ganhou uma exposição no Museu Victoria & Albert, em Londres, na Inglaterra. Intitulada “Naomi: In...

O pior conselho de carreira que Lupita Nyong’o recebeu após ganhar um Oscar

Após vencer o Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante pelo papel em 12 Anos de Escravidão (2013), Lupita Nyong'o recebeu diversos conselhos.  Uma década depois da vitória do prêmio, a atriz relembrou...
-+=