Autor de ‘Zamba Ben’, Marku Ribas foi incompreendido pela massa

 

Produtor do lendário Afrociberdelia, de Chico Science & Nação Zumbi, fundador do Funk Como Le Gusta e mais recentemente envolvido com seus trabalho solo Bambas & BiritasEduardo BiD foi parceiro musical e amigo de um dos maiores músicos e performers já surgidos no Brasil, Marku Ribas, que morreu aos 65 anos no último sábado.

“Ele levou com ele sim esse amargo sabor de não ter sido compreendido pela massa”, conta BiD, que lembra de Marku como um criador incansável. “Seu coração pulsava músicas o tempo todo.”

Leia entrevista exclusiva com o músico e produtor, que aponta discos inesquecíveis do autor deZamba Ben, de Underground (1972), sampleada por Marcelo D2 em A Maldição do Samba, e outros clássicos.

BiD também recorda de passagens curiosas do mineiro de Pirapora, notável por ser um artista completo, que também atuava, tocava percussão, dançava. Um legítimo performer, espécie em extinção na música não só brasileira, mas mundial.

Você tem coisas inéditas do Marku?

Tenho várias demos dele que nunca foram lançadas, e algumas canções que gravei de voz e violão quando estávamos preparando o show dele no Itaú Cultural que virou um DVD, com direção minha e dele. Tenho muitas imagens dos tempos do Bambas & Biritas vol.1 onde convivemos bastante e fortalecemos a amizade.

Como ele era no estúdio e no cotidiano?

Sempre vibrante, cheio de histórias, sempre com grande sorriso no rosto, postura e muito respeito. No cotidiano também, uma energia positiva, fazia musicas o tempo todo, cantava, batucava. Seu coração pulsava músicas o tempo todo. Era simples, comprimentava todos que via com um sorriso nos lábios. Cavalo das Alegrias, seu disco de 1979, descreve bem este compadre de Pirapora, Minas Gerais.

Lembra de alguma história engraçada dele?

Lembro de várias, mas não me esqueço há dez anos ele hospedado em casa e me ajudando a encher balões e na decoração da festa do meu filho Caio, de 2 anos. Ele e o Carlos Dafé juntos era divertido demais. Dois “tiozinhos” com almas de garoto.

Na sua opinião quais são os pontos altos na discografia dele?

Sem dúvida Underground (1972) virou clássico com as canções Zamba BenOrange Lady ePacutiquibe Iao, com arranjos do mestre Erlon Chaves. Outros grandes discos são Marku (1977), com destaques pra Samba Reguê e Zi Zambi e o belo Cavalo das Alegrias (1979) com destaque pra Berro D’Água, parceria com Erasmo Carlos. Não posso deixar de citar sua participação em Fora do Horário Comercial, nossa parceria com Arnaldo Antunes do Bambas & Biritas Vol.1, que já nasceu clássica.

A carreira do Marku foi meio acidentada e ele não foi devidamente reconhecido. Ele tinha alguma mágoa por não ser famoso e rico?

Marku foi sempre a frente de seu tempo. Foi o primeiro a aparecer com dreadlocks numa capa de disco no Brasil, no álbum Underground. Ele veio junto da grande safra de artistas como Caetano(Veloso), (GilbertoGil, (JorgeBenjor e outros, mas não teve a mesma sorte e a aceitação popular, talvez justamente por sua música ser mais elaborada, mais “underground” e por ser resistente a seus ideais não cedendo jamais aos pedidos e sugestões das gravadoras.

Marku tinha um domínio incrível do seu potente e afinado canto. Ele levou com ele sim esse amargo sabor de não ter sido compreendido pela massa, porém morreu dignamente, sendo considerado pelo meio musical como um gênio e ícone com sua rica e criativa música e seus ritmos do mundo. Não queria ser rico, queria sim era não ter problemas financeiros. Não deixou economias pra família, somente um legado de musicas e filmes exemplares que ficarão pra sempre.

Leia também

Cavalo das alegrias – Por Cidinha da Silva

Fonte: Virgula

+ sobre o tema

Produtores sergipanos elaboram Mostra de Cinema Negro

“É preciso quebrar as barreiras impostas pelo modelo de...

Alessandra Santos de Oliveira

Alessandra Santos de Oliveira (2 de Dezembro de 1973),...

Lima Barreto, um Intelectual Negro na Avenida Central

Autora: CELI SILVA GOMES DE FREITAS Filiação Institucional: UERJ   }Suas crônicas...

Alfabetização: memórias de um escritor leitor…

Entrevista - Alfabetização: memórias de um escritor leitor... {xtypo_quote}As...

para lembrar

HQ Angola Janga – Uma História de Palmares vai ganhar uma minissérie nos EUA

Graphic novel de Marcelo D’Salete será adaptada pela produtora...

John Legend é o 1º negro a conquistar os prêmios Emmy, Grammy, Oscar e Tony

Astro completou o EGOT neste domingo (9) ao ganhar...

Cultura: como Batuku e Cordel destacam a participação de mulheres e jovens

Cada país possui suas próprias expressões culturais. O cordel...

Anelis Assumpção: Meu feminismo está em mutação assim como o feminismo no mundo

A cantora e compositora Anelis Assumpção, que fala sobre...
spot_imgspot_img

Beyoncé revela ter psoríase e fala sobre sua relação com o cabelo ao lançar linha de cosméticos

Beyoncé revelou em uma entrevista ter psoríase no couro cabeludo. Ela falou sobre o assunto em uma entrevista à revista "Essence", publicada no site no...

Por que Bob Marley é um ícone dos direitos humanos

Ao se apresentar em junho de 1980 na cidade alemã de Colônia, Bob Marley já estava abatido pela doença. Ainda assim, seu carisma fascinou...

Saiba quem é o neto de Bob Marley que emplacou sucesso na Billboard; ouça a canção

YG Marley, nome artístico de Joshua Marley, neto do icônico cantor de reggae Bob Marley, estreou no Billboard Hot 100 com o single “Praise Jah...
-+=