Banco Africano para o Desenvolvimento Um em cada três africanos ascendeu à classe média

Um em cada três africanos ascendeu à classe média em África durante a última década e o crescimento económico dos países tem tendência a aumentar, indica um estudo hoje divulgado do Banco Africano para o Desenvolvimento.

Pelo menos 370 milhões de pessoas, 34 por cento de toda a população do continente africano, atingiram a classe média, indica o relatório do Banco Africano para o Desenvolvimento (BAD) divulgado hoje em Joanesburgo, África do Sul.
De acordo com o mesmo documento, a classe média emergente está a ajudar ao crescimento e desenvolvimento das economias dos países de África.
Em 2060, este grupo social pode vir a representar 42 por cento da população, segundo o estudo que começou a ser elaborado há 20 anos.
“Existe uma classe média estável e está em crescimento”, disse Mthuile Ncube, economista chefe e investigador do BAD e professor na Universidade de Oxford.
“Esta é uma grande plataforma para o investimento em África”, acrescentou Ncube na conferência de imprensa, em Joanesburgo.
O Fundo Monetário Internacional (FMI) prevê que o crescimento da economia africana, com base nos investimentos em recursos naturais e infraestruturas, vão atingir 5,1 por cento este ano, depois de um crescimento de 4,7 por cento registado em 2013.
O FMI prevê que o crescimento económico possa chegar aos 5,8 por cento em 2015.
O estudo do BAD que define a classe média como tendo um poder de compra até aos 15 euros por dia afirma que é “mais forte” nos países com um “setor privado mais robusto”.
O norte de África lidera o primeiro grupo de países em que, cerca de 77 por cento da população da região pertence à classe média e é “surpreendentemente” seguido pelos países da região centro africana com 36 por cento da população enquadrada na definição de classe média, apesar da vulnerabilidade da economia.
O sul do continente, onde se situa a maior economia em desenvolvimento — África do Sul — encontra-se em terceiro lugar, com 34 por cento da população pertencente à classe média, atingindo os mesmos valores dos países da África ocidental.
Os estados da costa do Índico estão no fim da tabela com apenas um quarto da população a atingir os níveis estabelecidos como classe média.
O consumo e a propriedade de bens como a televisão, automóvel ou frigorífico e o tipo de pavimento usado nas habitações também são parâmetros considerados para a definição de classe média de acordo com o estudo do BAD.
Outros parâmetros são o acesso à eletricidade, água potável e quartos de banho.
“A classe média africana aumentou e tem mais poder de compra tendo fortalecido a economia nas últimas duas décadas (1990-2010) ajudando, desta forma, a reduzir os níveis de pobreza”, refere o estudo com o título “A classe média emergente em África”.
Mesmo assim, a nova classe média ainda não consegue reunir poupanças para consumos futuros.
Tsitsi Musaike, investigador e ativista sul-africano sobre as áreas do desenvolvimento, disse que o chamado “síndroma da classe média” diz respeito a uma população que está sempre “falida” e que é preciso criar condições para uma cultura de poupança.

+ sobre o tema

“Mercedes” retrata o valor da primeira bailarina negra do Theatro Municipal !

A estética negra como poética cênica do Grupo EMÚ...

A luta de um homem negro pela liberdade entre Caribe, Brasil, África e Europa

Foi a culminação de uma saga: João José, um...

Barack Obama comemora 55 anos com artistas da black music

Barack Obama comemora 55 anos com Jay Z, Kendrick...

para lembrar

Reconocen avances afrodescendientes en Venezuela

Por Jesús Chucho García Recientemente la República Bolivariana...

Organizaciones afro presentan su agenda ante Comité de la Unesco

RUBÉN DARÍO ÁLVAREZ P., EL UNIVERSAL CARTAGENA DE INDIAS...

10 frases inspiradoras de jovens líderes africanos

Em 2010, o presidente dos EUA Barack Obama inaugurou...

General do Brasil é convidado para comandar missão de paz no Congo

Santos Cruz, de 60 anos, foi comandante da missão...
spot_imgspot_img

Cientistas revelam mistério por trás dos antiquíssimos baobás, as árvores da vida

Cientistas afirmam ter resolvido o mistério em torno da origem dos antigos baobás. De acordo com análises de DNA, as árvores teriam surgido pela primeira...

iAMO lança seu programa de residência artística audiovisual durante Festival de Cannes

O Instituto Audiovisual Mulheres de Odun (iAMO), presidido pela cineasta Viviane Ferreira, anuncia na sexta-feira, 17 de maio, o lançamento do seu Programa de...

Spcine marca presença no Festival de Cinema de Cannes 2024 com ações especiais

A Spcine participa Marché du Film, evento de mercado do Festival de Cinema de Cannes  2024 e um dos mais renomados e influentes da...
-+=