Barroso: Direito ao aborto é fundamental e independe do legislador e da maioria

Em linha com a fala da ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Carmen Lúcia, o ministro do STF Luís Roberto Barroso deu um tom progressista a temas polêmicos, como a descriminalização do aborto, durante I Congresso Internacional de Direito e Gênero, promovido pelo FGV, no Rio. Ele defendeu que a questão do aborto deve ser tratado no âmbito judiciário e não no legislativo.

No ISTOÉ

 

Ministro Luis Roberto Barroso durante o julgamento sobre os pedidos de impugnação da candidatura de Lula à Presidência (Crédito: TSE)

 

“Estão em jogo direitos fundamentais da mulher e do feto. Resta fazer uma ponderação de qual deve prevalecer. Esse é um papel típico do judiciário. A característica dos direitos fundamentais é que independem de legislador e da aprovação da maioria. A autonomia individual da mulher é um direito fundamental em jogo”, afirmou o ministro.

A opinião do ministro é que uma mulher não pode ser obrigada a manter uma gravidez indesejada. “A mulher não é um útero a serviço da sociedade. Se os homens engravidassem, esse problema já teria sido resolvido. O ponto é que a criminalização se tornou uma má política”, acrescentou.

+ sobre o tema

Não cabemos em um vagão

Comprar a ideia do vagão separado é partir do...

Grafiteiras, sim! Um papo com Nina Pandolfo e Criola

Conversamos com duas das artistas mais lembradas do país...

Paternidade honesta, participativa e feminista

Em uma cultura voltada para o consumo e que...

Luxúria para quem?

Em artigo, Cidinha da Silva analisa novo clipe do...

para lembrar

Programa ‘Mais Médicos’ zera a mortalidade infantil em municípios do Piauí

Os médicos cubanos Olívia Rodriguez Gonzalez e Omar Diaz,...

Fiocruz abre inscrições para 600 vagas em curso gratuito de especialização a distância

As inscrições foram prorrogadas e podem ser realizadas até...

Sônia Correa: Em nome do “maternalismo”, toda invasão de privacidade é permitida

Cresce entre feministas históricas e grupos que atuam em...
spot_imgspot_img

Seminário promove debate sobre questões estruturais da população de rua em São Paulo, como moradia, trabalho e saúde

A Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), a Comissão de Defesa dos Direitos Humanos D. Paulo Evaristo Arns – Comissão Arns...

O atraso do atraso

A semana apenas começava, quando a boa-nova vinda do outro lado do Atlântico se espalhou. A França, em votação maiúscula no Parlamento (780 votos em...

França se torna primeiro país do mundo a proteger aborto na Constituição

A França se tornou nesta segunda-feira (4) o primeiro país do mundo a incluir na Constituição a liberdade da mulher de abortar. A mudança na Carta Magna...
-+=