BeLaSound: Emicida e Ed Motta se apresentam em festival de música brasileira em Berlim

No primeiro festival Berlin Latin Sound (BeLaSound), o Brasil tem presença forte com um repertório que vai do rap ao brega, passando por pop, rock e soul e desfila nomes consagrados, como Ed Motta, e menos conhecidos do grande público, como Odara Sol, que vive na capital alemã desde 2007. 

Nesta sexta-feira (14/06), o festival começa com a apresentação de Ed Motta, que mostra clássicos e músicas de seu novo disco, AOR. Outro destaque é a paulistana Odara Sol, que descobriu sua paixão pelo canto ainda menina, assistindo a uma apresentação da cantora norte-americana Whitney Houston na televisão. Em São Paulo, ela começou a cantar e compor, passando por diversos estilos como o rock, mas sempre voltando para o hip hop e a música urbana que embalava a periferia da cidade onde vivia.

Com suas influências que vão do soul à música brasileira, passando por experimentações contemporâneas e em busca de novas experiências, ela trocou São Paulo por Berlim em 2007. Desde então, ela já se apresentou ao lado de conhecidos nomes da música alemã, como o rapper Samy Deluxe e Miss Platnum. No festival, Sol se apresenta ao lado de Johnny Strange, da banda berlinense de reggae e hip hop Culcha Candela, e deve mostrar algumas músicas de seu trabalho solo.

Em Berlim, o DJ e produtor carioca Marcelinho da Lua apresenta um set que mistura música brasileira com batidas eletrônicas. Depois de passar anos trabalhando como técnico de estúdio, Marcelinho ganhou destaque com a banda Bossacucanova. Desde os anos 1990, ele atua como DJ e foi um dos pioneiros na mistura do Drum and Bass com MPB. Seus dois discos como produtor, Tranquilo (2004) e Social (2007), contam com participações de grandes nomes da música brasileira como Seu Jorge, Martinho da Vila, Ed Lincoln e BNegão.

Rapper Emicida mescla samba a novo repertório

O rapper Emicida volta a Berlim no sábado (15/06). O show no BeLaSound faz parte parte da turnê europeia, que passa ainda por Heidelberg e Frankfurt, na Alemanha, e Zurique, na Suíça. Emicida chegou a Berlim animado depois de três apresentações em Portugal, incluindo a abertura do show do rapper norte-americano Mos Def. “Foi legal não ter a barreira da língua. Tocamos em Braga e quase não tinha brasileiros na platéia, mas as pessoas conheciam as músicas. Tivemos uma ótima recepção”, disse o rapper, em conversa com a DW Brasil.

“Quando estamos no palco com uma apresentação tão impactante quanto a nossa, não medimos se o público está curtindo quando estão todos com as mãos para cima. Em Portugal, o pessoal ficava prestando atenção nas músicas e quando elas acabavam, o público explodia. Eles entendem a parada”, disse Emicida. 

Em Portugal, ele pôde conhecer pessoalmente alguns dos rappers locais e entrar em um contato mais direto com o hip hop feito na África. “Fui muito reconhecido na rua pelos africanos. Eles falaram que eu tenho que descer urgente lá para Angola. Foi uma grande surpresa. É legal fazer uma análise de como o mesmo idioma se desenvolve em diferentes culturas. Isso me ajuda muito a crescer musicalmente.”

Emicida apresenta músicas do primeiro disco oficial, já gravado e ainda sem nome, que deve ser lançado até o final do ano. A primeira amostra do novo trabalho, o vídeo da música Crisântemo, traz um Emicida sóbrio, fazendo uma mistura de samba e rap. “A música é um flerte com o samba de São Paulo. Eu me divirto e amo viver lá, mas não tem como fugir que São Paulo é a cidade cinza e tem esse lado sombrio. Essa foi a música mais tensa que eu fiz, mas o disco traz uma grande variedade. A escolha foi para mostrar que o disco vai ser realmente algo diferente”, explicou.

Mais sobre o BeLaSound:

Ataque racista obriga festival BeLaSound a mudar de local

Além de novas músicas, Emicida se apresenta com uma banda completa: percussão, violão, cavaco, guitarra e baixo. “Conseguimos imprimir um swing que eu sentia falta. Geralmente show de rap tende para o rock ou o jazz, eu queria que o meu entortasse para o samba. Me sinto mais à vontade cantando nessa cadência. A textura se mantém e o swing corre. O show está mais espontâneo e livre. Isso facilita a comunicação com a platéia”, afirmou o paulistano.

Os artistas brasileiros dividem o palco do festival com os franceses Nouvelle Vague, os percussionistas do Les Tambours du Bronx e Louis Bertignac, conhecido como o Keith Richards (guitarrista dos Rolling Stones) francês. Alex Cuba, duas vezes vencedor do Grammy, mostra sua mistura de jazz latino e pop ao lado de uma das principais bandas de salsa da atualidade, os colombianos do Monsieur Periné. O festival BeLaSound acontece no YAAM (mistura de bar e clube de praia), em Berlim, de 14 a 16 de junho.

 

Curtindo EMICIDA

Fonte: UOL

+ sobre o tema

É difícil não se emocionar com este vídeo dos bastidores de ‘A Rainha de Katwe’

Já falamos aqui no HuffPost Brasil que estamos ansiosos...

Naomi Campbell é alvo de protesto em camisa por receber diamantes de ditador

A modelo britânica Naomi Campbell virou alvo de protesto...

Mostra Competitiva de Cinema Negro Adélia Sampaio abre inscrições

Filmes dirigidos por mulheres negras poderão ser inscritos até...

para lembrar

Charley Pride, pioneiro negro da música country, morre de Covid-19 aos 86 anos

Charley Pride, pioneiro músico negro de country music dos...

Surto de violência deixa dez mortos na Jamaica

Por Horace Helps KINGSTON (Reuters) - Homens armados...

CNMP irá julgar recurso contra fechamento de terreiro em Santa Luzia/MG

O Conselho Nacional do Ministério Público – CNMP irá...

MD Chefe ganha prêmio de artista revelação internacional no BET Awards

O rapper carioca MD Chefe ganhou o prêmio de...
spot_imgspot_img

Spcine marca presença no Festival de Cinema de Cannes 2024 com ações especiais

A Spcine participa Marché du Film, evento de mercado do Festival de Cinema de Cannes  2024 e um dos mais renomados e influentes da...

Inéditos de Joel Rufino dos Santos trazem de volta a sua grandeza criativa

Quando faleceu, em 2015, Joel Rufino dos Santos deixou pelo menos dois romances inéditos, prontos para publicação. Historiador arguto e professor de grandes méritos, com...

Álbum de Lauryn Hill é considerado melhor da história em lista da Apple Music; veja ranking

Uma lista publicada pela Apple Music elegeu os 100 melhores álbuns de todos os tempos. Em primeiro lugar, a escolha foi para 'The Miseducation...
-+=