Berlin e Paris: Manifestações são organizadas na Europa em apoio aos protestos no Brasil

Brasileiros que vivem no exterior e estrangeiros que ficaram indignados com a  ação violenta da polícia farão três manifestações na Europa

Duas manifestações em apoio aos protestos realizados no Brasil, contra o aumento da passagem de ônibus, estão sendo organizadas por meio do Facebook em Paris e Berlim. Os dois eventos estão sendo organizados por brasileiros que vivem no exterior e por estrangeiros que ficaram indignados com a  ação violenta da polícia para conter os manifestantes brasileiros.

Na Alemanha, a passeata será realizada no próximo domingo (16), às 18h de Brasília (13h do horário local). De acordo com a página criada no Facebook para convocar os manifestantes, eles irão tomar as ruas para apoiar os protestos que vem acontecendo no Brasil e porque “o povo de São Paulo, Rio e em algumas outras grandes cidades do Brasil tomou as ruas para lutar por uma melhor qualidade de vida e igualdade no país”, mas foi “massacrado pela polícia com gás lacrimogêneo, balas de borracha e cavalaria, durante a manifestação pacífica”.

 

Matérias relacionadas

 

Já na França, o protesto deverá ser realizado no dia 28 de junho, às 22h de Brasília (17h horário local). Na página do Facebook criada para organizar a manifestação, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, foi criticado porque “parabenizou a polícia por disciplinar os manifestantes” e o prefeito Fernando Haddad porque “se recusa a dialogar”.

“Mesmo que tenhamos um oceano de distância, nós, brasileiros no exterior, queremos demonstrar nossa recusa em aceitar a violência militar contra os protestos democráticos no Brasil. Contra a repressão policial, contra a barbárie dos governantes”, postaram os organizadores do evento.

Em Dublin, na Irlanda, “cartazes, bandeiras e instrumentos musicais” serão levados às ruas também no próximo domingo, a partir das 15h de Brasília (13h horário local), de acordo com a página do evento.

Segundo uma das líderes do Movimento Passe Livre (que organizou os protestos em São Paulo), Luiza Mandetta, “pelo menos 105 feridos durante o confronto, 50 na Paulista e 55 na Consolação”. Durante o quarto dia de protesto, na última quinta-feira (13), polícia deteve 242 pessoas e ao menos 16 profissionais da imprensa que trabalhavam na cobertura das manifestações ficaram feridos.

 


Classe média experimenta o terror que a PM paulista toca na periferia – por Luiz Carlos Azenha

Vídeo mostra policial quebrando o vidro do próprio carro da polícia em SP

Prender manifestantes por formação de quadrilha é AI-5 contra a luta social

Fonte: R7

+ sobre o tema

Fantasma da escravidão mantém negros como cidadãos de segunda classe

Às vezes, entre um trabalho e outro, consigo encarar...

Luciana Gimenez: “Está rolando uma bagunça aqui na senzala, é?” todos riem…

A apresentadora divulgou um vídeo no qual chamava sua...

para lembrar

Em busca de fuzis, polícia do Rio mata até sem apreender arma

Daniel, 17, estava escondido atrás de um carro na...

Parem de nos matar – por Maria Clara Machado

Em crônica publicada em janeiro de 1915, intitulada “Não...

Band é condenada por exibir reportagem que viola direitos humanos

Ao zombar de entrevistado Mirella Cunha "superou qualquer limite...
spot_imgspot_img

Uma pessoa negra foi morta a cada 12 minutos ao longo de 11 anos no Brasil

Uma pessoa negra foi vítima de homicídio a cada 12 minutos no Brasil, do início de janeiro de 2012 até o fim de 2022....

Como as mexicanas descriminalizaram o aborto

Em junho de 2004, María, uma jovem surda-muda de 19 anos, foi estuprada pelo tio em Oaxaca, no México, e engravidou. Ela decidiu interromper...

Como o diabo gosta

Um retrocesso civilizatório, uma violência contra as mulheres e uma demonstração explícita do perigo que é misturar política com fundamentalismo religioso. O projeto de lei...
-+=