Rede Nossa São Paulo: Não à repressão e à violência! Mais transparência sobre os preços das passagens dos transportes!

Desde o dia 6 de junho a cidade de São Paulo tem presenciado manifestações contra o reajuste da tarifa dos transportes. Embora cenas de violência tenham ocorrido em atos anteriores, as registradas no evento desta quinta-feira (13/6) evidenciaram o despreparo e a truculência da Polícia Militar. 

As cenas e os relatos das agressões e prisões de manifestantes e jornalistas deixaram claro que, em diversos momentos, a justificativa de coibir abusos e atos de vandalismo serviu de pretexto para uma repressão violenta e desproporcional. A PM extrapolou. 
 
Em virtude destes lamentáveis fatos, a secretaria executiva da Rede Nossa São Paulo – organização que estimula a participação cidadã, a cultura de paz e o debate democrático – vem a público repudiar o uso da violência e defender o diálogo como forma de encontrar saídas para os problemas da cidade, o que inclui o preço da passagem dos transportes.
 
Neste sentido, defendemos total transparência no processo de formação dos preços do transporte, com a divulgação das planilhas de todos os custos e dos lucros das empresas que atuam no setor. A sociedade tem o direito de saber tais informações, principalmente levando-se em conta que a Prefeitura está realizando neste momento um novo processo de licitação dos serviços de ônibus.
 
Outro ponto importante e que tem impacto na qualidade de vida e na saúde de todos os paulistanos é o tipo de transporte que a cidade pretende incentivar nos próximos anos. Para isto, é fundamental que, juntamente com o debate da revisão do Plano Diretor, seja iniciado o processo de elaboração de um Plano de Mobilidade e Transportes Sustentáveis. Parte da sociedade já compreendeu, por exemplo, a necessidade de priorizar o transporte público no sistema viário e de ampliar a frota de ônibus movida por energias não poluentes.

Tudo o que precisamos é de diálogo e de compromissos com políticas que promovam justiça social e melhor qualidade de vida na cidade, e não do despreparo de autoridades que insistem em recorrer à repressão para ocultarem a própria incompetência histórica em oferecer um transporte público acessível e de boa qualidade à população. 

 

 

Secretaria Executiva da Rede Nossa São Paulo  

+ sobre o tema

Pedagogia de afirmação indígena: percorrendo o território Mura

O território Mura que percorro com a pedagogia da...

Aluna ganha prêmio ao investigar racismo na história dos dicionários

Os dicionários nem sempre são ferramentas imparciais e isentas,...

Peres Jepchirchir quebra recorde mundial de maratona

A queniana Peres Jepchirchir quebrou, neste domingo, o recorde...

Apenas 22% do público-alvo se vacinou contra a gripe

Dados do Ministério da Saúde mostram que apenas 22%...

para lembrar

A democracia, a surdez e por que (infelizmente) nossos motivos pra lutar ainda são os mesmos

Muitas coisas acontecem em dez anos, inclusive nada. Por EMICIDA, no...

Extermínio tolerado

Waldik Gabriel Chagas, 11 anos, tinha o olhar esperto...

Vidas negras ainda não importam

Na sua essência mais absoluta, o racismo é o...
spot_imgspot_img

Negros são maioria entre presos por tráfico de drogas em rondas policiais, diz Ipea

Nota do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) mostra que negros são mais alvos de prisões por tráfico de drogas em caso flagrantes feitos...

Um guia para entender o Holocausto e por que ele é lembrado em 27 de janeiro

O Holocausto foi um período da história na época da Segunda Guerra Mundial (1939-1945), quando milhões de judeus foram assassinados por serem quem eram. Os assassinatos foram...

Caso Marielle: mandante da morte de vereadora teria foro privilegiado; entenda

O acordo de delação premiada do ex-policial militar Ronnie Lessa, acusado de ser o autor dos disparos contra a vereadora Marielle Franco (PSOL), não ocorreu do dia...
-+=