Cantor cubano Francisco Fellove morre aos 89 anos

 

O cantor de origem cubana Francisco Fellove, contemporâneo de artistas como Celia Cruz, Omara Portuondo e Tito Puente, morreu na última sexta-feira (15), em um hospital da Cidade do México aos 89 anos, informou nesta terça-feira (19) a imprensa local.

Francisco Fellove, que nasceu em Havana em 7 de outubro de 1923, compôs aos 17 anos “Mango, Mangué”, que se transformou em um dos grandes sucessos da música cubana, interpretado por figuras como Miguelito Valdés, Celia Cruz e Johnny Pacheco.

Em dezembro de 1955, chegou ao México procedente de Cuba em um navio italiano graças ao seu amigo e compositor José Antonio Méndez, que trabalhava neste país e o apresentou ao diretor artístico Mariano Rivera Conde.

Com o empurrão de Rivera Conde, que o batizou de “El Gran Fellove”, o cantor começou a gravar e a fazer apresentações em programas de televisão e em casas de espetáculo do México.

O cantor atuou em Nova York e em Los Angeles ao lado das orquestras de Tito Puente, Tito Rodríguez e Machito, mas também levou sua música a países latino-americanos como Argentina, Colômbia, Panamá e Venezuela.

Em 1999, o artista naturalizado mexicano gravou um disco com o trompetista cubano Alfredo “Chocolate” Armenteros e o pianista e compositor Osmany Paredes, e três anos depois gravou uma versão da canção “Walking on the Moon”, do músico britânico Sting.

 

 

Fonte: Vermelho 

+ sobre o tema

Museu Whitney recorre a acervo para contar história do ativismo nos EUA

Instituição em Nova York exibe obras sobre protestos raciais,...

Marcha da Negritude Catarinense: Por democracia, nenhum direito a menos

Negros e negras marcharão em Santa Catarina por Felipe Cardoso dos...

Vem aí! IZA anuncia o lançamento do segundo álbum de sua carreira

Avisa que a Imperatriz do pop está chegando com...

Camila Pitanga: ‘O que faz as pessoas não se ouvirem e não respeitarem diferenças?’

A atriz fala sobre racismo no “horário nobre”, as...

para lembrar

Hoje na História, 1972: É absolvida militante negra Angela Davis

Angela Yvonne Davis, militante negra, antiga professora de filosofia...

Cantor Péricles desabafa sobre preconceito e diz gostar de ser gordo

A revista Sexy desse mês traz uma entrevista com...

Dia Nacional da Consciência Negra

Por: Edson França *   O Dia Nacional...

Lázaro Ramos recebe vacina contra covid-19 e comemora: ‘Me sinto abençoado’

Lázaro Ramos é o mais novo integrante do time...
spot_imgspot_img

Tony Tornado relembra a genialidade (e o gênio difícil) do amigo Tim Maia, homenageado pelo Prêmio da Música Brasileira

Na ausência do homenageado Tim Maia (1942-1998), ninguém melhor para representá-lo na festa do Prêmio da Música Brasileira — cuja edição 2024 acontece nesta quarta-feira (12),...

Nota de pesar: Flávio Jorge

Acabamos de receber a triste notícia do falecimento do nosso amigo e companheiro de militância Flávio Jorge, o Flavinho, uma das mais importantes lideranças...

Segundo documentário sobre Luiz Melodia disseca com precisão o coração indomado, rebelde e livre do artista

Resenha de documentário musical da 16ª edição do festival In-Edit Brasil Título: Luiz Melodia – No coração do Brasil Direção: Alessandra Dorgan Roteiro: Alessandra Dorgan, Patricia Palumbo e Joaquim Castro (com colaboração de Raul Perez) a partir...
-+=