terça-feira, outubro 26, 2021
InícioQuestões de GêneroMulher NegraCarla Akotirene lança “Ó Pa Í, Prezada” nessa terça em Salvador

Carla Akotirene lança “Ó Pa Í, Prezada” nessa terça em Salvador

Lançamento acontece em Salvador no dia 17 de março

Enviado para o Portal Geledés

blank
Capa do livro “Ó Pa Í, Prezada – Racismo e sexismo tomando bonde nas penitenciárias femininas”, de Carla Akotirene. (Divulgação/Pólen Livros)

A Pólen Livros e o Selo Sueli Carneiro, coordenado por Djamila Ribeiro, lançam em Salvador no dia 17 de março o livro “Ó Pa Í, Prezada – Racismo e sexismo tomando bonde nas penitenciárias femininas”, de Carla Akotirene. O lançamento acontece na Casa Respeita as Mina e está de acordo com as normas sanitárias impostas pelo Município em face da epidemia de Coronavírus.

O livro é resultado da dissertação de mestrado da autora, apresentado ao Programa de Pós-Graduação em Estudos de Gênero, Mulheres e Feminismos da Universidade Federal da Bahia, e levanta uma discussão interseccional da situação prisional de mulheres no Brasil, a partir de uma pesquisa de campo realizada no Conjunto Penal Feminino do estado da Bahia. Trata-se da segunda obra publicada de Carla Akotirene, que no ano passado lançou Interseccionalidade, o quarto título da Coleção Feminismos Plurais.

Metodologicamente, a obra se insere na busca de pesquisadores negros por uma nova epistemologia que contemple as populações que sempre foram excluídas – não só do sistema econômico e social como um todo, mas também da pesquisa acadêmica e da geração de conhecimento baseada em premissas ocidentais e elitistas. Nesse sentido, a pesquisadora opta por uma abordagem em que sua figura de mulher negra e feminista é parte integrante da epistemologia proposta. Além de apresentar dados e analisá-los conforme a metodologia adotada, a autora também revela seus sentimentos e emoções diante da realidade de mulheres absolutamente afins à sua própria trajetória. Em vez de se colocar hierarquicamente distante, pesquisadora e sujeito da pesquisa são claramente relacionadas.

Prefaciada por Denise Carrascosa, professora de literatura da Universidade Federal da Bahia, escritora e coordenadora, há 9 anos, do projeto de extensão que ministra oficinas de escrita literária no Conjunto Penal Feminino do estado da Bahia, para efeito de remição de pena e emancipação política-subjetiva de mulheres presas, a obra aborda o ambiente prisional enquanto espaço de intersecções identitárias.

“A coerente articulação entre o sistema de justiça racista-sexista-elitista e seus aparatos de aprisionamento, o que inclui a nossa legislação antidrogas (leia-se: antinegra), audiências de custódia, autos de flagrante e que tais, dão a exata dimensão da tecnologia capitalizável de exploração de certas (des)humanidades que constituem o alvo do sistema prisional”, escreve Carrascosa no prefácio.

Em face do Coronavírus, o prefeito da capital ACM Neto determinou a interdição de qualquer evento com mais de 500 pessoas na cidade, número muito além do previsto para o lançamento nessa terça feira.

O livro já está disponível para venda nas principais livrarias do país e também pelo site www.polenlivros.com.br

Serviço:

Ó Pa Í, Prezada – Racismo e sexismo tomando bonde nas penitenciárias femininas

Autor(a): Carla Akotirene
ISBN13: 9786550940034
Edição: 1ª Edição
Número de Páginas: 256
Acabamento: Brochura
Formato: 14 x 21 cm

Leia também:

Carla Akotirene, da revolta à ascenção negra em Mestrados e Doutorados!

O que é Interseccionalidade?

Carla Akotirene: de cordeira do Ilê Aiyê a intelectual festejada

RELATED ARTICLES