CE – João Alfredo denuncia violência racista da segurança do shopping Iguatemi contra radialista cearense

Marcelo Coelho Moreira é um jovem radialista cearense. No último dia 27, entretanto, sua vida saiu do comum: ele foi seguido, conduzido para fora e espancado por seguranças do shopping Iguatemi, numa condenação prévia pelo crime de ser negro, estar transitando pelas lojas e olhando produtos. Salvo por, em determinado momento, ter mostrado a carteirinha de radialista aos seguranças que o agrediam, Marcelo ainda traz no corpo as marcas do que passou. O caso foi divulgado por ele próprio nas redes sociais e, na manhã desta quarta-feira (3/12), denunciado pelo vereador João Alfredo (PSOL) na tribuna da Câmara Municipal de Fortaleza.

por João Alfredo no CombateRacismoAmbiental

“Mesmo que ele fosse ladrão, era para ter sido levado para a polícia para tomar as providências. Segurança de shopping não é policial”, demarcou o vereador, avaliando que “o Marcelo foi vítima do racismo, da intolerância e da violência”. O parlamentar ainda acrescentou que a administração do shopping está ciente dos fatos uma vez que, na hora em que percebeu que estava sendo seguido, antes de ser levado para fora do shopping e espancado, Marcelo comunicou a gerência do estabelecimento.

Finalizando o pronunciamento, João Alfredo declarou sua solidariedade ao radialista e comprometeu-se a encaminhar o caso para as autoridades competentes via Comissão de Direitos Humanos. “Se o Iguatemi tomar uma atitude, quer dizer que não coaduna com isso. Se não tomar, quer dizer que é complacente”, observou o vereador do Psol, que também declarou “repúdio a essa violência inadmissível em pleno século XXI”.

Depoimento de Marcelo Coelho Moreira após a agressão (27/11):

“Gente, evitem ir ao Shopping Iguatemi Fortaleza. Eu fui perseguido por um policial-segurança do shopping. Ele me seguiu em vários locais do shopping, cheguei a ficar com medo por não saber se era ladrão, um louco ou sei lá quem. Depois um gerente de uma loja de lá me informou que ele é policial-segurança. Eu fui até o concieger e reclamei, pedi ao responsável para tomar uma providência. E no estacionamente esse segurança veio com outro policial, ambos a paisana, me botaram no carro de segurança do Iguatemi Fortaleza, me levaram ali pra uma rua próximo ao Parque do Cocó e me espancaram. Me chamaram de ladrão e de negro. Me revistaram e nada acharam e mesmo assim continuaram a me agredir. Jogaram spray de pimenta em mim (olhos, nariz e abrindo a minha boca borrifando sprays seguidamente). Me agrediram no rosto dando socos. E disseram que pelo fato de eu não comprar algo nas lojas eu estava sendo suspeito de roubo. Eu não posso ir só passear no Shopping? Eu não posso ir só pesquisar os preços? Agora somos obrigados a comprar senão somos agredidos fisicamente? Só pararam de me bater quando eu mostrei minha documentação de radialista (repórter de TV, locutor de TV e rádio e produtor de TV). Me ameaçaram de morte. Estou processando o Shopping Iguatemi Fortaleza. E divulgarei nas TVs (local e nacional). Por favor compartilhem e me ajudem na divulgação e punição. Muito obrigado. Forte abraço e fiquem com deus”.

+ sobre o tema

MinC seleciona projetos de hip-hop inscritos no Prêmio Cultura Viva

A Secretaria de Cidadania e Diversidade Cultural do Ministério...

Perfeição do racismo brasileiro transforma algoz em vítima

O racismo é um crime perfeito. É com essa frase...

Jornalista é vítima de injúria racial dentro de supermercado da Baixada Fluminense

O colunista Daniel Nascimento, do jornal O Dia, foi...

Prazo para comprovar dados do Prouni termina nesta terça-feira

Termina nesta terça-feira (20) o prazo para que candidatos...

para lembrar

ADPF das Favelas: falas de Jacqueline Muniz, Daniel Hirata, Michel Misse e mais

A audiência pública sobre a ADPF 635, conhecida como...

A ostentação negra incomoda

Ostentar significa “alarde, exibição vaidosa, vanglória”. Qualquer um pode...

E se Roberto Jefferson fosse negro e pobre?

Em outubro celebramos os 200 anos da morte de...

Porque queremos olhos azuis? por Lia Vainer Schucman TEDx SaoPaulo Salon

Porque queremos olhos azuis? por Lia Vainer Schucman. Lia fala...
spot_imgspot_img

Um guia para entender o Holocausto e por que ele é lembrado em 27 de janeiro

O Holocausto foi um período da história na época da Segunda Guerra Mundial (1939-1945), quando milhões de judeus foram assassinados por serem quem eram. Os assassinatos foram...

Caso Marielle: mandante da morte de vereadora teria foro privilegiado; entenda

O acordo de delação premiada do ex-policial militar Ronnie Lessa, acusado de ser o autor dos disparos contra a vereadora Marielle Franco (PSOL), não ocorreu do dia...

Filme de Viviane Ferreira mescla humor e questões sociais com família negra

Num conjunto habitacional barulhento em São Paulo vive uma família que se ancora na matriarca. Ela é o sustento financeiro, cuida das filhas, do...
-+=