terça-feira, dezembro 6, 2022
InícioQuestões de GêneroMulher NegraComo enfrentar o sangue dos dias

Como enfrentar o sangue dos dias

Conectar as periferias que reivindicam o lugar de centro e cujas lideranças estão marcadas para morrer é um dos maiores – e mais potentes – desafios de quem quer refundar a democracia no Brasil

Por ELIANE BRUM, do El Pais 

Este não é apenas um momento de brutalidade extrema no Brasil. É também um momento de potências emergindo. E começos de alianças até então impensáveis. É preciso perceber onde estão as possibilidades – e fazer frente àqueles que, diante da democracia corrompida do país, avançam sobre os corpos humanos.

A expectativa dos atores mais truculentos é de que a porteira foi aberta e desde então está tudo dominado. Mas acreditar que está tudo dominado é deixar de perceber que a violência se multiplica também porque não está tudo dominado. A violência da bandidagem instituída e não instituída é também uma reação a profundos avanços no interior dos Brasis. É nestes avanços que uma rede de proteção e resistência que consiga superar divergências não fundamentais precisa ser organizada. Porque a matança não para. Desde o assassinato de Marielle Franco, o medo de quem está na linha de frente aumenta e trespassa o país.

A imagem de Marielle Franco, assassinada em 14 de março de 2018, na escadaria da Rua Cristiano Viana, no bairro de Pinheiros, em São Paulo (Foto: JOÃO LUIZ GUIMARÃES)

 

Continue lendo aqui

Artigos Relacionados
-+=
PortugueseEnglishSpanishGermanFrench