Convite: O Pensamento Africano no Século XX

Convite lançamento do livro O Pensamento Africano no Século XX no dia 9 de fevereiro às 19h na livraria da Editora Expressão Popular

Divulgação

Enviado para o Portal Geledés 

Autor : José Rivair Macedo (org.); autores africanos e brasileiros.

Prefácio de Severino E. Ngoenha.

Introdução de José Rivair Macedo.

ISBN: 978-85- 9482-000- 6

Páginas: 370

Peso: 433 g

Formato: 14 x 21 cm

1ª edição: julho de 2016

Preço: R$ 35,00

 

SINOPSE

“Durante os períodos da colonização europeia, descolonização e reorganização das sociedades africanas, ao longo dos séculos XIX/XX, diversos intelectuais nascidos na África apropriaram-se de um vasto conjunto de referenciais teóricos, conceituais e metodológicos, empregando-os para expressar a posição de seus coetâneos em relação ao mundo. Paralelamente aos saberes orais tradicionais, e à experiência vivida que orientavam as formas de organização sociocultural dos povos anteriores ao período de predomínio europeu, ganhou corpo um novo tipo de saberes, eruditos, fundados em pressupostos acadêmicos, científicos, que deu sustentação ao que se tem denominado de pensamento africano moderno.

Constituído por autores com perfil intelectual, social e político variado, e orientado por pautas e questões por vezes complementares e por vezes divergentes, tal pensamento é atravessado pela reivindicação de uma interpretação endógena das questões atinentes ao seu continente. Entre os temas recorrentes, encontram-se a negritude e o pan-africanismo, o nacionalismo, a revolução e o socialismo africano, as identidades étnico-raciais, a dependência e o desenvolvimento.

Este livro é uma modesta contribuição para a introdução aos debates desenvolvidos por intelectuais consagrados na luta pela autodeterminação dos povos africanos, no combate ao etnocentrismo e ao racismo, na proposição de alternativas para a construção da justiça social e da democracia em seus respectivos países. Dele participam jovens pesquisadores africanos e brasileiros, docentes e pesquisadores universitários interessados pelos dilemas e desafios que se apresentaram aos intérpretes sociais, culturais e políticos do continente no decurso de sua inserção no sistema internacional contemporâneo.

A concepção da obra baseia-se na ideia de que uma perspectiva libertária supõe a descolonização mental, que, por sua vez, implica em conhecer diretamente os sujeitos mantidos em condição de subalternidade, garantindo-lhes o direito à expressão, à enunciação de sua palavra. O sentido profundo desse posicionamento encontra-se num antigo provérbio em língua bambara cuja tradução é: ‘verdade não cabe numa só boca’.”(José Rivair Macedo)

SOBRE OS AUTORES

“A obra conta com a participação de integrantes locais do Grupo de Estudos Africanos (Adriano Migliavacca, Anselmo Chizenga, Frederico Cabral, José Rivair Macedo) e colaboradores da Rede Multidisciplinar (Eduardo Buanaissa, José Carlos dos Anjos). Outros autores foram convidados a apresentar contribuições ou porque sabíamos se tratar de assuntos de seu interesse de pesquisa, ou porque sabíamos terem simpatia pelos problemas atinentes à África e aos africanos”. (José Rivair Macedo)

Adriano Moraes Migliavacca é mestre em Literaturas Estrangeiras Modernas da UFRGS, com pesquisa de doutorado sobre Wole Soyinka no Grupo de Estudos Africanos do Ilea.

Anselmo Panse Chizenga é docente na Universidade Pedagógica de Moçambique, com estudos de doutorado em Sociologia na UFRGS do Grupo de Estudos Africanos do Ilea.

Eduardo Felisberto Buanaissa é docene de Filosofia da Universidade Pedagógica de Moçambique, pesquisador da Universidade de Magdeburg, Alemanha, e colaborador do Grupo de Estudos Africanos do Ilea, UFRGS.

Frederico Matos Alves Cabral é docente na Universidade Lusófona, em Bissau, colabora com pesquisas na Universidade Amílcar Cabral, e graduado em Sociologia pela UFRGS e estudos sobre a mobilidade social dos estudantes africanos no ensino superior brasileiro, pesquisador doInstituto Nacional de Estudos e Pesquisa da Guiné Bissau (Inep) e vice-coordenador do Grupo de Estudos Africanos do Ilea.

Gabriel Ambrósio é graduado em Letras e membro do Programa de Estudos em Extensão Afro-brasileiros pela PUC/GO, colaborador do site Por dentro da África.

Guilherme Machado Botelho é bacharel em História pela PUC/SP e pesquisador do Núcleo de Estudos de África da USP.

Gustavo de Andrade Durão é graduado em História pela PUC/RJ, com estudos do mestrado sobre o Movimento Négritude na Unicamp e estudos do doutorado com estudos comparativos entre o pensamento de Léopold Senghor e Frantz Fanon na UFRJ.

Gustavo Koszeniewski Rolim é bacharel em História pela UFRGS, mestrando em História Social pela UFF.

+ sobre o tema

Masculinidades e feminilidades negras em diálogo

Os estudos de gênero são uma área de conhecimento...

O Invisível Gaúcho Negro

Como você deve saber, eu sou militar, e em...

para lembrar

Americana se apaixona por rapaz na balada e descobre que ele é príncipe

Americana se apaixona por rapaz na balada e descobre...

Seedorf será o novo técnico do Milan, diz canal italiano

  O canal italiano Sky Sportnoticiou nesta sexta-feira que...

Novembro Negro da Bahia é reforçado com lançamento de edital

O objetivo é apoiar até 12 projetos com foco...

Novo álbum de Beyoncé é adiado

Após vazamento na internet, gravadora quer que disco seja...
spot_imgspot_img

Mães e Pais de Santo criam rede de solidariedade para apoiar comunidades de matriz africana afetadas no Sul

Quando a situação das enchentes se agravou no Rio Grande do Sul, Ialorixás e Babalorixás da cidade de Alvorada, região metropolitana de Porto Alegre,...

6 brasileiros que lutaram pelo fim da escravidão no Brasil

O fim da escravidão no Brasil completa 136 anos em 13 de maio deste ano. Em 1888, a princesa Isabel, filha do imperador do Brasil Pedro 2º,...

MinC vai lançar plataforma de streaming voltada ao audiovisual nacional

O Ministério da Cultura está se preparando para lançar, ainda no segundo semestre deste ano, uma plataforma de streaming dedicada à produção audiovisual brasileira. Idealizado pela Secretaria do Audiovisual...
-+=