Desenhos impressionantes feitos com caneta bic por artista ganense

Desde pequenos aprendemos a desenhar com o lápis, porque se errarmos dá para pegar na borracha e apagar.  A caneta fica para escrever coisas muito importantes ou, no máximo, rabiscar coisas pouco importantes.

Por Zeca de Oliveira, do Yebothis

Com Enan Bosokah, um jovem artista ganense, não foi diferente. Ele aprendeu a desenhar com lápis e usar a borracha para apagar aquilo que não ficou bem. Depois de um tempo, porém, decidiu quebrar os próprios limites e passou a desenhar apenas com a caneta.

Para ele, a ideia de que o desenho feito à caneta não poderá ser apagado é divertida e o ajuda a ganhar domínio sobre a sua arte. O resultado é o que é e ponto. Mas chega de falar, vamos ver alguns dos seus draft:

©enan-bosoka_1 ©enan-bosoka_2 ©enan-bosoka_3 ©enan-bosoka_4 ©enan-bosoka_5 ©enan-bosoka_6 ©enan-bosoka_7 ©enan-bosoka_8 ©enan-bosoka_10 ©enan-bosoka_11

Todas as imagens: ©Enan Bosokah

Zeca de Oliveira

Nasceu na periferia de São Paulo e aos 23, após estudar comunicação social e redação publicitária, mudou-se para Maputo, onde foi diretor criativo na agência DDB Moçambique. Entre um plano e outro, já trocou vários empregos bons por outros melhores (ok, alguns piores!). O seu último negócio de sucesso foi a troca da sua 5D Mark II por uma auto-caravana Ford de 1978. Ela é velhinha sim, mas é perfeita para o caso de não conseguir pagar o aluguel no próximo mês.

 

+ sobre o tema

África do Sul emite notas com imagem de Nelson Mandela

África do Sul emite notas com imagem de Nelson...

Mais da metade dos brasileiros se reconhece como afrodescendente, afirma Dilma

  Em discurso durante comemoração do Jubileu de Ouro da...

Black Eyed Peas dá um tempo, mas nega rompimento

A banda Black Eyed Peas rejeitou os rumores de...

para lembrar

Estudantes quilombolas são aprovados no vestibular da UFBa

  Os cinco jovens aprovados na última seleção...

Jornada 24 contra a discriminação racial

Liga assinala de forma simbólica data internacional de luta A...

Nicarágua: documentário sobre os afrodescendentes do caribe

  A população africana da Nicarágua está concentrada na costa...

‘Pantera Negra: Wakanda Para Sempre’ exalta a força e o poder feminino

Com uma história tocante sobre como superar o luto...
spot_imgspot_img

Diaspóricas 2: filme revela mundo futurista a partir do olhar de mulheres negras

Recém-lançado no Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (FICA), em Goiás, no último dia 13 de junho, o filme “Diaspóricas 2” traz o protagonismo negro feminino e brasileiro...

Obrigada Shirley

É com muita tristeza que compartilhamos a notícia do falecimento da Shirley Villela, nossa companheira e amiga, tecedora da Redes da Maré, de 2013...

NICHO 54 lança publicação inédita que investiga a história do Cinema Negro no Brasil 

Pesquisa que mapeou e consolidou dados sobre filmes produzidos por pessoas negras no Brasil de 1949 a 2022 encontrou 1.104 obras; 83% de toda...
-+=