Gilmar: Constituição não permite que presidente adote políticas genocidas

O ministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal), criticou hoje em entrevista ao UOL os choques que ocorreram entre o presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, durante a luta contra a pandemia do novo coronavírus, e disse que o governo não pode ter “políticas genocidas”.

No UOL

“Eu não previa que isso [demissão de Mandetta] fosse acontecer e certamente não é desejável. O presidente da República dispõe do poder de exonerar seus ministros”, disse Gilmar.

Agora, a Constituição não permite que o presidente adote políticas genocidas. Políticas que afetem de maneira crucial, global, a vida da população. Me parece que é preciso pensar muito nesse contexto
Gilmar Mendes

O presidente Bolsonaro já fez várias críticas públicas à condução de Mandetta no combate à pandemia e tem realizado ações que contrariam as orientações do Ministério e da OMS (Organização Mundial de Saúde) sobre distanciamento e isolamento social.

O ministro do Supremo pediu mais união entre os diferentes setores do governo federal diante do combate à covid-19.

“É desejável de fato que haja uma articulação, um afinamento dessa orquestra, que de fato os ministérios da Saúde, Economia, Casa Civil trabalhem juntos nesse momento”, afirmou.

Um pouco antes, também usando a comparação com uma orquestra, Gilmar Mendes elogiou o Legislativo pelo trabalho realizado desde o início do surto de coronavírus no Brasil.

“Eu acho que o Legislativo vem atuando de maneira bastante efetiva, já vinha atuando, não tem participado desse bate-cabeça da administração pública, e aparentemente se apresenta de maneira mais organizada. Aquilo parece hoje estar muito mais próximo de uma orquestra. Poderia ter as propostas mais mirabolantes, irresponsáveis, mas tudo parece estar devidamente coordenado, o parlamento tem dado exemplos de maturidade que tem faltado em outros setores muitas vezes”, disse o ministro.

+ sobre o tema

Lewandowski apresentará normas para uso de câmeras corporais por policiais

O ministro da Justiça e da Segurança Pública, Ricardo...

Defensoria Pública de SP recorre ao STF contra flexibilização nas câmeras corporais na PM

A Defensoria Pública do estado de São Paulo entrou...

Imposto de renda: como apoiar projetos sociais na sua declaração

Pouca gente sabe, mas parte do seu imposto de renda devido...

Brasil investe pouco em prevenção de desastres

Separada por duas ruas da margem do rio dos...

para lembrar

Um “nabuh” para os ianomâmi e um ianomâmi para os “nabuh” – Por: Fátima Oliveira

Há anos sabia do casamento entre antropólogo norte-americano Kenneth...

Policiais aprendem português para enfrentar criminalidade brasileira no Japão

"Treta", "bagulho" e "mano" são algumas das gírias e...

Kassab corta merenda de crianças carentes

Por: ADRIANA FERRAZ   Compra enviada a abrigos conveniados...

A revolução de Bernie Sanders

Com seus desarrumados cabelos brancos, Bernie é o que...

Ações para a cidadania

Testemunhamos casos de guerras, violências, feminicídios e racismo diariamente. Em quase todos eles, inúmeras vozes nas redes sociais prontamente assumem posicionamentos com verdades absolutas...

Entidades de segurança pública e direitos humanos dizem que novo edital precariza programa de câmeras da PM em SP

Entidades da sociedade civil ligadas à segurança pública manifestaram preocupação com o novo edital para contratação de 12 mil câmeras corporais para a Polícia...

Convenção da extrema direita espanhola é alerta para o Brasil

"Manter o ideal racial de um continente branco de famílias cristãs e heterossexuais" foi marca de destaque da convenção do Vox - Viva 24,...
-+=