sexta-feira, julho 1, 2022
InícioQuestão RacialCasos de RacismoIndependiente cria cartilha para que torcedores não cometam racismo no Brasil

Independiente cria cartilha para que torcedores não cometam racismo no Brasil

Santistas registraram manifestações do tipo no jogo realizado na Argentina, há uma semana
O Independiente ressaltou aos torcedores do clube que pretendem viajar a São Paulo para o jogo contra o Santos, nesta terça-feira, que manifestações racistas são crime no Brasil e pediu “encarecidamente” que eles evitem esses gestos no país. No jogo de ida, santistas registraram argentinos imitando macacos para ofender os brasileiros.

Na nota, publicada no site oficial do Independiente (clique aqui para ler, em espanhol, na página dos argentinos), o clube cita que “é um delito racial fazer gestos de macaco ou dizer ‘macaco’ a torcedores locais” e afirma que, em partidas anteriores, houve prisões por conta disso.

O texto do Independiente ainda diz que há câmeras espalhadas pelo estádio, o que torna “fácil provar o delito”, e aponta, como razão para que os torcedores não façam os gestos, a possibilidade de o Independiente sofrer punições, além de o torcedor responder a um processo judicial.

 

Texto no site do Independiente diz que é um “delito racial” fazer gestos ou dizer “macaco” para torcedores brasileiros, lembrando que é “crime no Brasil associar uma pessoa a um animal” (Foto: reprodução/Independiente)

A tradução da mensagem acima é:

  • É crime racial fazer gestos ou dizer macaco a torcedores locais;
  • É crime no Brasil associar uma pessoa a um animal;
  • Os policiais entram em ação quando presenciam tais atitudes e prendem os torcedores visitantes;
  • Em partidas anteriores já houve detenções;
  • Há câmeras no estádio que registram tais ofensas raciais, razão pela qual é fácil provar o delito;
  • Pede-se encarecidamente evitar todo gesto ou palavra de conteúdo racial por dois motivos:
  • O clube pode ser penalizado economicamente.
  • A pessoa que comete tal delito racial pode ver-se exposta a consequências muito sérias, como ter antecedentes policiais/judiciais durante toda sua vida e poder ver-se impedido de sair do Brasil até que termine a instância pertinente do julgamento (perdendo seu voo e seu retorno ao trabalho e à família), além de ter que enfrentar grandes custos e possíveis multas e gastos com acompanhamento jurídico, como o eventual impedimento de ingresso no Brasil no futuro.

Na semana passada, um torcedor santista que estava no estádio Libertadores de América fez imagens de argentinos imitando macacos em direção aos brasileiros.

Ele registrou um boletim de ocorrência na delegacia especializada em crimes de intolerância de São Paulo, acompanhado do vice-presidente do Santos, Orlando Rollo, e de um advogado do clube, que pretende formalizar uma reclamação à Conmebol.

 

 

Leia Também: 

Santos emite nota de repúdio em relação ao caso de racismo na Argentina

Santos avalia racismo de torcida do Independiente e deve acionar Conmebol

Artigos Relacionados
-+=