Iniciativa global financia projetos de impacto social criados por adolescentes e jovens

O Chama Na Solução é uma iniciativa global criada pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e implementado no Brasil por Viração Educomunicação, com apoio de Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Plan International e Escoteiros do Brasil, que fomenta projetos de impacto social criados por adolescentes e jovens.

Da ONU

Foto: UNICEF/BRZ/Fernando Martinho

 

Nesta edição, podem se inscrever equipes interessadas em trabalhar com os seguintes temas: educação, empregabilidade e engajamento cidadão.

O processo consiste em uma formação presencial de 21h sobre empreendedorismo social e design centrado no usuário oferecida para 10 equipes. A formação presencial acontecerá de 12 a 14 de fevereiro, em São Paulo (SP), culminando na concessão de um capital-semente de 4 mil reais para cinco delas.

Após este período, será oferecida mentoria continuada aos participantes, com atividades formativas e reuniões à distância, apoiando a implementação das iniciativas criadas durante a formação. Ao final do processo, existe a possibilidade de participação na etapa de seleção global, na qual as iniciativas serão analisadas por uma equipe de especialistas de diversas partes do mundo para concorrer a um investimento de até 20 mil dólares.

Chama Na Solução é o nome dado aqui no Brasil para o Youth Challenge. Em 2019, a edição-piloto do projeto aconteceu em 16 países, incluindo o Brasil. Na primeira edição, cinco equipes brasileiras foram selecionadas para receber capital-semente e duas equipes brasileiras foram finalistas globais . Em 2020, adolescentes e jovens de outros 39 países se unem à iniciativa.

Em paralelo, na cidade do Rio de Janeiro, já está acontecendo o Chama na Solução Rio de Janeiro, com a participação de 100 adolescentes, que também poderão se inscrever para esta edição nacional.

Quem pode se inscrever?

As inscrições podem ser feitas por equipes de 3 a 5 adolescentes e/ou jovens residentes nas regiões metropolitanas das cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Curitiba.

Os participantes precisam ter entre 14 e 24 anos e estar interessados em resolver problemas que sintam na pele e que tenham relação com os temas desta edição (educação, empregabilidade e engajamento cidadão).

Equipes de Escoteiros residentes em qualquer município brasileiro no qual a organização tenha um Núcleo também podem se inscrever.

Não serão aceitas inscrições de equipes formalmente estabelecidas, com iniciativas já em fase de implementação. O projeto prioriza a seleção de equipes que tenham clareza em relação a um problema que gostariam de ajudar a resolver, mas para o qual ainda não começaram a desenvolver uma potencial solução.

Como se inscrever?

A inscrição pode ser feita pelo link: http://bit.do/chama2020. As inscrições vão só até dia 19 de janeiro.

Há algum custo para o participante?

Não, em nenhum caso. As inscrições são gratuitas. Durante o projeto, todos os adolescentes e jovens selecionados têm o transporte urbano e a alimentação (almoço e lanche) custeados pelo projeto nos dias da oficina presencial, que acontecerá de 12 a 14 de fevereiro em São Paulo (SP).

O transporte intermunicipal ou interestadual (terrestre ou aéreo), a hospedagem e a alimentação (café, almoço, lanche e jantar) de adolescentes e jovens oriundos de fora da Grande São Paulo também corre por conta do projeto, não havendo qualquer custo para os selecionados.

+ sobre o tema

Que escriba sou eu?

Tenho uma amiga que afirma que a gente só prova...

Oxfam: Brasil é um caso de sucesso na redução da desigualdade

Sugerido por robson_lopes Trechos dos artigos: Felizmente, a...

Vox/Band/iG: Dilma cai de 56% para 54%

Candidata petista varia para baixo pela primeira vez dentro...

para lembrar

Cidade Maravilhosa, Cidade Militarizada

UM EFETIVO DE cerca de 85 mil — entre eles Força...

O Brasil pelos olhos de nove crianças refugiadas que vivem em São Paulo

Quando viviam em seus países - Haiti, Síria, Arábia...

Do Carandiru a Manaus, Brasil lota presídios para combater tráfico sem sucesso

Política de encarceramento em massa decorrente da guerra às...

ONU nomeia atriz Kenia Maria como defensora dos direitos das mulheres negras no Brasil

No Dia Internacional pela Eliminação da Discriminação Racial, lembrado...
spot_imgspot_img

Ministério da Igualdade Racial lidera ações do governo brasileiro no Fórum Permanente de Afrodescendentes da ONU

Ministra da Igualdade Racial, Anielle Franco, está na 3a sessão do Fórum Permanente de Afrodescendentes da ONU em Genebra, na Suíça, com três principais missões: avançar nos debates...

Projeto SETA promove eventos no Fórum Permanente de Afrodescendentes da ONU 

Entre os dias 16 e 18 de abril, o Projeto SETA, iniciativa cujo objetivo é transformar a rede pública escolar brasileira em um ecossistema de qualidade...

Conselho de direitos humanos aciona ONU por aumento de movimentos neonazistas no Brasil

O Conselho Nacional de Direitos Humanos (CNDH), órgão vinculado ao Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania, acionou a ONU (Organização das Nações Unidas) para fazer um alerta...
-+=