Irmã de estudante que denunciou ataques racistas também foi alvo de preconceito no mesmo colégio em SP

Enviado por / FontePor Fantástico, no G1

Desde os 6 anos de idade, ela sofre com atitudes racistas. Mas a garota pediu para a mãe não denunciar com medo de represálias. Agora a família decidiu compartilhar as histórias, depois do ato de coragem do irmão.

Em São Paulo, assim que saiu o resultado das eleições, o estudante Antônio, de 15 anos, foi adicionado a um grupo de alunos que trocavam mensagens de ódio e preconceito, com citações nazistas. Ele reagiu e denunciou os ataques racistas que sofreu na escola.

O colégio é o Visconde de Porto Seguro, um dos mais tradicionais de São Paulo. Antônio e os outros adolescentes do grupo estudam na unidade de Valinhos, a 90 quilômetros da capital. A mensalidade custa até R$ 4 mil.

Tália, a irmã de Antônio estuda na mesma escola e, segundo a mãe, já foi alvo de preconceito de colegas. Desde os 6 anos de idade, ela sofre com atitudes racistas. Mas a garota pediu para a mãe não denunciar, com medo de represálias. Agora, a família decidiu compartilhar as histórias, depois do ato de coragem do irmão.

“As meninas sempre falavam que o cabelo dela era muito feio, era muito estranho. Que ela tinha cor de meninas pobres. E a última situação que aconteceu foi quando uma colega a chamou de escrava quando ela foi fazer um favor para a professora que tinha solicitado. Você receber uma filha em casa chorando e não poder fazer nada?”, conta a mãe, Thais Cremasco.

Repórter: Que tipo de providência a senhora tomou na época?
Thais: Expliquei para ela que eu teria que falar para a escola porque era uma coisa muito grave, e a escola entendeu isso como uma brincadeira de criança. Isso que foi dito para mim.

Agora, com o novo episódio de racismo, a mãe registrou um boletim de ocorrência. A polícia abriu uma investigação por injúria racial.

O porta-voz da escola diz desconhecer os episódios de racismo envolvendo Táila.

Veja a reportagem completa aqui

+ sobre o tema

Atirador de Connecticut alega ter sido vítima de racismo

NOVA YORK, EUA — Quando entrou no depósito...

Jovens negros ainda pagam com a vida o custo da desigualdade racial

  Constatação foi feita ontem em audiência pública na CDH...

Oficiais angolanos vítimas de ataques racistas na Rússia

Dois tenentes angolanos foram espancados, alegadamente...

A guerra às drogas: sucesso de crítica e público. (Parte I)

Entre nós, não são as drogas que matam. E...

para lembrar

RACISMO EM ARACAJU: Gilmar quer levar vítima de racismo para falar na Comissão de Direitos Humanos

  Fonte: Faxaju - Na sessão desta quarta-feira (04), o deputado...

SOS Racismo lança agenda contra a violência policial

O SOS Racismo lançou, esta quarta-feira, uma agenda com...

Racismo e “branquitude” na sociedade brasileira

O racismo é crime no Brasil, previsto pela Constituição...

Salgueiro: é urgente o rigoroso controle sobre a atividade policial

A Comissão Arns emitiu uma Nota Pública sobre os episódios de...
spot_imgspot_img

Fifa apresenta pacote de medidas contra o racismo no esporte

A Federação Internacional de Futebol apresentou um pacote de medidas contra o racismo no esporte. O mundo do futebol está reunido em Bangkok, na Tailândia, onde...

Tragédia no Sul é ambiental, mas sobretudo política

Até onde a vista alcança, o Rio Grande do Sul é dor, destruição. E vontade de recomeçar. A tragédia socioclimática que engolfou o estado, além da...

Para os filhos que ficam

Os seus pais vão morrer. É ainda mais difícil se dar conta disso depois de um Dia das Mães, como foi o último domingo....
-+=