Lançamento de HQ reforça registro da tradição africana

Por Lorena Morais

Em um bate-papo descontraído durante o seminário “Mitologia e Cultura Africana através da História em Quadrinhos (HQ)”, que aconteceu neste sábado (3) em Cachoeira e lançou a HQ “A disputa pela criação”, os autores Tangre Paranhos – jornalista e mestre em Direito – e Franco Santos – ilustrador e diretor de arte – relataram o processo de criação da revista e chamaram atenção para a importância desse registro da cultura africana.

Da direita para a esquerda: Os autores Franco e Tangre convidaram o antropólogo Renato da Silveira para dialogar sobre mitologia africana.
Foto: Lorena Morais
O seminário e lançamento da revista aconteceram no Ponto de Cultural Muleki é Tu e contou com a presença dos autores e do antropólogo Renato da Silveira, que falou da mitologia africana a partir da tradição oral. Para ele, esse tipo de registro é importante para a banalização da tradição africana, que ainda é muito discriminada. “É uma coisa comum, uma religião como qualquer outra. Uma obra como essa vem ajudar nesse ponto, é preciso que a cultura africana passe a ser considerada uma coisa legítima, normal e não excepcional”.

A revista é fruto do trabalho de conclusão do curso de jornalismo de Paranhos, que convidou seu amigo Santos para criar a parte gráfica e de ilustração da revista. Segundo Paranhos, o interesse em popularizar esse universo foi o maior motivo da criação da revista. “Essa idéia surgiu da percepção de que existiam vários mitos registrados nos suportes dos quadrinhos e uma lacuna em relação à mitologia africana nesse meio de comunicação que é a história em quadrinhos”. E completa, “Além de valorizar a cultura africana, visamos fomentar de novos leitores, escritores e pesquisadores no interior da Bahia”.

A Disputa pela Criação é uma lenda Iorubá, que conta a história da criação da Terra. Na história, Olodumaré, o deus supremo, entediado com a monotonia do mundo coberto por água, chamou Oxalá para realizar a criação da terra. A partir daí uma história cheia de intrigas e mistérios se desenrola, tendo como pano de fundo a mitologia.

Lançamento e distruibuição no Recôncavo

a disputa pela criacao 1A lenda é uma história Iorubá que conta a criação da

Terra. Foto: Lorena Morais

Cachoeira foi à primeira cidade escolhida para este lançamento, que vai passar por mais três localidades do Recôncavo. “A escolha da região foi devido a essa comunidade de matriz africana que existe aqui’, afirma Paranhos.

Os seminários são abertos ao público e os interessados devem se inscrever gratuitamente nos locais do evento, com tem direito a certificado e exemplar da revista. A próxima plenária será no distrito de São Francisco do Paraguaçu, no próximo dia 15. E a equipe também vai passar por São Félix (08/12) e Muritiba (17/12). Foram convidados para participar dos seminários, além de Renato Silveira e Franco Santo, o jusfilósofo Samuel e o escritor José de Jesus Barreto.

A revista será distribuída também gratuitamente em ongs, bibliotecas comunitárias e públicas, pontos de cultura e leitura e entidades que desenvolvem trabalhos comunitários. Para solicitar exemplares e obter mais informações os interessados devem entrar em contato com a equipe através do email: [email protected]

Fonte: Retrato do Reconcavo

+ sobre o tema

Reinvenção do futebol: bola e arte para vencer o racismo

Em comemoração ao dia da Consciência Negra, o jornal...

Josephine Baker

Josephine Baker (03 de junho de 1906 –...

Chael Sonnen lutou dopado contra Anderson Silva

Foto UFC O americano versado...

para lembrar

Uma introdução à história do Blues

O Blues foi uma das principais fontes de todos os...

Bukassa Kabengele: “O Brasil ainda não conhece a música africana”

Dono de uma fala calma, Bukassa sorri ao cantar...

McDonalds – McNugget Love

Propaganda do Mc Donalds que utilizam negros como...

A MULHER NEGRA PÓS-ABOLICIONISTA NORTE AMERICANA

A escritora Chloe Anthony Wofford, mais conhecida como...
spot_imgspot_img

Exposição revisita mostra A Mão Afro Brasileira, em São Paulo

Há 35 anos, o artista e museólogo Emanoel Araújo (1940-2022) fez a curadoria da icônica exposição A Mão Afro-Brasileira, para marcar o centenário da...

Casa onde viveu Lélia Gonzalez recebe placa em sua homenagem

Neste sábado (30), a prefeitura do Rio de Janeiro e o Projeto Negro Muro lançam projeto relacionado à cultura da população negra. Imóveis de...

No Maranhão, o Bumba meu boi é brincadeira afro-indígena

O Bumba Meu Boi é uma das expressões culturais populares brasileiras mais conhecidas no território nacional. No Maranhão, esta manifestação cultural ganha grandes proporções...
-+=