Mahmundi quer ser ainda mais ouvida

O aguardado segundo disco da cantora Mahmundi, 31 anos, nome artístico de Marcela Vale, já está nas lojas físicas e nas plataformas digitais. Considerada revelação da música brasileira quando lançou o seu primeiro trabalho, homônimo, em 2016, a cantora e compositora carioca mostra mais versatilidade em “Para Dias Ruins”

Do Comercio do Jahu

Mahmundi: “Podemos passar por esses dias e seguir em frente” Foto: Reprodução/Comercio do Jahu

Com reggae, voz, violão, jazz e batidas eletrônicas, entre outras influências, o disco tende a melhorar o dia de quem o quem ouve.

Já aclamada pela crítica e abraçada por colegas do meio musical, Mahmundi diz que não espera ser pop, mas tem seus objetivos. “Eu espero ser ouvida por mais gente, com certeza, sem cair no pop que exige um outro tipo de música, que não é o meu”, explica ela.

Segundo Mahmundi, os dois últimos anos não foram de boas notícias, por isso, veio o nome do disco. “Acho que esse trabalho não chega a ser um antídoto para os dias ruins, mas talvez a prova de que podemos passar por esses dias e seguir em frente”, diz a cantora.

Lembrando o assassinato da vereadora Marielle Franco, em março, no Rio, entre outros momentos, Mahmundi refletiu sobre a vida enquanto compunha. “Foi um ano cansativo, com muita coisa acontecendo e todos os dias, quando passo por uma blitz, não me deixam esquecer de que sou uma mulher negra no Rio.” (Folhapress)

 

+ sobre o tema

Seleção brasileira enfrenta Alemanha de Cacau em amistoso

Após a eliminação na Copa América, técnico Mano Menezes...

Norte-americanos financiam ódio a homossexuais na África, revela documentário

O conservadorismo norte-americano encontrou terreno fértil na sofrida África...

Spike Lee lançará novo documentário sobre Michael Jackson

O disco Bad, um dos mais clássicos de Michael...

para lembrar

Seis estatísticas que mostram o abismo racial no Brasil

No Brasil, a população negra é mais atingida pela...

Intelectuais negros estão fora da bibliografia, criticam especialistas

Abdias Nascimento, Clóvis Moura, Lélia Gonzalez, Beatriz Nascimento, Jurema...

Cantor de soul Dobie Gray morre aos 71 anos

O cantor norte-americano de soul Dobie Gray morreu aos...
spot_imgspot_img

Mostra sobre Lélia Gonzalez vê negros e indígenas como centro da cultura nacional

As escolas de samba do Rio, os blocos afro da Bahia, as congadas de Minas Gerais, as comemorações da Semana Santa e do Natal. O que todas essas celebrações têm...

Aos 105, Ogã mais velho do Brasil, que ajudou a fundar 50 terreiros só no Rio, ganha filme e exposição sobre sua vida

Luiz Angelo da Silva é vascaíno e salgueirense. No mês passado, ele esteve pela primeira vez no estádio de São Januário, em São Cristóvão,...
-+=