“Malcolm X” e o racismo do capitalismo

I – ORIGEM:

Malcolm Little, mais conhecido como Malcolm X (nasceu em 19 de maio de 1925,  Omaha, estado de Nebraska).

II – INFÂNCIA MALDITA:

O pai: aos seis anos, seu pai Earl Little, dedicado trabalhador da UNIA (Associação para Melhoria Universal do Negro) foi violentamente assassinado, jogado na linha do trem com corpo quase partido em dois, agonizando mais algumas horas.

A mãe: Louise Little aos 34 anos assumiu o sustento dos seus oito filhos. Ela possuía pele clara e trabalhava em empregos domésticos (até descobrirem que ela era negra).
Passou por intensas pressões que a levaram a um colapso nervoso, sendo internada num hospital de doentes mentais.

Adotado: Ele foi adotado em 1937 e viu a família ser destruída.

O Destino dos sete imãos:

Os mais velhos Wilfred e Hilda foram deixados à própria sorte.
Philbert foi levado para casa da família em Lansing.
Reginald e Wesley foram viver com a família Willians.
Yvone e Robert ficaram com a família McGuire.

III – MOVIMENTOS:

Foi um dos maiores defensores dos direitos dos negros nos Estados Unidos.
Fundou a Organização para a Unidade Afro-Americana, de inspiração socialista.
Participou da organização “Nation of Islam”, contra o racismo e viu o reaparecimento de movimentos intitulados de “Sociedades Secretas Asiáticas”. Foi preso.

IV – NAÇÃO DO ISLÃ:

Fora da prisão, como El-Hajj Malik El-Shabazz dedicou-se a construir a “Nação do Islã”, tornando-se seu pastor, fundando templos e um jornal, atacando furiosamente a história racista da América. A organização chegou a 100.000 seguidores no início dos anos 60.

A polícia de Los Angeles atacou um templo da Nação do Islã em 1962, matando um destacado ativista.

Alguns líderes conservadores começaram movimentos para enfraquecer Malcolm X, liderados por Elijah Muhammad.

V – O ASSASSINATO DO PRESIDENTE KENNEDY:

Em 1963 o assassinato do Presidente teria sido causado por Lee Harvey Oswald, em uma ação solitária, fez com que os pastores da Nação do Islã fossem proibidos de dizer qualquer coisa, mas Malcolm não silenciou: “… ao meu ver, este é um caso em que – as galinhas voltaram pra casa para empoleirar-se – [expressão idiomática = as consequências de fazer algo errado, sempre retornam a quem a fez].

Alguns membros mais antigos da Nação do Islã pensavam até na possibilidade de matar Malcolm X. O líder da Nação, Farrakhan, afirmou: “um homem como este merece

somente a morte”. Cinquenta semanas depois da sua saída da Nação do Islã, foi assassinado.

VI – AS IDÉIAS DE MALCOLM:

As suas ideias eram discutidas até em Meca, durante a peregrinação, com os líderes de movimentos de independência na África. Ele encontrou muitos “revolucionários verdadeiros” que não eram negros e não era tão pacífico como Luther King (adepto da não-violência), entretanto foram contemporâneos e tinham os ideais bem parecidos.

Racismo do capitalismo : Malcolm identificou o principal responsável pelo racismo:

“O capitalismo costumava ser como uma águia, mas agora se parece mais com um urubu, sugando o sangue dos povos. Não é possível haver capitalismo sem racismo”.

Algumas frases famosas:

“Não lutamos por integração ou por separação. Lutamos para sermos reconhecidos como seres humanos. Lutamos por direitos humanos.”

“Neste país o negro é tratado como animal e os animais não têm sobrenome”.

“Não é o fato de sentar à sua mesa e assistir você jantar que fará de mim uma pessoa que também esteja jantando. Nascer aqui na América não faz de você um americano”.

“Você só vai conseguir a sua liberdade se deixar o seu inimigo saber que você não está fazendo nada para conquistá-la. Esta é a única maneira de conseguir a liberdade”.

VII – MORTE:

No dia 21 de fevereiro de 1965, na cidade de Nova Iorque, foi assassinado por três homens, que dispararam 16 tiros contra ele.

“As únicas pessoas que realmente mudaram a história foram os que mudaram o pensamento dos homens a respeito de si mesmos” – Malcon X.

REFERÊNCIAS:

http://educacao.uol.com.br/biografias/ult1789u766.jhtm

http://www.ibge.gov.br/ibgeteen/datas/discriminacao/exemplos.html

http://www.geocities.com/fusaoracial/malcolm_x.htm

http://www.mundonegro.com.br/noticias/?noticiaID=254

 

 

 

 

+ sobre o tema

Michelle Obama

Michelle LaVaughn Robinson Obama é a esposa do 44º...

Ex-Pantera Negra é libertado após 43 anos em solitária nos EUA

Albert Woodfox, o detento mantido mais tempo em uma...

Política e Prisões: uma entrevista com Angela Davis

A ENTREVISTA COMO MÉTODO: DIÁLOGO COM ANGELA DAVIS Nos últimos...

Crítica: Livro de historiador expõe contradições de Malcolm X

Capitalismo e racismo andam juntos na história. Discriminações servem...

para lembrar

Livro de fotojornalista moçambicano Kok Nam reúne momentos inéditos de Samora Machel

Uma coleção de fotografias inéditas do primeiro Presidente de...

Pena de morte: ‘Escapei porque o algoz estava cansado demais para me enforcar’

No corredor da morte no Malauí, na África Oriental, Byson Kaula...

Agudás, Almeida e cultura: por que o Benim é o Brasil na Copa Africana

Pequeno país africano eliminou Marrocos e está nas quartas...

Nobel da Paz 2019 sai para primeiro-ministro etíope, Abiy Ahmed

O prêmio Nobel da Paz de 2019 foi concedido...
spot_imgspot_img

Brasil e EUA voltam a articular plano contra discriminação racial; veja como funciona o acordo entre os países

O Brasil e os Estados Unidos promoveram a primeira agenda entre congressistas e a sociedade civil desde a retomada do acordo de cooperação bilateral...

Um Silva do Brasil e das Áfricas: Alberto da Costa e Silva

Durante muito tempo o continente africano foi visto como um vasto território sem história, aquela com H maiúsculo. Ninguém menos do que Hegel afirmou, ainda no...

‘Fui um menino negro criado por avós supremacistas brancos que me ensinaram a saudação nazista’

Shane McCrae é um consagrado poeta norte-americano. Ele foi premiado diversas vezes, publicou uma dezena de livros e é professor de redação criativa da...
-+=