Maria Rita Kehl: projeto de Cunha expressa repulsa à sexualidade feminina.

“Vamos falar sério: o que subjaz a esta pauta retrógrada é a repulsa inconsciente à sexualidade feminina. A liberdade recém-conquistada do desejo feminino assusta os homens. Seis meses a dois anos de prisão para aquelas que abortarem os fetos que eles fizeram ‘sem querer’. Eis a versão masculina da repulsa ao sexo”, diz a psicanalista Maria Rita Kehl, em artigo sobre o projeto do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ)

Do Brasil 247

Em artigo publicado nesta quinta-feira, a psicanalista Maria Rita Kehl confronta o projeto de lei 5069/13, do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), denunciado no Conselho de Ética da Câmara por suas contas secretas, que dificulta o aborto legal.

“Para começar, aborto não é política de controle de natalidade. É um recurso extremo e doloroso utilizado por mulheres sem condições materiais ou psicológicas de ter um (ou mais um) filho. A pauta dos direitos da mulher não começa pela defesa do aborto. Este só se justifica em último caso”, diz ela.

Maria Rita Kehl alerta ainda para a crueldade masculina no trato da questão. “A expressão ‘gravidez indesejada’ é cruel: o que falta a grande parte das mulheres, sobretudo adolescentes, para manter a gravidez não é desejo. São condições: materiais, emocionais, familiares. E sobram condições de abandono: quantos homens, ou garotos, continuam ao lado das mulheres e meninas que engravidaram ‘sem querer’, como se o problema não fosse com eles? Só algumas, com muita sorte, conseguem dividir a responsabilidade pela decisão com o parceiro.”

Por fim, ela atribui o projeto de Cunha à repulsa pela sexualidade feminina. “Vamos falar sério: o que subjaz a esta pauta retrógrada é a repulsa inconsciente à sexualidade feminina. A liberdade recém-conquistada do desejo feminino assusta os homens. Seis meses a dois anos de prisão para aquelas que abortarem os fetos que eles fizeram ‘sem querer’. Eis a versão masculina da repulsa ao sexo.”

+ sobre o tema

Ter mais mulheres nos conselhos das empresas interfere no valor de sua ações?

Até aqui, o que se sabia através de pesquisas...

Papo sério: Representatividade importa

Quem me acompanha no twitter sabe o quanto a...

Só eu canto a dor que é minha

Um relato emocionado de uma leitora aos Jornalistas Livres...

18 feministas africanas para conhecer e celebrar

O que é feminismo Africano? Muitas feministas de todo...

para lembrar

Astronauta será a primeira mulher negra dos EUA, à integrar uma missão longa da Nasa

Jeanett Epps é Doutora em Engenharia Aeroespacial, formada pela...

Mulheres serão 17% da bancada de Minas na Câmara Federal

Com o final da apuração, o número de mulheres eleitas...

Britânica revela que foi abusada pelo marido por dois anos

Charlie Tetley estuprava a esposa enquanto ela dormia e...

Paim anuncia lançamento da campanha Outubro Rosa, contra o câncer de mama

Em discurso no Plenário nesta terça-feira (4), o senador...
spot_imgspot_img

O mapa da LGBTfobia em São Paulo

970%: este foi o aumento da violência contra pessoas LGBTQIA+ na cidade de São Paulo entre 2015 e 2023, segundo os registros dos serviços de saúde. Trata-se de...

Grupos LGBT do Peru criticam decreto que classifica transexualidade como doença

A comunidade LGBTQIA+ no Peru criticou um decreto do Ministério da Saúde do país sul-americano que qualifica a transexualidade e outras categorias de identidade de gênero...

TSE realiza primeira sessão na história com duas ministras negras

O TSE realizou nesta quinta (9) a primeira sessão de sua história com participação de duas ministras negras e a quarta com mais ministras...
-+=