‘Meu filho que salvou’, diz mulher que ficou em cárcere privado no RS

Homem invadiu casa da ex-companheira e a rendeu na frente do filho.
Segundo polícia, mulher e menino de 11 anos passam bem.

Depois de ficar cerca de seis horas sob cárcere privado em Viamão, na Região Metropolitana de Porto Alegre, uma mulher de 28 anos disse que o filho de 11 anos foi o seu salvador. O ex-marido rendeu a companheira com uma faca pouco antes do meio-dia de quinta-feira (15), e só a soltou com a chegada do próprio pai ao local, como mostra reportagem do Bom Dia Rio Grande, programa da RBS TV (veja o vídeo). O menino ficou ao lado da mãe durante todo o tempo, evitando que o pai a ferisse.

“Nunca pensei que ele pudesse fazer isso. E ele tinha, ele era violento e coisa, mas eu nunca pensei que ele pudesse fazer isso. E foi graças a Deus, e meu filho que salvou mesmo”, disse a mulher, que não quis se identificar.

O homem se dizia inconformado com o fim do relacionamento. Ele entrou na casa para, supostamente, buscar suas roupas. Mas, em um surto de raiva, no pátio da residência, investiu contra a mulher. O homem pediu para que o filho saísse, mas o menino não quis e permaneceu no local vendo o pai ameaçar a mãe. O homem já tinha histórico de agressão à ex-esposa.

A polícia precisou interditar todas as ruas ao redor da casa, que foi cercada por pelo menos 30 policiais. Por celular, negociadores começaram a tentativa de libertar a refém e a criança. No meio da tarde, um agente entrou na residência com os dois. A mulher e o filho foram libertados no início da noite. Segundo o Serviço de Inteligência da polícia, eles passam bem.

O homem foi encaminhado para a Unidade de Pronto Atendimento de Viamão (UPA 24h) e, depois, à delegacia local.

 

Fonte: G1

+ sobre o tema

Violência contra mulheres no Brasil de hoje

Só a partir dos anos 50 foi destinado às...

Violência contra a Mulher: Aluna hostilizada por usar roupa curta na Uniban

'Eles estavam possuídos, fiquei com muito medo', afirmou estudante. Tumulto...

Patriarcado da violência

A brutalidade não é constitutiva da natureza masculina, mas...

Violência contra a mulher

  As causas das variadas formas de violência contra a...

para lembrar

Saiba como realizar denúncia de violação de direitos humanos

Qualquer tipo de violência contra uma pessoa, desde violência...

27 secretários de Segurança se reúnem para discutir estupro: apenas um é mulher

O ministro interino da Justiça, Alexandre de Moraes, se...

Egito: Mulher fingiu ser homem por 40 anos para conseguir trabalho

Após ficar viúva, Sisa Gaber Abu Douh resistiu à...

Curso: Violência, Gênero e Raça: Resistência e caminho de superação – Inscreva-se

Nas sociedades brasileira, latino-americana e caribenha as assimetrias de...
spot_imgspot_img

Assassinatos de pessoas trans vítimas do racismo crescem 15%

De 321 mortes de pessoas trans em 2023, quase três quartos (74%) foram registradas na América Latina e no Caribe e quase um terço...

Um LGBTI+ sofre morte violenta a cada 34 horas no Brasil, aponta relatório

A cada 34 horas, uma pessoa da comunidade LGBTQIAP+ é vítima de morte violenta no Brasil. É necessário enfatizar: a cada quase dois dias...

Erika Hilton aciona Ministério dos Direitos Humanos para acompanhar caso de agressão a mulheres trans no Rio

A deputada federal Erika Hilton (PSOL-SP) acionou o Ministério dos Direitos Humanos e Cidadania (MDHC), em ofício encaminhado nesta terça-feira, para acompanhar o caso de agressão a...
-+=