Guest Post »
Mitos e curiosidades do fim da escravidão no Brasil

Mitos e curiosidades do fim da escravidão no Brasil

Assinatura da lei Áurea pela princesa Isabel completa 125 anos nesta segunda-feira

Na gandaia!
O professor de História e Geografia do Colégio Anchieta Fernando Santos Martins Portugal, conta que a vaidade da princesa Isabel e as “farras” de Dom Pedro II são mitos que circulam sobre a assinatura da lei Áurea : — Diz a lenda, que a princesa Isabel assinou a lei áurea porque seu pai [Dom Pedro II] estava fora, na gandaia.

Dizem também que foi para ficar marcada na história, e não ser só mais uma princesa. Mas isso são lendas que se escuta na faculdade


Medo de São Paulo A violência contra os escravos no Estado de São Paulo era motivo de chantagem
Medo de São Paulo A violência contra os escravos no Estado de São Paulo era motivo de chantagem

Medo de São Paulo A violência contra os escravos no Estado de São Paulo era motivo de chantagem, conta a professora de história da Unesp Lucia Helena Silva:

— Quando alguém queria assustar um escravo do Rio de Janeiro, por exemplo, falava que ele iria para São Paulo.

O Estado considerado como perigoso também foi o cenário de grandes fugas, que receberam o apoio de “fantasmas”. Entenda na imagem a seguir

Conhecidos como fantasmas, os Caifazes eram um grupo de abolicionistas que apoiavam grandes fugas de escravos em São Paulo

Conhecidos como fantasmas, os Caifazes eram um grupo de abolicionistas que apoiavam grandes fugas de escravos em São Paulo. O movimento começou com o apoio de artistas como Luiz Gama, e foi idealizado e continuado por Antônio Bento no final do século 19 .

A professora Lucia Helena conta que o nome Caifazes vem da Bíblia, em uma referência aos algozes de Jesus Cristo

Caifazes

Conhecidos como fantasmas, os Caifazes eram um grupo de abolicionistas que apoiavam grandes fugas de escravos em São Paulo. O movimento começou com o apoio de artistas como Luiz Gama, e foi idealizado e continuado por Antônio Bento no final do século 19 .

A professora Lucia Helena conta que o nome Caifazes vem da Bíblia, em uma referência aos algozes de Jesus Cristo

na época da assinatura da lei Áurea, o sistema de escravidão no Brasil já estava falido.

A professora de Filosofia e Ciências Sociais Lucilia Laura Pinheiro Lopes conta que na época da assinatura da lei Áurea, já no fim da escravidão no Brasil o sistema  já estava falido.

— A maioria dos Estados já não tinha mais esse sistema direto de escravidão. Já não havia mais traslados.

Mesmo com liberdade, o negro no Brasil não tinha acesso a terra, trabalho, crédito e educação

Mesmo com liberdade, o negro no Brasil não tinha acesso a terra, trabalho, crédito e educação.  A professora Lucilia conta que a assinatura da princesa foi uma mudança de sistemas que não “libertou” realmente por manter a falta de direitos. Ela apontou os fatores da exclusão:

Escola: O negro não podia estudar em escolas públicas, isso estava na lei. Eles alegavam que o negro teria doenças que podiam ser espalhadas.

Lei da Terra: A lei em que alguém que ocupa uma terra por muito tempo se torna dona dela não se aplicava aos negros, isso impedia o acesso a terra.

Crédito: Nenhum brasileiro negro tinha acesso ao crédito, como aconteceu com migrantes anos depois.

Além de Zumbi, uma grande personalidade na luta contra o sistema escravocrata foi Dandara

Além de Zumbi, uma grande personalidade na luta contra o sistema escravocrata foi Dandara. Ao lado do capoeirista e líder do quilombo dos Palmares, Dandara foi uma das lideranças femininas do movimento e participou de todos os ataques e defesas da resistência.  Segundo a professora Lucilia, essas são questões históricas que os estudantes brasileiros precisam conhecer

O Brasil foi o último país da América a abolir a escravidão

O Brasil foi o último país da América a abolir a escravidão. Informações do portal Brasil.gov.br informam que o último país no mundo a abolir a escravidão foi a Mauritânia em novembro de 1981, pelo decreto n° 81.234.

Mesmo na ilegalidade, ainda existem trabalhos que se assemelham à escravidão no País

Mesmo na ilegalidade, ainda existem trabalhos que se assemelham à escravidão no País. Um caso descoberto recentemente foi de um chinês de 22 anos era mantido em regime de escravidão.

A polícia suspeita que a vítima tenha sido comprada por R$ 30 mil. Outro caso foi o de bolivianos resgatados de trabalho escravo em confecções de grifes famosas, em março deste ano

Segundo o diretor executivo da Educafro, Frei Davi Santos, entre as 500 maiores empresas do Brasil, o número de afrodescendentes no cargo de executivo não chega a 6%.

— No IBGE, o termo afrodescendentes inclui o número de pretos mais pardos. Na população do Brasil, 51,7% são negros.

Fonte: R7

Related posts