quinta-feira, novembro 26, 2020

    Tag: Negros

    @MAUROYANGE/Nappy

    Poema NEGRO

    NEGRO Sou negro Sou forte! Sou Bravo Guerreiro. Meu jeito ligeiro, Ativo e viril Fez de mim Um homem serviçal no Brasil. Maltratado, acorrentado… De tudo já sofri. Fui tirado de minha pátria E só a ti eu servi. Meu povo! Ai que saudade De banto quase morri…. Sou negro Sou forte Zumbi dos Palmares Sob todos os olhares Traçou meu destino; E como um bravo menino A liberdade eu segui. No quilombo, pra onde fugia Era a Terra de alforria. Sonhei com esta alegria E só ali te senti! Sou negro Fui Forte Lutei até a morte! E hoje com muita sorte Sou de valor…. tenho porte! Igualo-me a qualquer raça. Pois para tudo tenho garra, força e determinação! Por isso eu posso gritar: Sou negro Sou forte Um Bravo de coração. Samara C. Alcantara de Andrade ** ESTE ARTIGO É DE AUTORIA DE COLABORADORES OU ARTICULISTAS DO PORTAL ...

    Leia mais
    Victor Tongdee/Adobe

    Escrito em Nego

    Quando buscaram os Negros na África, trazendo-os como bichos amontoados em uma nau, ignorando suas paixões, estórias e a própria raiz ancestral, Foi escrito em negro e nos negros: sina trágica! No momento em que chegavam ao Cais do Valongo, Mortificados em corpo e alma pelos dissabores do trajeto; Travessia oceânica que pelo medo, pela ira e pela fome fazia-se mais longa, Escrito em pele negra foi: Objetos! No momento em que chegavam às senzalas com seus cabelos “Sarárá,” pele negra, dentes brancos, falando em dialetos nagô, suaíli ou banto, o povo da casa grande se perdia em olhares; ainda que ninguém se atrevesse nada a falar; Era ali escrito em negras pele, talvez por medo ou ignorância: Espanto. Na ração regrada e seca que aos negros era ofertada, Na água barrenta e lameada que não lhes provia da sede a saciedade, No preparar e não comer os quitutes da ...

    Leia mais
    O escritor Frei Betto (Foto: Carlos Cecconello - 20.out.2010/Folhapress)

    Deus é Negro, segundo Frei Betto

    Em homenagem ao Dia da Consciência Negra, 20/11 Trago no sangue uma África. O reboar de tambores, a ponta afiada de lanças, os riscos coloridos realçando a pele e, na boca, o gosto atávico dos frutos do Jardim do Éden. Na alma, as cicatrizes abertas de tantos açoites, o grito imperial dos caçadores de gente, os filhos apartados de seus pais e maridos, de suas mulheres, o balanço agônico da travessia do Atlântico e, nos porões, a morte ceifando corpos engolidos pelo mar e triturados pelos dentes afiados dos peixes. Sou filho de Ogum e Oxalá, devoto de Iemanjá, a quem elevo as oferendas de todas as dores e cores, lágrimas e sabores, o choro inconsolável das senzalas, a carne lanhada de cordas, os pulsos e os tornozelos a ferros, a solidão da raça, o ventre rasgado e engravidado pela feroz pulsão dos senhores da Casa Grande. Restam-me na cuia ...

    Leia mais
    foto de Luis Alvarez / Digital Vision / Getty Images

    Especificidade do racismo brasileiro

    Sempre perguntam o porquê de algumas pessoas não se identificarem como integrantes da população negra no Brasil, mesmo se essas mesmas pessoas, em vários outros países, como nos Estados Unidos da América, são nitidamente negras, tanto pelo conjunto de fenótipos que apresentam, quanto pela ascendência.  Oracy Nogueira afirmou que existem distinções na definição de algum grupo como branco ou negro, de modo que nos Estados Unidos importa a ascendência, a “gota de sangue”, enquanto que, no Brasil, a discriminação se apresenta em razão da cor da pele. “Quando o preconceito de raça se exerce em relação à aparência, isto é, quando toma por pretexto para as suas manifestações os traços físicos do indivíduo, a fisionomia, os gestos, o sotaque, diz-se que é de marca; quando basta a suposição de que o indivíduo descende de certo grupo étnico para que sofra as consequências do preconceito, diz-se que é de origem” (NOGUEIRA, ...

    Leia mais
    (Foto: Paulo Fridman/Corbis via Getty Images)

    Negros e indígenas são os mais afetados pela mudança do ensino presencial para o EaD

    Com a pandemia do novo coronavírus, que provoca a Covid-19, muitas instituições de ensino trocaram o modelo presencial pelo EaD, à distância. Nessa mudança, negros e indígenas são os que foram mais prejudicados no processo. É isso que aponta um levantamento feito pelo Quero Bolsa, plataforma de bolsas de estudo e vagas no ensino superior, que utilizou os microdados do Enem 2019. Segundo ele, entre os que compareceram nas provas, 21% não tinha a estrutura mínima em casa para realização de aulas EaD. Por estrutura mínima se entende acesso a internet e um aparelho para assistir as aulas (nesse caso, celular ou computador). Quando se olha apenas os candidatos negros (pretos ou pardos) essa proporção sobe para 27,72%. Para indígenas, esse número é de 39,58%. No caso de brancos, entretanto, esse número cai para 11,29%. Enquanto os negros correspondem a 58% do total dos estudantes que realizaram o exame, na ...

    Leia mais
    Estrutura do coronavírus tem formato de coroa — Foto: Radoslav Zilinsky/Getty Images/Arquivo

    Em 4 semanas, mortes de pretos e pardos por Covid-19 passam de 32,8% para 54,8%

    A porcentagem de pacientes mortos por Covid-19 entre os pretos e pardos passou de 32,8% para 54,8% entre 10 de abril e 18 de maio, um período de quatro semanas. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (18) pelo Ministério da Saúde. Já a porcentagem de pacientes brancos hospitalizados pela Covid-19, mesmo que em queda no mesmo período, é a maior: 51,40%. Os pretos e pardos, mesmo que tenham um índice maior no número de mortes, representam 46,7% das internações pela doença. Esta nomenclatura de raça/cor é a mesma utilizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE): pretos e pardos são categorias diferentes e, juntos, podem ser classificados como negros. Internações e mortes por Covid-19 — Foto: Cido Gonçalves/G1 Situação no país O ministério também divulgou nesta segunda seu mais recente balanço de mortes e casos confirmados de Covid-19 no Brasil. Os principais dados são: 16.792 mortes, eram 16.118 no ...

    Leia mais
    Para o IBGE, políticas afirmativas de cor ou raça contribuem para o aumento da população que se declara preta no país — Foto- Afrojob

    Em sete anos, aumenta em 32% a população que se declara preta no Brasil

    De 2012 a 2018, número de declarados pretos aumentou em quase 5 milhões no país. População branca segue encolhendo e pardos seguem sendo maioria. por Daniel Silveira no G1 Para o IBGE, políticas afirmativas de cor ou raça contribuem para o aumento da população que se declara preta no país — Foto- Afrojob Para o IBGE, políticas afirmativas de cor ou raça contribuem para o aumento da população que se declara preta no país — Foto: Afrojob Em 2018, o Brasil tinha 19,2 milhões de pessoas que se declararam pretas – 4,7 milhões a mais que em 2012, o que corresponde a uma alta de 32,2% no período. É o que revela um levantamento divulgado nesta quarta-feira (22) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). À exceção de 2014, quando o número de pretos se manteve estável em relação ao ano anterior, anualmente tem aumentado ...

    Leia mais
    imagem- REUTERS

    Google prioriza estudantes negros em programa de estágio Next Step, no Brasil

    Chamado de Next Step, programa abre nesta segunda, terá 20 vagas e duração de dois anos por Filipe Oliveira no Folha de São Paulo imagem- REUTERS O Google irá priorizar a busca por estudantes negros no Brasil em um novo programa de estágio a ser lançado nesta segunda-feira (28). Chamado Next Step, terá 20 vagas e duração de dois anos. Vai acontecer em paralelo às seleções de estagiário que já ocorrem para programa de seis meses e que no ano passado escolheram 25 estudantes. O programa não exigirá fluência em inglês. ​Os selecionados terão aulas do idioma e sessões de mentoria com executivos da empresa. Fábio Coelho, presidente do Google para o Brasil, diz que o programa busca reduzir a diferença que existe na participação de negros no quadro de funcionários da empresa em comparação com a sociedade brasileira, em que são maioria. “Entendemos que a empresa ...

    Leia mais
    AFP-Marcelo-Pimentel

    Rede social para negros quer dar visibilidade a políticos e empreendedores

    A Black & Black, uma rede social brasileira indicada para negros, foi lançada dois meses antes das eleições com o objetivo de dar visibilidade a políticos e empreendedores e promover iniciativas, como o boicote de campanhas de marketing racistas. Por Daniele Belmiro no Ne10 AFP-Marcelo-Pimentel A plataforma, que se apresenta como inédita no mundo, pretende “conectar as demandas e narrativas da população negra no mundo”, para que “o povo negro tenha o protagonismo que merece”, descreve o site oficial. Idealizada pelo empreendedor social Celso Athayde, CEO da Favela Holding, a rede conta com cerca de 100 mil usuários, entre eles o ator Lázaro Ramos, o rapper MV Bill, a colunista Flávia Oliveira e o humorista Hélio de la Peña. Segundo Athayde, a meta é chegar a um milhão de membros até as eleições de outubro e a 10 milhões no fim do ano. A plataforma quer ...

    Leia mais

    Negros e brancos em Porto Alegre

    O que devemos entender do estudo recém-divulgado do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) sobre o “Desenvolvimento Humano para Além das Médias”, que mede o IDHM – Índice de Desenvolvimento Humano para além da renda, levando em consideração saúde e educação? O Globo entendeu, conforme se pode depreender da sua manchete, o seguinte: “Nível da qualidade de vida dos negros tem uma década de atraso em relação ao dos brancos”. Por Juremir Machado da Silva Do Correio do Povo Por que será mesmo? Eu entendi que o Brasil continua racista. O documento afirma que entre 2000 e 2010 “o Índice de Desenvolvimento Humano (IDHM) da população negra cresceu, em média, 2,5% ao ano, acumulando alta de 28% no período, frente aos 1,4% anuais dos brancos ou 15% em dez anos”. Quase o dobro do crescimento dos brancos. “Mas, apesar do ritmo mais acelerado, só em 2010 o IDHM dos ...

    Leia mais

    Cantor potiguar é vítima de racismo em rede social

    Racistas utilizam de rede social para promover a intolerância racial e o preconceito de maneira aberta, com nome e sobrenome e sem medo do artigo 5º da Constituição Federal, que considera a prática crime inafiançável, imprescritível e sujeito à pena de reclusão. Infelizmente, esta não é a primeira vez que preconceituosos atacam negros e nordestinos.   O cantor potiguar Mikeias Cruz foi mais uma vítima de comentários racistas em redes sociais. Na tarde da quarta-feira (4), Mikeias foi agredido verbalmente por comentários preconceituosos numa publicação em que ele aparecendo cantando ao lado de seu pai. “Vc é preto e nordestino, odeio” e “Odeio nordestino, td. Corno veio”, deram o tom dos ataques racistas. Confira abaixo: Do Blog do Montoril Racistas utilizam de rede social para promover a intolerância racial e o preconceito de maneira aberta, com nome e sobrenome e sem medo do artigo 5º da Constituição Federal, que considera ...

    Leia mais

    Quando todos os europeus eram negros

    Maior estudo genético de europeus da pré-história revela um passado complexo e violento no qual populações inteiras foram forçadas a emigrar ou desaparecer para sempre Por Nuño Domínguez Do El País O estudo genético de restos mortais de europeus que morreram há milhares de anos, abriu uma janela única para a pré-história do continente. O trabalho abrange grande parte do Paleolítico Superior, de 45.000 até 7.000 anos atrás, e revela vários episódios até agora desconhecidos. “O que vemos é uma história das populações tão complexa quanto a dos últimos 7.000 anos, com muitos momentos em que populações substituem outras, imigração em uma escala dramática e em um momento no qual o clima estava mudando radicalmente”, resumiu David Reich, geneticista da Universidade de Harvard e principal autor do estudo, publicado na revista Nature. O estudo analisou o DNA de 51 euroasiáticos, uma amostra 10 vezes maior que qualquer estudo anterior. Abarca desde ...

    Leia mais

    Gays e negros sempre se ofenderam com piadas de Didi

    Reportagem de Andrezza Czech, do UOL, em São Paulo, SP, intitulada ‘Para especialistas, gays e negros sempre se ofenderam com piadas de Didi’, entrevista especialistas como o professor doutor Dagoberto José Fonseca, chefe do departamento de Antropologia, Política e Filosofia da Faculdade de Ciências e Letras da Unesp de Araraquara. Do  Black Brasil “Naquela época, essas classes dos feios, dos negros e dos homossexuais, elas não se ofendiam”. A declaração, dada pelo humorista Renato Aragão à revista “Playboy” de janeiro, diz respeito à época de “Os Trapalhões”, programa veiculado entre 1966 e 1995. Para ele, antigamente, as pessoas sabiam que suas brincadeiras não eram feitas para atingir ninguém, mas, hoje, esse tipo de humor é encarado como preconceituoso. Será mesmo que a opinião pública mudou nos últimos 50 anos? Para o professor doutor Dagoberto José Fonseca, chefe do departamento de Antropologia, Política e Filosofia da Unesp (Universidade Estadual Paulista), as ...

    Leia mais

    Líder do Ku Klux Klan em Montana diz que portas estão abertas para negros, gays e judeus

    Defensor da supremacia branca nos EUA funda grupo que não irá discriminar as pessoas por raça, religião ou orientação sexual No O Globo  RIO - Um dos mais famosos defensores da supremacia branca no estado americano de Montana está recrutando membros para uma nova formação da organização Ku Klux Klan (KKK), que, segundo ele, incluirá negros, gays e judeus, e mostrará que ele não abraça mais a supremacia racial. John Abarr, da cidade Great Falls, afirma que é um homem “reformado”, e, por isso, começou um novo grupo ligado à KKK batizado Rocky Mountain Knights (Cavaleiros das Montanhas Rochosas, em tradução livre). Embora ele não diga exatamente quantos membros este novo grupo da KKK tem, Abarr afirma que a organização não irá discriminar as pessoas por sua raça, religião ou orientação sexual. “A KKK é para uma América forte. A supremacia branca é a velha Klan. Esta é a nova ...

    Leia mais

    Famílias pobres e mulheres vítimas de violência, idosos, negros, índios e travestis na fila do Minha Casa, Minha Vida de São Paulo

    Haddad inclui idosos, negros, índios e travestis na fila do Minha Casa, Minha Vida Do  G1 Famílias pobres e mulheres vítimas de violência também são priorizadas. Resolução foi publicada nesta sexta-feira no Diario Oficial. Famílias paulistanas lideradas por idosos, negros, índios, gay, bissexual ou mulher, independentemente de sua orientação sexual terão prioridade na fila do programa federal Minha Casa, Minha Vida. Também terão prioridade famílias com grau de dependência superior à média da cidade de São Paulo ou lideradas por vítimas de violência doméstica . A lista beneficia ainda famílias com crianças e adolescentes em situação de abrigamento com indicação de atendimento habitacional, famílias com ônus excessivo de aluguel, famílias moradoras em domicílios sem unidade sanitária e famílias que trabalhem ou morem perto do empreendimento habitacional. Idosos precisarão comprovar ter 60 anos ou mais. Negros, índios, travestis e transexuais deverão apresentar autodeclaração. Os outros casos deverão ser comprovados por análise de ...

    Leia mais
    Em 10 anos mais brasileiros se declaram pretos: 8,1%

    Em 10 anos mais brasileiros se declaram pretos: 8,1%

    Nos últimos dez anos o número de brasileiros que se declaram pretos cresceu de 5,9% para 8,1%. Somando às pessoas que se declaram pardas, tem-se hoje 53,1% de negros no Brasil, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), do IBGE. "A classificação parda ou preta pode estar associada à questão de autoafirmação e até mesmo das cotas. a pessoa passa a se enxergar ou passa a ter consciência da raça dela e passa a se declarar de forma diferente”, disse gerente da Pnad, Maria Lucia Vieira O número de brasileiros que se declaram pretos vem crescendo desde 2004, quando o índice era de 5,9%. Em 2012, eles representavam 7,9% da população. Já os dados mais atuais, da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) de 2013, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostram que as pessoas que se declaram pretas somam 8,1% da população brasileira, ...

    Leia mais

    Geledés manifesta pesar pela morte de Fúlvia Rosemberg

    Fúlvia Rosemberg - É preciso mais negros na universidade para ampliar seu espaço social   Professora da PUC-SP; defende ações afirmativas, afirma que Brasil tem racismo historicamente instaurado e diz que livros didáticos deveriam ter avisos sobre "deformações da vida social e política"   Psicóloga e escritora, Fúlvia Rosemberg é uma das maiores autoridades do País nos estudos sobre ações afirmativas e educação infantil. Pesquisadora sênior da Fundação Carlos Chagas (FCC) e professora titular em Psicologia Social da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), ela também é coordenadora do Programa Internacional de Bolsas de Pós-Graduação da Fundação Ford no Brasil. É dessa última atividade que ela fala com prazer em um dos trechos desta entrevista, ao citar o exemplo de Maria das Dores Oliveira Pankararu, que se tornou a primeira indígena brasileira a concluir um doutorado. Está no âmbito das ações afirmativas o maior foco de atuação da professora, ...

    Leia mais
    (Foto: Divulgação/ DC Comics)

    The Flash – Série de TV pode introduzir Flash afrodescendente!

    Recentemente, a DC Comics causou polêmica ao introduzir o personagem Wally West como um garoto afro-americano nas páginas dos Novos 52! Agora, existe a possibilidade da história se repetir na série de TV e todos os indícios sempre apontaram para esse rumo! Com as recentes mudanças que Wally West sofreu no reboot da DC Comics e com a família do personagem já ter sido apresentada na série de TV,os produtores executivos  Greg Berlanti e Andrew Kreisberg foram perguntados por um fã durante o evento do Payley Center se existe a possibilidade de vermos um “Flash negro” na série da CW e as respostas foram no mínimo intrigantes! “Fizemos os Wests afro-americanos para que a gente pudesse seguir nessa direção no futuro.” disse Berlanti. “Essa é a nossa expectativa.” Andrew Kreisberg seguiu o parceiro e confirmou o caso. “Foi muito legal não terem reintroduzido Wally nos Novos 52 por um tempo.” disse o produtor, afirmando que ...

    Leia mais
    Por que chamar negro de macaco é racismo?

    Por que chamar negro de macaco é racismo?

    Por: Leandro Beguoci Venha passear comigo por São Paulo durante alguns minutos – e sem trânsito. É uma viagem no tempo com direito a carroça e alguns esbarrões em um amontoado de gente falando um monte de línguas ao mesmo tempo: italiano, árabe, espanhol, uma porção de dialetos. Há muitos e muitos anos, o bairro de Higienópolis foi construído em uma encosta entre a avenida Paulista e o centro da cidade. Ele ficava entre os casarões de quem era muito rico e morava no alto do morro (a Paulista) e entre o coração paulistano no qual trabalhavam milhares de pessoas (o centro). Era um bairro de classe média por definição social e geográfica. Mas você já pensou por que ele se chama Higienópolis? O nome não deixa dúvida. Ele era um bairro higiênico, limpo, em contraposição a outros lugares da cidade. São Paulo era uma cidade muito menor naquela época. ...

    Leia mais
    Eleições presidenciais 2014: mulheres e negros serão decisivos

    Eleições presidenciais 2014: mulheres e negros serão decisivos

    O Instituto Patrícia Galvão disponibiliza a partir de agora a série de análises Gênero e Raça nas Eleições Presidenciais 2014: A força do voto de mulheres e negros. O trabalho reúne análises exclusivas da socióloga e especialista em pesquisa de opinião Fátima Pacheco Jordão sobre o comportamento eleitoral de mulheres e negros brasileiros, a partir de dados do Ibope e Datafolha. Confira abaixo os principais destaques sobre a intenção de voto dos segmentos sociais decisivos neste pleito: Eleitoras superam eleitores em 6 milhões e negros são maioria do eleitorado pela primeira vez Eleições presidenciais 2014: mulheres e negros serão decisivos Pela primeira vez, negros são 55% do eleitorado Eleições presidenciais 2014: mulheres e negros serão decisivos 32% ainda não apontam em quem vão votar Eleições presidenciais 2014: mulheres e negros serão decisivos Dilma e Marina mantêm empate entre as mulheres [caption id="attachment_21736" ...

    Leia mais
    Página 1 de 3 1 2 3

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist