Morte de homem negro causada pela polícia de Atlanta foi homicídio, diz legista

Enviado por / FonteCorreio do Brasil

A morte reanimou os protestos em Atlanta depois de dias de manifestações mundiais contra o racismo e a brutalidade policial desencadeadas pela morte do afro-norte-americano George Floyd sob custódia da polícia de Mineápolis no dia 25 de maio.

Uma autópsia realizada no domingo mostrou que Brooks, de 27 anos, morreu devido à perda de sangue e aos ferimentos internos causados por duas feridas de tiros, disse um investigador do instituto médico-legal em um comunicado, que acrescentou que a forma de sua morte foi homicídio.

O encontro fatal de Brooks com a polícia aconteceu depois que um funcionário de um restaurante Wendy’s de Atlanta telefonou às autoridades para dizer que alguém havia adormecido no carro na faixa de drive-through.

Registrado pela câmera corporal do policial e por uma câmera de vigilância, o encontro pareceu amistoso a princípio, já que Brooks aceitou um teste com bafômetro e falou sobre o aniversário da filha.

Atlanta

– Assisti a interação com o senhor Brooks, e partiu meu coração – disse a prefeita de Atlanta, Keisha Lance Bottoms, à rede CNN. “Ela não foi conflituosa. Este era um sujeito pelo qual você estava torcendo.”

Mas quando um policial foi prendê-lo, Brooks lutou com ele e outro agente no local, conseguiu se libertar e correu pelo estacionamento com o que parecia uma arma de choque da polícia na mão, mostrou um vídeo de um transeunte.

Um vídeo das câmeras do restaurante mostra Brooks se virando enquanto corre e possivelmente apontando a arma de choque aos policiais em perseguição, e em seguida um deles dispara sua arma de fogo e Brooks cai.

A chefe de polícia de Atlanta, Erika Shields, renunciou devido ao incidente. O policial suspeito de ter matado Brooks foi demitido, e o colega envolvido, também branco, foi afastado.

Enquanto manifestantes iam às ruas da cidade e clamavam para que os policiais do caso Brooks sejam alvo de acusações criminais, a certa altura interrompendo o trânsito em uma rodovia interestadual na noite de sábado, o Restaurante Wendy’s ardia em chamas.

Recompensa

No domingo, a polícia ofereceu uma recompensa de US$ 10 mil e publicou fotos do que parece ser uma mulher branca mascarada que está sendo procurada devido à sua conexão com o caso.

A polícia disse que está procurando os responsáveis pelo incêndio, inclusive uma mulher que estava “tentando ocultar a identidade”.

No sábado, Bottoms disse não acreditar que os disparos foram um uso justificado de força mortal. Até o meio da semana, procuradores decidirão se apresentarão acusações, disse o procurador do condado de Fulton, Paul Howard, no domingo.

+ sobre o tema

Nossa cumplicidade dissimulada com o racismo

Como ficou claramente comprovado no episódio e nas repercussões...

‘Nega Maluca’ and the popularization of blackface in Brazil

Although the season of Carnaval has yet to start,...

Os 10 comerciais mais preconceituosos dos últimos meses

A série de desastres produzidos pela publicidade brasileira inclui,...

CONVITE ESPECIAL – Campanha Eu Pareço Suspeito?

enviado por: Gildean Silva Panikinho  A campanha “Eu...

para lembrar

Mano Brown: “Não tolero mais ficar de cabeça baixa para a polícia”

Rapper se manifestou durante encontro promovido pela ONG Capão...

Estudantes sofrem ataque racista com frases e suásticas em Santa Maria-RS

Novamente a sala do Diretório Acadêmico do curso de...

Dentista é acusada de racismo contra bebê em São Raimundo Nonato

A delegada da cidade já está investigando o caso. Por Mayara...

“A literatura tem permitido que crianças negras se valorizem como tal”

Autora de livros infantis sobre racismo e direitos humanos,...
spot_imgspot_img

Futuro da gestão escolar

A educação pública precisa de muitos parceiros para funcionar. É dever do Estado e da família, com colaboração da sociedade, promover a educação de todas as...

Educação para além dos muros da escola

Você pode fornecer escolas de qualidade para os mais pobres e, mesmo assim, talvez não veja a mudança na realidade do país que se...

Criança não é mãe

Não há como escrever isto de forma branda: nesta quarta-feira (12), a Câmara dos Deputados considerou urgente discutir se a lei deve obrigar crianças vítimas de estupro à...
-+=