domingo, novembro 27, 2022
InícioQuestão RacialViolência Racial e PolicialMovimento Passe Livre repudia violência contra partidos políticos

Movimento Passe Livre repudia violência contra partidos políticos

O Movimento Passe Livre (MPL) emitiu nota no início da madrugada desta sexta-feira em repúdio aos atos de violência contra partidos políticos durante as manifestações de quinta-feira (20) pelo país.

Em sua página no Facebook o movimento afirma ter presenciado “episódios isolados e lamentáveis de violência contra a participação de diversos grupos”.

“O MPL é um movimento social apartidário, mas não antipartidário. Repudiamos os atos de violência direcionados a essas organizações durante a manifestação de hoje, da mesma maneira que repudiamos a violência policial. Desde os primeiros protestos, essas organizações tomaram parte na mobilização. Oportunismo é tentar excluí-las da luta que construímos juntos”, afirma o movimento.

Em Porto Alegre, militantes do PT com bandeiras do partido foram reprimidos aos gritos de “sem partido” ainda na concentração do ato, em frente à prefeitura.

Mais tarde, os mesmos militantes discutiram com outros participantes, que acusaram de “fascistas”.

Integrantes do PSTU foram hostilizados em Belo Horizonte, Fortaleza e Londrina (PR), onde tiveram que baixar bandeiras a pedido de outros manifestantes.

Na capital cearense, militantes com bandeiras da central sindical Conlutas, ligada ao PSTU, foram recebidos aos gritos de “Oportunistas, abaixem as bandeiras”. Como resposta, diziam: “A ditadura acabou”.

Bandeiras da UJS (União da Juventude Socialista), ligada ao PC do B, foram reprimidas em Fortaleza.

Florianópolis também registrou tensão motivada pela presença de militantes partidários. Integrantes de siglas como PT e PSTU também foram reprimidos aos gritos de “sem partido, sem partido”.

Outros manifestantes buscavam ficar longe da minoria de militantes para evitar associação com as bandeiras partidárias.

O grito “sem partido” foi ouvido ainda em Aracaju (SE), quando manifestantes apartidários encontraram representantes de PSTU, PSOL e PCB.

Em Vitória da Conquista (BA), a manifestação terminou com uma bandeira do PT rasgada. O PT está a frente da prefeitura da cidade há cinco mandatos consecutivos. O atual prefeito é Guilherme Meneses. (WILHAN SANTIN, AGUIRRE TALENTO, PAULO PEIXOTO, WILLIAM DE LUCCA, JEFFERSON BERTOLINI e MARIO BITTENCOURT).

 

MPL: ‘Não vamos permitir que parasitem a nossa pauta’

Deciframe ou te devoro”: a grande mídia e as manifestações

História do Fascismo

 

Fonte: Folha

Artigos Relacionados
-+=
PortugueseEnglishSpanishGermanFrench