“Não confio em homem que desrespeita mulher”: nossa colunista explica sua opção política

 

As eleições para presidente têm sido assunto desde o início da campanha (e ainda mais após o início da corrida pelo segundo turno) – e que bom isso. Apesar das queixas de alguns – “nossa, que chato todo mundo falando de política o tempo inteiro!” – acho que a repetição incansável do assunto deve ser motivo de comemoração. Afinal, noutros tempos – e ainda hoje, noutros países – o assunto fora terminantemente proibido. Então, que bom que podemos discutir abertamente o assunto, das redes sociais às mesas de bar, em que pese a blindagem midiática que insiste em se impor.

por :

Por isso mesmo – entre outros infindáveis motivos que poderiam, sozinhos, compor este artigo – eu insisto em escrever sobre, e viva a liberdade de expressão! Compreenda que – apesar de quem quer que seja poder livremente defender a que partido julgar merecedor – isto não se trata de defesa partidária ou politicagem barata: este texto tem o condão de alertar as pessoas acerca de um aspecto crucial do presidenciável Aécio Neves: o visível machismo e misoginia. Como aspirante a militante do feminismo, sinto-me na obrigação de comentar.

O candidato escancarou a sua inegável covardia e desrespeito às mulheres na última campanha.

Notória a sua incapacidade em demonstrar o menor respeito por uma mulher – que além de mulher mais velha que ele, é presidente deste país – em vários momentos dos vergonhosos debates presidenciais dos quais participou.

Todas as vezes em que se sentia acuado com alguma colocação da presidente – as quais, esclareça-se, não são objeto deste texto – reagia com cinismo repugnante e agressividade assustadora: desde o dedo na cara da Luciana Genro, aos insultos em alto e bom som contra a presidente. “Leviana e mentirosa, candidata!”

Discussões políticas à parte, eu, particularmente, não consigo confiar em um homem – nem mesmo enquanto homem apenas, quem dirá enquanto presidenciável – que levanta, desrespeitosa e desnecessariamente, a voz a uma mulher mais velha e, independente de divergências políticas, digna de respeito.

Desfrutando da minha inegável liberdade de expressão, afirmo: Aécio é a personificação da misoginia, do desrespeito à mulher e da promoção da desigualdade de gêneros. A personificação da ignorância acerca das necessidades do gênero – e, pior ainda, uma ignorância proveniente do desinteresse. Não consigo vislumbrar – e não consigo por que o histórico do candidato não me permite – uma só possibilidade de Aécio Neves colocar-se enquanto defensor das causas feministas.

Por isso minha alma feminista se debate todas as vezes em que vejo uma mulher afirmar-se militante PSDBista. Uma mulher que pode pagar o alto preço de ser esquecida e negligenciada pelas leis de seu país durante quatro anos.

Que o movimento feminista não esteja – como, acredito piamente, não está – ao lado de um homem que não consegue apresentar uma só proposta em favor da mulher e desrespeita a presidente do país e toda mulher que ouse contrariá-lo. E que o contrariemos, e provemos, com a força feminina que ele menospreza, que os tempos são outros. Não somos levianas. Sabemos o que queremos e sabemos, mais ainda, o que não queremos: um playboy machista no Palácio do Planalto.

Sobre o Autor

Atriz por vocação, escritora por amor e feminista em tempo integral. Adora rir de si mesma e costuma se dar ao luxo de passar os domingos de pijama vendo desenho animado. Apesar de tirar fotos olhando por cima do ombro, garante que é a simplicidade em pessoa. No mais, nunca foi santa. Escreve sobre tudo em: facebook.com/escritosnathalimacedo

 

 

Fonte: DCM 

+ sobre o tema

Caravana da Mulher chega ao Alto Dois Carneiros

A sexta edição da Caravana da Mulher, realizada no...

Mulheres do PT debatem feminismo, políticas e construção partidária

Cerca de 700 delegadas de todo o Brasil reuniram-se...

Na Rio+20, governo brasileiro e ONU Mulheres firmam cooperação Sul-Sul em igualdade de gênero

Serão investidos três milhões de dólares, doados pelo governo...

Salvador registrou 234 casos de abusos em 234 dias do ano

A Bahia lidera o ranking de denúncias de violência...

para lembrar

Homens e mulheres concordam: o preconceito de gênero interfere no salário

De 13 perguntas da pesquisa Mitos & Verdades, feita...

Gênero nos espaços públicos e privados

O estudo "Mulheres brasileiras e gênero nos espaços públicos...

Diálogos Feministas: Análise de conjuntura e desafios para a defesa da democracia

Esta publicação traz uma síntese do debate realizado: uma...

Gisele, eu tenho um cérebro!

Algum tempo atrás eu escrevi um artigo intitulado "E...
spot_imgspot_img

Misoginia e racismo na renúncia em Harvard

Muitos têm sido os desdobramentos da guerra em Gaza, cujos efeitos se estendem para além da catastrófica situação da população palestina. Os EUA têm sido especialmente tensionados pela...

O direito das mulheres à literatura

A literatura, para Antonio Candido, é direito inalienável do sujeito, indispensável à humanização. Espaço de desacato, para a escritora argentina María Teresa Andruetto, ela nos questiona,...

Competência Feminina Negra diante de Chefes e Colegas de Trabalho Negros: Desafios e Reflexões

Hoje, mês da consciência negra, não focalizaremos no racismo perpetrado pelos brancos, mas sim direcionaremos nossa atenção para nós mesmos. Vamos discutir as novas...
-+=