No Paraná, 65 mil pessoas dizem #elenão em mais de 20 cidades do estado

Curitiba tem uma das maiores manifestações do país neste 29 de setembro

Com muita música e gritos de #elenão, #elenunca, a mulherada não tem medo de você e palavras de ordem contra o fascismo e em defesa de direitos, mais de vinte cidades do Paraná fizeram manifestações contra a candidatura de Jair Bolsonaro (PSL) no sábado, 29 de setembro.

Em Curitiba, ocorreu um dos maiores atos do país. Com início às 16h na Boca Maldita, no centro da cidade, mais de 50 mil pessoas marcharam até a Praça Santos Andrade. Entre as palavras de ordem mais repetidas, estavam “Nem recatada e nem do lar, a mulherada tá na rua pra lutar”. E “Curitiba não é fascista”. As manifestações também lembraram a vereadora do Rio de Janeiro Marielle Franco, vítima de um assassinato ainda não esclarecido. O ato foi encerrado com a música Maria, Maria, de Milton Nascimento depois de 3h de manifestação.

Foto: Giorgia Prates

A assistente social aposentada Silvia, explica porque esteva presente. “Estou aqui porque quero um Brasil melhor não só para meus filhos, mas para todos. O fascismo não é bom em lugar nenhum do mundo e não vai ser aqui também.”

Já o Militante do movimento Hip Hop em Curitiba, Vitor Rosa, disse que se somou à mobilização contra o discurso de ódio do candidato da extrema-direita, Jair Bolsonaro (PSL). “Estou aqui hoje num ato de resistência contra um sistema que quer abalar a emergência dos negros, da periferia, das mulheres. Enquanto negro, enquanto artista, defensor do movimento feminista, estou fazendo nada mais que minha obrigação em estar aqui falando ‘Ele não’”. Para Liane, do Assentamento Contestado, na Lapa, as mulheres não podem mais perder direitos. “O que estamos fazendo aqui é lutando para não retroceder mais do que já retrocedemos.”

Outras cidades

Até o final da tarde, a reportagem do Brasil de Fato contabilizou manifestações em 21 cidades em todas as regiões do Estado. Em Londrina  e Ponta Grossa, foi estimada a participação de 2 mil pessoas em cada cidade.

Foto: Júlio Cesar e Gabriel Ruiz

Em Maringá, as organizadoras apontam a participação de mais de 6 mil pessoas.

Confira a relação das cidades que mandaram informações sobre as manifestações.

Apucarana

Cascavel

Campo Mourão

Curitiba

Foz do Iguaçu

Francisco Beltrão

Florestópolis

Guarapuava

Imabaú

Irati

Ivaiporã

Laranjeiras do Sul

Londrina

Maringá

Paranaguá

Paranavaí

*Esse material foi construído de forma colaborativa com o trabalho da equipe de jornalismo do Brasil de Fato Paraná e com apoiadores de diferentes cidades

+ sobre o tema

Maranhão tem 30 cidades em emergência devido a chuvas

Subiu para 30 o número de cidades que decretaram...

O Estado emerge

Mais uma vez, em quatro anos, a relevância do...

Extremo climático no Brasil joga luz sobre anomalias no planeta, diz ONU

As inundações no Rio Grande do Sul são um...

IR 2024: a um mês do prazo final, mais da metade ainda não entregou a declaração

O prazo para entrega da declaração do Imposto de Renda...

para lembrar

Juristas divulgam carta ao mundo denunciando regime de exceção no Brasil

Juristas de todo o Brasil divulgaram uma carta aberta,...

A guerra às drogas fracassou

Fonte: Folha de São Paulo - por: LUIZ EDUARDO...

Funai alerta para risco de genocídio de índios isolados no Acre

Por: João Fellet O avanço da exploração econômica na...

Para Serra, expor seu currículo ‘denigre’ imagem e prejudica candidatura

Tucano mandou censurar Folha Bancária por entender que informações...

Mulheres em cargos de liderança ganham 78% do salário dos homens na mesma função

As mulheres ainda são minoria nos cargos de liderança e ganham menos que os homens ao desempenhar a mesma função, apesar destes indicadores registrarem...

‘O 25 de abril começou em África’

No cinquentenário da Revolução dos Cravos, é importante destacar as raízes africanas do movimento que culminou na queda da ditadura em Portugal. O 25 de abril...

IBGE: número de domicílios com pessoas em insegurança alimentar grave em SP cresce 37% em 5 anos e passa de 500 mil famílias

O número de domicílios com pessoas em insegurança alimentar grave no estado de São Paulo aumentou 37% em cinco anos, segundo dados do Instituto...
-+=