Prémios “CNN Multichoice African Journalist Awards” distinguem meios de comunicação africanos

A CNN International e a MultiChoice lançaram oficialmente os “CNN MultiChoice African Journalist Awards 2014”. Esta competição, válida apenas para cidadãos africanos que trabalhem no continente, acolhe candidaturas de jornalistas que criem conteúdos destinados ao público africano.

“Desde o início, estes prémios descobrem e premeiam o melhor jornalismo de todo o continente africano. Tendo em conta que agora ainda mais contadores de histórias africanas podem partilhar o seu trabalho connosco, contamos receber mais candidaturas de grande qualidade. As categorias deste ano reflectem também a realidade africana actual dos meios de comunicação multiplataforma. Como principal serviço noticioso de África, temos o maior prazer em cumprir o nosso papel no apoio ao excelente jornalismo que estes prémios divulgam todos os anos”, explicou Tony Maddox, Vice-Presidente Executivo e Director Geral da CNN International, em nota de imprensa enviada ao VerAngola.

Nico Meyer, CEO da MultiChoice Africa, afirma que: “Neste nosso 10.º ano como parceiros dos “CNN MultiChoice African Journalist Awards” continuamos a ficar surpreendidos e a sentirmo-nos honrados pelo impacto fenomenal que esta iniciativa tem tido no continente africano. Ela tem sido, sem dúvida, decisiva na evolução da imprensa e do jornalismo de qualidade, destacando jornalistas de topo que podem competir directamente com os seus colegas de todo o mundo. Este ano prometemos voltar a destacar os melhores talentos jornalísticos de África.”

Os sul-africanos Msindisi Fengu e Yandisa Monakali receberam o grande prémio do ano passado na gala de entrega de prémios. O trabalho intitulado “Investigation Series: School Hostels of Shame” (Série de investigação: vergonha nas residências de estudantes) e publicado no jornal diário impresso sul-africano Daily Dispatch, investigou as condições chocantes em que vivem e estudam milhares de alunos da província do Cabo Oriental, na África do Sul, revelando riscos de higiene e segurança nas residências de estudantes e denunciando a corrupção existente no Ministério da Educação. Este trabalho foi selecionado entre 1387 candidaturas de 42 países de todo o continente africano.

Ao longo dos últimos 19 anos a competição cresceu em tamanho e estatuto, tornando-se o mais prestigiado evento da imprensa africana. Em 2013, um programa com os melhores momentos da cerimónia, que teve lugar na Cidade do Cabo, na África do Sul, foi transmitido em 46 países africanos, além do Reino Unido, EUA e Caraíbas.

A competição é aberta a jornalistas que trabalhem em qualquer meio de comunicação e irá reconhecer a excelência nas seguintes categorias: Prémio Cultura; The Coca-Cola Company Prémio de Economia e Negócios; Prémio GE Energia e Infraestruturas; Prémio Ambiente; Prémio MSD Saúde e Medicina; Prémio Impacto das Notícias; Prémio Fotográfico Mohamed Amin; Prémio Liberdade de Imprensa; Prémio Reportagem Desportiva; Prémios Notícias Generalistas Francófonas – Suporte Electrónico e Impresso e Prémios Notícias Generalistas em Língua Portuguesa – Suporte Electrónico e Impresso.

Um painel independente de jurados escolherá o vencedor geral de entre os vencedores destas várias categorias – o “CNN MultiChoice African Journalist 2014”. Os finalistas da competição de 2014 participarão num programa que incluirá um fórum multimédia e oportunidades de relacionamento com jornalistas prestigiados, editores, líderes empresariais e proprietários de cadeias noticiosas de todo o continente, culminando numa gala de entrega de prémios que decorrerá ainda este ano. O vencedor desta edição terá a oportunidade de participar no programma CNN Journalism Fellowship na sede da CNN em Atlanta. As candidaturas podem ser apresentadas através de um formulário disponível online no website da CNN (http://www.cnnmcaja.cnn.com).

 

Fonte: Ver Angola 

+ sobre o tema

A importancia do Negro

Essa é a história de um garoto chamado Theo que...

Un maire noir de Paris en 1879, effaçé des archives et de l’Hisoire

Severiano de Hérédia, Un maire noir de Paris Un Caribéen noir,...

13 de maio: viva 20 de novembro!

Foto de capa: retrato de Luiz Gama por Raul...

Africanos em condições sub-humanas são encontrados em Criciúma

Após uma denúncia, a Defesa Civil de Criciúma, no...

para lembrar

Após xingar treinador, Anelka é dispensado da seleção francesa

Nicolas Anelka está fora da Copa do Mundo. Neste...

FORO EMPODERAMIENTO MUJERES AFRODESCENDIENTES

Centro de la Mujer Panameña  (CEMP) y  la Red de...

Chávez, PSUV y Afrodescendientes

Por: Jesùs Chucho Garcia "Somos afrodescendientes. Unámonos pues,...
spot_imgspot_img

Geledés – Instituto da Mulher Negra abre novas turmas do Curso de Multimídia online e para todo Brasil 

O projeto de comunicação do Geledés – Instituto da Mulher Negra está abrindo novas turmas de formação em multimídia em parceria com o Zoom...

Morre Ykenga Mattos, que denunciou o racismo em seus cartuns, aos 71 anos

Morreu na manhã desta segunda-feira aos 71 anos o professor, sociólogo e cartunista carioca Bonifácio Rodrigues de Mattos, mais conhecido como Ykenga Mattos. Vítima...

Jornalistas negras para você acompanhar 

Seja na internet ou  na televisão, é notável o aumento de jornalistas negras que estão atuando em bancadas ou como repórteres. Essa presença entre...
-+=