Guest Post »

Projeto Geração XXI- Memória Institucional

O Geração XXI foi a primeira ação afirmativa em educação com jovens negros no Brasil.

 

Nome do Projeto: Projeto Geração XXI
Nome da organização:
 Fundação BankBoston
Qual a missão da organização? Contribuir para a melhoria da educação de crianças e jovens, garantindo a igualdade de oportunidades e o pleno desenvolvimento do seu potencial, por meio de ações desenvolvidas em parcerias e com a mobilização para o voluntariado.
Qual(is) a(s) área(s) temática(s) da organização? Educação
Qual(is) o(s) principal(is) público(s)-alvo da organização? Crianças e Jovens

IDENTIFICAÇÃO DO CASO DE PARCERIA

Caso de parceria: Projeto Geração XXI
Data do início da parceria (mês e ano): Março de 1999
A parceria está: Em andamento

DADOS DO CASO DE PARCERIA

Resumo da parceria:

O Geração XXI foi a primeira ação afirmativa em educação com jovens negros no Brasil. O projeto envolve 21 jovens negros de famílias de baixa renda de São Paulo e é desenvolvido através de uma parceria estratégica e também inaugural, envolvendo uma organização empresarial, a Fundação BankBoston, e uma ONG, o Geledés – Instituto da Mulher Negra, e contando com o apoio governamental da Fundação Cultural Palmares, do Ministério da Cultura.

A aliança social estratégica e a parceria estabelecidas a partir da proposta ampliam o seu potencial para além das ações junto aos jovens, o grupo familiar e a escola, visando também mobilizar a sociedade para o respeito aos direitos humanos e a adoção de ações afirmativas, principalmente nos meios empresarial, governamental e não governamental, expressão das instituições que realizam o Projeto Geração XXI.

Uma das principais propostas diz respeito ao desenvolvimento das discussões raciais no cenário nacional, promovendo o diálogo, a troca de experiências e iniciativas que tenham um alto poder de transformação para uma camada historicamente discriminada.

Fazemos isso por meio de uma troca permanente de experiências e compreensões tanto para dentro da instituição BankBoston, quanto para o público externo, com encontros periódicos denominados de Café Cultural (espaço para o debate de discussões raciais e sociais emergentes). Entendemos que é através deste exercício constante, ser possível contribuir de forma efetiva para a ampliação da compreensão de diferentes públicos acerca de um dos temas de fundamental relevância em nossa agenda nacional.

Quais os principais resultados já alcançados pela parceria?

Estamos hoje entrando no quinto ano de execução do projeto com muitos resultados positivos. Podemos destacar entre eles:

  • O desenvolvimento de um projeto dentro do próprio Geração XXI, chamado Família XXI, que visa promover o processo de geração e renda e de educação continuada para os familiares do projeto, envolvendo mais de 100 pessoas direta e indiretamente;
  • Em 2004, tivemos 20 jovens nas melhores universidades de São Paulo, em cursos que vão de Educação Física a Direito;
  • Conseguimos ampliar as discussões do Projeto Geração XXI a esferas de grande relevância, sendo hoje reconhecidos por esta iniciativa tanto no meio empresarial quanto nas organizações que promovem as questões raciais nacional e internacionalmente;
  • Estamos no desenvolvimento da segunda publicação sobre a temática, envolvendo as questões de Ação Afirmativa. O primeiro lançamento chama-se “Ações Afirmativas em Educação” e o segundo, que está no prelo, terá o título ” Para quem não acredita em ações afirmativas”, uma reflexão realizada pelos jovens sobre o processo que estão vivendo ao longo destes anos de Geração XXI;
  • Outro aspecto fundamental diz respeito à replicação deste modelo. O Geração XXI já inspirou outros projetos, como o Próxima Parada: Universidade, uma parceria entre o Geledés e a empresa Colgate-Palmolive, e o Afro-Ascendentes, de São Paulo, uma iniciativa do Instituto Xerox do Brasil que pretende alargar regionalmente e ampliar significativamente o apoio à inserção, permanência e ao sucesso de jovens negros nas universidades.

A parceria possui instrumentos de avaliação?

Contamos com um avaliador externo durante os dois primeiros anos de projeto – o Instituto Plural, cuja pesquisa estava sob a coordenação da professora Roseli Fischmann.

Quais as três principais dificuldades enfrentadas pela parceria e como elas foram superadas?

  • O fato de ter sido a primeira experiência em Ação Afirmativa no país – Em função deste fato, não tínhamos muitas referências a não ser das experiências internacionais, principalmente a norte-americana. Enfrentamos, juntamente com o Geledés, o desafio de desenvolver uma proposta pedagógica inovadora, que precisava se adequar às demandas e referências nacionais. Com isso, foi necessário um aprendizado conjunto, com inúmeras reuniões de reflexão acerca dos caminhos e perspectivas que o projeto poderia tomar entre as instituições envolvidas e que se mantém até hoje com as reuniões semanais de trabalho;
  • A própria seleção dos jovens que participam do projeto – Um dos aspectos que levamos em conta foi o nível sócio-econômico das famílias, que era de até 2 salários mínimos. Isso fez com que, ao longo do projeto, nos deparássemos com necessidades primárias de muitas delas. Isso acabou gerando o Projeto Família XXI;
  • Um aspecto fundamental, que só pôde ser avaliado após o início do processo, diz respeito à enorme defasagem de aprendizado dos jovens selecionados para o projeto, identificado como uma das causas de inúmeros anos de exclusão. Apesar de serem estudantes com boa performance em suas respectivas escolas, ao se transferirem para escolas particulares, o que estava previsto no projeto, fez-se necessário o desenvolvimento de uma série de atividades complementares, como suplementação escolar a atividades culturais, visando diminuir a enorme diferença das capacidades de compreensão e apreensão de conteúdos por parte desses jovens.

Em seu entendimento, quais são as principais lições aprendidas na parceria que podem ser compartilhadas com os demais investidores sociais privados?

Certamente, desenvolver um projeto como o Geração XXI traz uma reflexão bastante crítica acerca da situação dos jovens negros em nosso país. Foi e está sendo construída uma parceria bastante sólida, que atinge um dos principais aspectos de exclusão social em nosso país. Assim, entendemos que, ao longo deste processo, estamos em um caminho imensamente rico para a sensibilização e compreensão dos diferentes públicos envolvidos neste grande desafio, seja dos jovens dos projeto, de seus familiares, do Geledés ou dos funcionários do BankBoston.

O Projeto Geração XXI foi um marco importante de uma história que agora começa a ser desenvolvida pelas empresas pela necessidade das política de cotas. Assim sendo, pode ser mais um exemplo de como promover a discussão racial dentro dessas empresas, onde em muitos momentos pode ser compreendida superficialmente como simplesmente uma obrigação e que, sem dúvida, deixaria de lado uma discussão fundamental neste sentido.

Sem dúvida, trata-se de um caminho importante para a promoção da diversidade tão presente em nosso dia-a-dia na empresa, nas escolas públicas e privadas e agora nas universidades. Entendemos que é através de iniciativas como esta e outras em desenvolvimento que será possível um caminho fundamental para diminuir as diferenças sociais e raciais.

 

Fonte: Gif

Related posts