Rafaela Silva: O macaco que tinha que estar na jaula hoje é campeão

Após conquistar a primeira medalha de ouro para o Brasil nos Jogos Olímpicos Rio 2016, a judoca Rafaela Silva fez um desabafo ao sair do tatame ao lembrar os ataques racistas que sofreu no Twitter após ser desclassificada na olimpíada de Londres em 2012, por aplicar um golpe proibido contra uma adversária; “Já passou, tem quatro anos. Eu só posso falar: o macaco que tinha que estar na jaula em Londres hoje é campeão olímpico em casa. Hoje eu não sou a vergonha para a minha família”, afirmou Rafaela

Do Brasil247

Após conquistar a primeira medalha de ouro para o Brasil nos Jogos Olímpicos Rio 2016, nesta segunda-feira (8), a judoca Rafaela Silva fez um desabafo ao sair do tatame.

“Treinei muito depois de Londres porque não queria repetir o sofrimento. Depois da minha derrota, muita gente me criticou, disse que eu era uma vergonha para minha família, para meu país. E agora sou campeã olímpica”, disse a atleta ao SporTV depois de derrotar a mongol Sumiya Dorjsuren.

Rafaela relembrou os ataques racistas que sofreu no Twitter após ser desclassificada na olimpíada de Londres em 2012, por aplicar um golpe proibido. “Já passou, tem quatro anos. Eu só posso falar: o macaco que tinha que estar na jaula em Londres hoje é campeão olímpico em casa. Hoje eu não sou a vergonha para a minha família”, afirmou a judoca.

Carioca, Rafaela saiu da periferia para crescer no esporte até conquistar a primeira medalha dourada do Brasil na Rio-2016.

“É muito bom para as crianças que estiverem agora assistindo o judô. Se eu pude ajudá-las com esse resultado. Mostrar que uma criança que começou no judô por brincadeira hoje é campeã mundial e campeã olímpica. É inexplicável. Se elas tiverem um sonho, têm que acreditar, porque ele pode se realizar”.

+ sobre o tema

Militância negra nas Universidades Públicas: ensinamentos do século 20

“Não há revolução sem teoria revolucionária!” A tese é...

“Já mataram minha mãe e meu irmão. O próximo sou eu”

Na última quinta-feira (17), a líder quilombola e ialorixá...

Instituições sabem que racismo influencia seus mecanismos, diz Jurema Werneck

Em entrevista à CNN, a diretora-executiva da Anistia Internacional no...

Obama pede investigação de morte de jovem negro por vigia na Flórida

Morte de Trayvon Martin, 17, nas mãos de vigia...

para lembrar

Rodeo racista contra Obama indigna americanos

Um dos espetáculos de rodeo da feira do estado...

Quanto custa assassinar a juventude negra? R$ 79 bilhões por ano

Morte prematura de jovens custa R$ 79 bilhões por...

MPL ataca ‘pauta conservadora’ em protestos e aceita partidos em ato

Após os diretórios municipais e estadual do PT chamarem...

Eles seguraram aqui ó (aponta pra garganta).Violência policial contra adolescentes

por Cecília Oliveira "Eles seguraram aqui ó (aponta pra...
spot_imgspot_img

Nem a tragédia está imune ao racismo

Uma das marcas do Brasil já foi cantada de diferentes formas, mas ficou muito conhecida pelo verso de Jorge Ben: "um país tropical, abençoado...

Futuro está em construção no Rio Grande do Sul

Não é demais repetir nem insistir. A tragédia socioclimática que colapsou o Rio Grande do Sul é inédita em intensidade, tamanho, duração. Nunca, de...

Kelly Rowland abre motivo de discussão com segurança em Cannes: ‘Tenho limites’

Kelly Rowland falou à imprensa sobre a discussão que teve com uma segurança no tapete vermelho do Festival de Cannes durante essa semana. A cantora compartilhou seu...
-+=