A rua é a voz

por  Lelê Teles via Guest Post para o Portal Geledés

 

Reprodução/ Twitter

 

ensinaram-lhe, desde pequeno, a ter vergonha de si mesmo.

a escola, o cinema, a publicidade, os jornais e, até a igreja, mostravam desprezo pela sua aparência.

diziam que eram ruins o seu cabelo e o seu cheiro.

que eram feios os seus lábios, o seu nariz, o tom da sua pele…

ele pensava nisso enquanto ajeitava o black power frente ao espelho.

nos fones, ouvia o boogie naipe, do Brown.

admirou seu corpo musculoso e, em seguida, vestiu sua camisa preta preferida.

nela estava escrito, em letras enormes, 100% NEGRO.

sorriu, piscou, mandou um beijo para si mesmo e foi pra rua.

enegrecer o mundo.

palavras sapienciais.

 

** Este artigo é de autoria de colaboradores ou articulistas do PORTAL GELEDÉS e não representa ideias ou opiniões do veículo. Portal Geledés oferece espaço para vozes diversas da esfera pública, garantindo assim a pluralidade do debate na sociedade.

+ sobre o tema

para lembrar

“Não me venha falar da malícia de toda mulher”

Não me venha falar da malícia de toda mulher”:...

Racismo e Solidão, precisamos falar sobre isso

Vamos falar sobre cor? Não, não vamos falar sobre...

Pela Ampliação da Maioridade Penal!

Em tempos de PEC 171, que propõe o rebaixamento...

Exposição “todo dia é dia 18”

Campanha “todo dia é dia 18” O objetivo da campanha...
spot_imgspot_img

Invisibilidade social: a cor da desigualdade

Hoje, 20 de novembro, dia em que escrevo este breve artigo, é dia de Zumbi dos Palmares e da Consciência Negra. Não tenho a...

‘Muita gente que dá aula de história da África, na verdade, está dando aulas de história da escravidão’

O senhor fez sua trajetória na universidade em um dos ambientes mais efervescentes do país para o debate sobre as Ciências Sociais, o IFCS/UFRJ...

Ainda tenho esperança

Gostaria de expressar meus sentimentos a todos que como eu, não desistiram de lutar.Os sentimentos que estou expressando, são sentimentos de orgulho e admiração!De...
-+=