Santo André adere à luta contra o câncer de mama

Santo André ganha nova cor em outubro. De hoje até o final do mês, o Paço Municipal será iluminado com refletores cor-de-rosa, simbolizando sua adesão ao Outubro Rosa, uma iniciativa norte-americana que visa chamar a atenção para a prevenção do câncer de mama.

A cor remete ao laço que simboliza mundialmente essa luta, e a idéia de iluminar prédios públicos de grande magnitude é chamar a atenção de cada vez mais pessoas. Segundo dados do INCA (Instituto Nacional do Câncer), até o final do ano, o câncer de mama fará 49.000 vítimas, das quais 12.000 não sobreviverão. “Quando diagnosticado no começo, o câncer de mama tem 99% de chance de ser curado”, afirmou a presidente da ONG andreense Viva Melhor, Vera Chiazelli Teruel. A Viva Melhor é especializada no atendimento de mulheres que já tiveram esse tipo de câncer e que tiveram que retirar uma parte ou toda a mama. A ONG promove reuniões semanais, oferecendo apoio psicológico e doações de próteses móveis para auxílio no reestabelecimento da paciente.

Vera crê que o principal desafio para prevenção doença ainda seja a falta de informação e vê na iniciativa uma forma de lembrar a importância da prevenção. “Acredito que com essa ação as pessoas vão ficar mais atentas. É uma forma de chamar a atenção”, disse a presidente da ONG, que atualmente atende em e Santo André e São Bernardo.

Santo André foi a primeira cidade do Grande ABC a aderir. São Paulo foi a primeira do Brasil quando, em 2002, iluminou em rosa o monumento Mausoléu do Soldado Constitucionalista, mais conhecido como Obelisco do Ibirapuera. Outros monumentos como a Ópera de Arame, em Curitiba, e o Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, também já foram iluminados.

 

 

Fonte: dgabc

+ sobre o tema

Aventuras de uma feminista no engate online

O que é que pode acontecer quando uma mulher...

Estudantes acusam professor da UFF de machismo e injúria racial

Duas alunas da Universidade Federal Fluminense (UFF) relatam ter...

Licença-maternidade impede o progresso. Que a mãe trabalhe e o bebê também

Tive a oportunidade de ver, com estes olhos que...

para lembrar

Kaddish para Marielle Franco

O Kaddish é a oração pela qual a tradição...

África elege o seu primeiro deputado assumidamente gay

Zakhele Mbhele é ativista do movimento LGBT e, há...

Voz ativa contra o preconceito, Karol Conka assume o comando do ‘Superbonita’ e finaliza novo disco

‘Os esquisitos também existem’, diz a rapper curitibana que...

TJSP é primeiro do País a aderir às diretrizes da ONU contra o feminicídio

Tribunal de Justiça de São Paulo lança campanha ‘Isso...
spot_imgspot_img

Pesquisadora aponta falta de políticas para diminuir mortalidade materna de mulheres negras no DF

"O Brasil é um país muito difícil para uma mulher negra ser mãe, por diversos fatores, dentre eles as dificuldades de acesso a saúde pública,...

Documentário sobre Lélia Gonzales reverencia legado da ativista

Uma das vozes mais importantes do movimento negro e feminista no país, Lélia Gonzales é tema do Projeto Memória Lélia Gonzalez: Caminhos e Reflexões Antirracistas e Antissexistas,...

Aborto legal: ‘80% dos estupros são contra meninas que muitas vezes nem sabem o que é gravidez’, diz obstetra

Em 2020, o ginecologista Olímpio Moraes, diretor médico da Universidade de Pernambuco, chegou ao hospital sob gritos de “assassino” porque ia interromper a gestação...
-+=