quarta-feira, maio 25, 2022
InícioQuestões de GêneroMulher NegraSesc Pinheiros realiza o encontro “Autoria Negra na Literatura Contemporânea”

Sesc Pinheiros realiza o encontro “Autoria Negra na Literatura Contemporânea”

  • Debate com curadoria e condução de Cidinha da Silva convida as escritoras Ana Maria Gonçalves e Fernanda Miranda
  • O encontro virtual acontece quinta-feira, 2 de julho, às 20h, ao vivo no YouTube do Sesc Pinheiros (youtube/sescpinheiros)

O Sesc Pinheiros apresenta o projeto “Autoria Negra na Literatura Contemporânea”, uma série de encontros mensais ao vivo com escritoras negras da atualidade. Com curadoria de Daniel Ramos (técnico de literatura do Sesc Pinheiros) em parceria com Cidinha da Silva, o projeto abre um panorama da literatura de autoria de mulheres negras no Brasil. Os encontros abrangem escritoras de diversas localidades, sempre compostos por duas autoras e com mediação da curadora Cidinha da Silva.

Nessa quinta-feira, 2 de julho, às 20h, temos a autora Ana Maria Gonçalves (Minas Gerais) e a pesquisadora Fernanda Miranda (São Paulo).

“Autoria Negra na Literatura Contemporânea” busca debater a produção contemporânea de literatura feita no Brasil a partir da diversidade de vozes, gêneros e sobre questões raciais que atravessam nossa sociedade e história. Tensionar o cânone literário destas relações em questão, refletindo sobre a autoria negra e feminina e mostrar a amplitude que a criação literária atinge são algumas das propostas do projeto.

As primeiras convidadas são: Ana Maria Gonçalves e Fernanda Miranda. A escritora mineira, Ana Maria, é autora de “Um defeito de cor” (Record), lançado em 2006, que conta a travessia de uma idosa africana em busca do seu filho no Brasil. Já Fernanda Miranda se dedica ao estudo da autoria negra na literatura e às discussões sobre cânone e poder, sistema literário e racismo, descolonização e narrativa. Publicou “Silêncios Prescritos: estudo de romances de autoras negras brasileiras – 1859/2006” (editora Malê, 2019).

Biografias
Cidinha da Silva nasceu em Belo Horizonte, em 1967. É escritora e editora na Kuanza Produções. Publicou 17 livros entre crônicas, contos, ensaios, dramaturgia e infantil/juvenil. “Um Exu em Nova York” recebeu o Prêmio da Biblioteca Nacional (contos, 2019) e “Explosão Feminista” (ensaio), do qual é coautora. Foi finalista do Jabuti (2019) e recebeu o Prêmio Rio Literatura 4ª edição (2019). Tem publicações em alemão, catalão, espanhol, francês, inglês e italiano. Seus livros estão disponíveis no site da Kuanza Produções: www.kuanzaproducoes.com.br.

Ana Maria Gonçalves nasceu em 1970, em Ibiá, Mina Gerais. Publicitária por formação, residiu em São Paulo por treze anos até se cansar do ritmo intenso da cidade e da profissão. Em viagem à Bahia, encantou-se com a Ilha de Itaparica, onde fixou moradia por cinco anos e descobriu sua veia de ficcionista, dedicando-se integralmente à literatura e ao multifacetado universo cultural da diáspora africana nas Américas. É autora do livro “Um defeito de cor” e conquistou o importante Prêmio Casa de Las Américas de 2006, como melhor romance do ano.

Fernanda Miranda é pós-doutoranda na USP (2019). Doutora em Letras – área de Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa, pela Universidade de São Paulo (2019). Possui Bacharelado em Letras pela Universidade de São Paulo (2009) e mestrado em Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa pela Universidade de São Paulo (2013). Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Literatura Comparada, Literatura de autoria Negra, Literatura Brasileira, Cânone e silenciamento, Estudos pós-coloniais, Literatura e sociedade, Romance afro-Atlântico, Mulher e literatura.

 

Artigos Relacionados
-+=