domingo, setembro 19, 2021
InícioQuestões de GêneroViolência contra MulherSite oferece guia sobre 'como estuprar uma mulher na UFMG'

Site oferece guia sobre ‘como estuprar uma mulher na UFMG’

Texto afirma que ‘a mulher mineira é famosa por ser vagabunda e arredia’, e que a única maneira de ‘corrigir’ isto é violentando-a sexualmente; página ainda traça perfil de vítima que seria ‘mais fácil’ e dá dicas de situações favoráveis para o ataque

Do O Tempo

O assunto é discutido à exaustão. No entanto, cada vez mais aparecem casos de falta de respeito com as mulheres. Um dos mais atuais é o site que coloca à disposição dos internautas guias de como estuprar mulheres na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), entre outras universidades.

O autor, que ainda não foi identificado e localizado, inicia o texto afirmando que “a mulher mineira é famosa por ser vagabunda e arredia, e a única maneira de corrigir isto é a violentando sexualmente”. No decorrer do manual, que foi feito em cinco tópicos, o criminoso monta um tipo de mulher que, para ele, seria uma vítima fácil e ainda aponta quais são as situações favoráveis para o ataque.

No último tópico, o autor aconselha o internauta: “Pode sair vazado, não vai dar em nada, tu é branco e estudante da UFMG. A culpa irá cair em um daqueles mendigos que rondam o campus”.

Além dos absurdos relacionados ao crime de estupro, o site ainda usa fotos de outras pessoas que não têm participação na criação da página e também acabam se tornando vítimas. Esse foi um problema enfrentado por um morador do Ceará.

No dia 15 de janeiro, ele foi até a Delegacia de Defraudações e Falsificações do Estado e registrou um boletim de ocorrência. No documento, ele afirma que fotos suas estão na página e o nome dele é indicado como sendo o criador dos guias. Para piorar, o denunciante afirma que está sendo ameaçado de morte e aponta o nome de um suspeito.

A reportagem de O TEMPO fez contato com assessoria de imprensa da Polícia Civil (PC) do Ceará e foi informada que a denúncia relacionada ao site já foi encaminhada ao Ministério Público e que o caso é investigado pela Polícia Federal, que tem sua sede em Fortaleza.

Repercussão em Minas Gerais

Por meio da assessoria da PC, o delegado da Delegacia Especializada de Investigações de Crimes Cibernéticos, Daniel Rocha, informou que nenhuma ocorrência foi registrada em Minas com relação ao site.

De acordo com o artigo 286 do Código Penal, a incitação de crime tem pena que varia de três a seis meses de prisão ou multa.

Por meio de nota, a UFMG informou que tomou conhecimento do caso nesta terça-feira (22), data em que foi procurada pelo Portal O TEMPO. Ciente do site, a Administração Central da UFMG informou que solicitou à Procuradoria Jurídica que encaminhe denúncia e tome todas as providências cabíveis contra a página por seu conteúdo explícito de crimes de violência contra a mulher.

No comunicado, a universidade “reafirma o seu compromisso com a diversidade, a liberdade de pensamento e o debate democrático e repudia  qualquer tipo de comportamento discriminatório, seja ele de caráter machista, sexista, racista, homofóbico, entre outros, que desrespeitem a dignidade humana”.

A Polícia Federal de Minas também foi procurada, mas ainda não se manifestou.

Tema de redação

O desrespeito a mulheres ganhou espaço no último Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), sendo o tema da redação “A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira”.

 

RELATED ARTICLES