terça-feira, março 2, 2021

Tag: reprentatividade

Ana Hikari (Reprodução/Insytagram/@ _anahikari)

Ana Hikari, 1ª protagonista asiática da TV: ‘Passei a vida reduzida a japa’

Em décadas de TV Globo, apenas uma atriz de ascendência asiática ocupou o posto de protagonista de uma novela: Ana Hikari, em "Malhação: Viva a Diferença". A temporada que foi ao ar em 2017 é celebrada até hoje por girar em torno de cinco protagonistas mulheres, dentre elas duas não brancas e uma LGBTQ+. O sucesso foi tanto que a trama, criada por Cao Hamburger (o mesmo de "Castelo Rá-Tim-Bum") venceu o Emmy Internacional e ganhou um spin-off: "As Five", série de 10 capítulos que mostra as mesmas protagonistas, mas no início da vida adulta, na faixa dos 24 anos — dois a menos que Ana atualmente. À Universa, a atriz reflete sobre a importância de a televisão assumir compromisso com questões de gênero, raça e classe — assuntos que ela busca estudar mais a cada dia. Foi assim que se descobriu amarela: lendo sobre feminismo negro. Agora, Ana quer uma segunda protagonista, ...

Leia mais
Bianca Smith, primeira treinadora negra da história do beisebol profissional nos EUA Imagem: Divulgação/Boston Red Sox

Boston Red Sox contrata primeira treinadora negra da história da MLB

O Boston Red Sox contratou recentemente a primeira mulher negra para ser treinadora de uma equipe de beisebol em toda história da MLB, liga profissional da modalidade nos EUA. Bianca Smith, de 29 anos, será técnica do time que joga uma liga secundária. Bianca trabalhou como treinadora assistente na Carroll University, em Wisconsin, e na Universidade de Dallas, além de já ter sido jogadora de softball no Darmouth College. "Eu acho que é uma grande oportunidade também para inspirar outras mulheres que estão interessadas neste esporte', disse Smith à MLB Network. "Isso não é algo que eu pensasse quando eu era mais jovem", complementou. Primeira negra na MLB, Bianca Smith não é a primeira mulher a trabalhar na liga. Em novembro, o Miami Marlins contratou Kim Ng como gerente geral, tornando-a a primeira mulher a assumir o posto em uma das quatro principais ligas de esportes profissionais nos EUA (NFL, NBA, ...

Leia mais
Cidinha Raiz, pré-candidata a vereadora pelo Podemos em SP: primeira negra a disputar uma vaga no Senado pelo estado em 2018 (Foto: Imagem retirada do site Universa)

Mulheres negras na política: “Verba vai primeiro para loiras de olho azul”

Desde que a primeira mulher negra foi eleita para um cargo político no Brasil (Antonieta de Barros se elegeu deputada estadual em Santa Catarina, em 1935), o país caminhou pouco. Passados 85 anos, mulheres negras não chegam a 1% das assembleias legislativas e a 5% das câmaras de vereadores. Nas prefeituras do país, também são subrepresentadas: 3% ocupam o cargo máximo dos executivos municipais. Não há uma sequer comandando uma capital. Os números escancaram a falta de representatividade, uma vez que elas compõem 25% da população brasileira. Em 2020, nas eleições para câmaras de vereadores e prefeituras, há maior mobilização por parte de possíveis candidatas, de coletivos para ajudá-las nas campanhas e de partidos para aumentar o quadro de candidaturas. Mas por que há tão poucas mulheres negras na política brasileira? E por que é importante que esses números aumentem? Universa conversou com pré-candidatas e nomes experientes para responder a ...

Leia mais
blank

Barbie apresenta linha somente com bonecas negras e nós amamos

Para o Mês da História Negra – o equivalente nos EUA ao Mês da Consciência Negra no Brasil – a Barbie resolveu homenagear a data criando uma linha de bonecas somente com negros: desde juízes, médicos e influencers, a Mattel apresentou as novas bonecas através da conta oficial da boneca no Instagram. Por Yuri Ferreira, do Hypeness Nova coleção de bonecas negras lançadas pela Mattel (Reprodução/Instagram/@barbie) É inegável que representatividade importa. Essas bonecas podem parecer simples para muita gente, mas são um símbolo para milhões de pessoas negras que nunca se viram representadas num brinquedo durante a infância. “Barbie está empenhada em mostrar às meninas que elas podem ser tudo o que quiser. Esse é o Mês da história negra”, afirmou a Mattel na publicação oficial do Instagram. A mensagem clara é um sinal de que o padrão de beleza vem aos poucos sendo quebrado. E ...

Leia mais
As criações da publicitária Taynara Cabral. Foto: BRENNO CARVALHO / Agência O Globo

Agendas, cadernos e calendários com temáticas feminista e antirracista ganham destaque na papelaria nacional

Falta de representatividade e a vontade de colocar em pauta personagens invisibilizados move artistas Por Talita Duvanel, do O Globo As criações da publicitária Taynara Cabral. Foto: BRENNO CARVALHO / Agência O Globo Nas folhas de um caderno cabem uma carta de amor, uma receita de bolo, um poema concreto ou a planta da casa dos sonhos. Nada mais justo que a capa desse item — ainda indispensável mesmo em tempos de smartphone — tenha uma imagem inspiradora. Mas tente encontrar, numa livraria ou papelaria, algo que saia do lugar comum e provoque algum tipo de reflexão. Foi essa a dificuldade da pedagoga paulista Ana Claudia Silva, da Afra, uma das marcas mais importantes no cenário da “papelaria de resistência”, um crescente negócio que imprime questões de raça e gênero nos outrora “triviais” cadernos e agendas. “Todo começo de ano, quando ia comprar material escolar, não ...

Leia mais
MARIO ANZUONI / REUTERS Os cineastas Karen Rupert Toliver e Matthew A. Cherry recebem o Oscar de Melhor Cuta Animação.

‘A representação importa’, diz diretora de ‘Hair Love’, Oscar de Curta de Animação

“Queremos ter mais representatividade na animação”, disse a cineasta Karen Rupert Toliver. No Huffpost Os cineastas Karen Rupert Toliver e Matthew A. Cherry recebem o Oscar de Melhor Cuta Animação. (Foto: MARIO ANZUONI / REUTERS) “A representação importa profundamente. Queremos ter mais representatividade na animação. Precisamos normalizar o cabelo negro”, disse a diretora Karen Rupert Toliver ao conquistar o Oscar de Melhor Curta de animação na noite deste domingo (9), com Hair Love. A animação, que dirigiu junto com Matthew A. Cherry, conta a história de um pai que teve de pentear sua filha pela primeira vez, pois sua esposa está tratando de um câncer em um hospital. Veja o curta aqui: Além de dedicar o prêmio a estrela da NBA, Kobe Bryant, que morreu em um acidente de helicóptero em janeiro, Cherry celebrou o jovem DeAndre Arnold, que estava presente na cerimônia. DeAndre é um ...

Leia mais
Omar Freitas / Agencia RBS

É muito bom ligar a TV e receber um “Bom Dia” da Fernanda Carvalho

A colonização alemã do estado do Rio Grande do Sul foi projeto em larga escala do governo brasileiro. É um estado quase germânico. Por Raízes da África, no Cada Minuto Fernanda Carvalho, apresentadora do Jornal Bom Dia (Foto: Omar Freitas / Agencia RBS) A população preta gaúcha gira em torno de 18%. Em Porto Alegre, a capital, o percentual é de 24%. Fernanda Carvalho é jornalista formada há mais de 12 anos. Foi apresentadora dos programas 'Nação' e 'Panorama', na TVE, e, hoje empresta sua bela imagem e competência ao telejornal da TV mais vista no estado, a RBS TV. É o "Bom Dia" de lá. Semana passada, ao ligar a TV ,em Porto Alegre recebi um "Bom Dia" da Fernanda, e me senti em casa. Representatividade! O Rio Grande é uma terra germânica, e Fernanda Carvalho é uma guria preta, jornalista e ativista. E não ...

Leia mais
Clariza Rosa e Helena Gusmão, ao lado de mais dois sócios, fundaram a Silva - agência de casting, produtora de moda e comunicação voltada para narrativas negras e periféricas Foto: Taba Benedicto/Estadão

Empreendedores criam negócios para aumentar representatividade negra na publicidade

De casting de modelos a banco de imagens, eles buscam retratar maioria negra da população brasileira sem estereótipos Por Marina Dayrell e Fernando Scheller, do Estadão   Em um país em que 54% da população se declara negra, a face brasileira representada na mídia e na publicidade ainda é majoritariamente branca. Ao longo da última década, o debate sobre diversidade – racial, de gênero e identidade sexual – ganhou força no marketing. Isso leva a mudanças em grandes agências de publicidade e incentiva a criação de novos negócios voltados à representação negra na mídia e na cultura. "Hoje se fala muito de diversidade no campo social, que é muito importante, mas também é preciso falar do mercado consumidor. Faz parte da nossa vida consumir produtos e serviços", destaca o publicitário e fundador da aceleradora Vale do Dendê (que investe em startups da economia criativa criadas na cidade de Salvador), Paulo ...

Leia mais
Reprodução/Globo

“A gente precisa se ver nos lugares”: Iza critica meritocracia e racismo no Domingão do Faustão

"Por conta da minha profissão, essa questão do assédio, do racismo, não some, né? Ela fica velada", comentou a cantora Na Revista Fórum Imagem: Reprodução/Globo Durante sua participação no Arquivo Confidencial, quadro do programa Domingão do Faustão, da Globo, a cantora Iza falou neste domingo (12), emocionada, sobre o sucesso de sua carreira. Para ela, apesar de ter uma profissão de destaque e ser respeitada em seu meio, o racismo e o preconceito persistem no dia a dia. A cantora também fez críticas à meritocracia e pediu por mais representatividade. “Acho que todas as mulheres aqui já passaram por isso. Quantas vezes a gente é cantada no caminho para o trabalho? E aí, por conta da minha profissão, essa questão do assédio, do preconceito, a questão do racismo, não some, né? Ela fica velada”, comentou a artista. “As pessoas têm aquele receio de se expressarem da ...

Leia mais
blank

Falando sobre diversidade

por Flaviana Menezes via Guest Post Nas minhas palestras, pergunto aos adolescentes: – Vocês conhecem os Pokémons? – Sim! Tem o Bulbasaur, o Butterfree, o Weedle, o Kakuna, o Pikachu, o Raichu, o Nidoqueen… – Legal! Os pokémons são todos iguais? -Não! Eles são diferentes! – Mas vocês gostam deles mesmo assim? – Sim! Eles são muito legais! Eles têm poderes e evoluem e… e… – Então vocês me disseram que – mesmo com toda diferença entre eles – vocês gostam muito deles. Como os Pokémons, nós todos somos diferentes! Aqui na sala há pessoas altas, baixas, magras, gordas, com a pele clara, com a pele escura, pessoas que têm mais dificuldades com Matemática do que com História e Geografia. Isso é diversidade! É pluralidade! Eu posso colocar todos os Pokémons na mesma pokebola? – Não! – Por que? – Porque eles são diferentes! – Conosco acontece o mesmo. Não ...

Leia mais

Welcome Back!

Login to your account below

Create New Account!

Fill the forms bellow to register

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Add New Playlist