Tiro no pé ambiental

Congresso está disposto a vender o protagonismo climático do país a preço de banana

O Congresso pressionou, e o governo cedeu justamente nas áreas —climática e ambiental— que fazem este país ser relevante aos olhos do mundo. Ao desidratar parte das pastas do Meio Ambiente e dos Povos Originários, a nova estrutura ministerial atira nos pés do próprio país, apequenando a política que Lula passa horas e horas em voos internacionais defendendo como prioritária.

No chão da realpolitik, o Congresso está disposto a vender o protagonismo climático do país a preço de banana (cargos), deveras barato perto do que ser líder mundial nos traria, inclusive economicamente.

Faltou ao governo, ademais, cacifar a agenda climática como inegociável, porque (queiram ou não) é central ao sucesso do Lula 3, como o próprio presidente bem sabe.

No espaço de uma semana, o governo titubeou e tardou para arbitrar disputas internas quanto a petróleo na foz do Amazonas, viu seu ministro da Agricultura falar a favor do marco legal na TV e testemunhou o Congresso atropelar as pastas do Meio Ambiente e dos Povos Indígenas, enquanto Marina Silva, com a altivez que lhe é peculiar, era sabatinada duramente por parlamentares.

Custo a acreditar na tese da inevitabilidade da desidratação das pastas de Marina Sonia Guajajara: de um lado, o Congresso não impôs à Casa Civil o mesmo destino e, de outro, ou o governo estaria sem nenhuma carta na manga para ceder em outras áreas (o que denotaria sua fraqueza) ou o centrão estaria com tanta fome que seria mais vantajoso ao primeiro-ministro, Arthur Lira, agradar à bancada ruralista do que ao governo (o que denotaria desarticulação). Ou um ou outro, o sinal não é positivo.

Enquanto mulheres pretas e indígenas no poder são vistas como “ideológicas”, cabe perguntar a qual ideologia os homens brancos, ditos técnicos, servem senão a si mesmos.

Ou Lula coloca a casa em ordem, alinhando articulação ao discurso ambiental, ou vai ter que justificar por que a boiada continua a passar sob sua guarda.

+ sobre o tema

Quilombolas participam de oficina sobre direitos humanos

Começa nesta sexta-feira (19), as “Oficinas de Formação de Agentes...

Obama precisa se justificar perante o Congresso sobre ação militar na Líbia

A Casa Branca enviou, nesta quarta-feira, um dossiê de...

Black power: os negros na eleição de Salvador

Hamilton Silva, do PSOL, quer ser prefeito de...

O duplo desafio de Obama

- Fonte: O Estado de São Paulo - Conforme...

para lembrar

O pessoal é político… mas, pera lá! – Por: Camilla de Magalhães Gomes.

Nos últimos dias andei tendo várias conversas online sobre...

Iniciativas dentro e fora dos partidos buscam fortalecer candidaturas negras

A onda de protestos antirracistas que se espalhou por...

Em defesa da vida e dos direitos políticos de mulheres negras LGBTQIA+

O ano legislativo mal teve início e alguns dias...

Ex-ministros se unem contra Bolsonaro para denunciar ameaça de golpe

Eles são de diferentes ideologias, de diferentes partidos. Trazem...

Brasil quer levar desigualdade e impostos para a mesa de discussão do G20

O governo brasileiro pretende levar para a mesa de discussão do G20 os efeitos da desigualdade e sua relação como a política econômica e...

Primeira mulher trans a liderar bancada no Congresso, Erika Hilton diz que vai negociar ‘de igual para igual’

A deputada federal Erika Hilton (PSOL-SP) foi aclamada nesta quarta-feira como líder da bancada da federação PSOL-Rede, que hoje conta com 14 deputados, se tornando a...

Segunda mulher negra na história do TSE toma posse como ministra da Corte

Primeiro foi a mineira Edilene Lôbo, advogada de Taoibeiras (MG) que em 8 de agosto de 2023 foi pioneira ao tomar posse como primeira...
-+=