segunda-feira, junho 1, 2020

    Tag: Thiago Amparo

    Thiago Amparo (Arquivo Pessoal)

    Negros queimam mito da democracia americana

    Os EUA estão em chamas. Não são somente os prédios que ardem ali. Nas ruas de Nova York, Minneapolis, Atlanta e tantas outras cidades construídas, literalmente, sobre os ossos de escravizados, negros e negras queimam o mito fundante de um país livre e igual. “Os ideais fundadores da nossa democracia eram falsos quando foram escritos. Foram os negros americanos que lutaram para torná-los realidade”, escreveu no ano passado Nikole Hannah-Jones. Reencena-se a violência racial como espetáculo. Hoje e outrora. 1921, Tulsa, Oklahoma. Aviões particulares jogam bombas sobre comércios na chamada Black Wall Street, destruindo dezenas de quarteirões e matando centenas de pessoas negras. 1963, Birmingham, Alabama. Bombas contra líderes de direitos civis eclodem. Protestos são massacrados pela polícia. Uma foto brutalmente icônica mostra um policial com o joelho enforcando uma mulher negra. Semelhança sombria com a cena de George Floyd sendo assassinado em Minneapolis no último dia 25. Da prisão ...

    Leia mais
    Arquivo Pessoal

    Utopia para meninos negros

    São Gonçalo (RJ), João Pedro Matos Pinto, 14. João brincava com seus primos no jardim. Com que brincava João Pedro? Imaginemos algo que lhe dê alegria. Ali está João Pedro, brincando de videogame com seus primos. João Pedro corre para lá e para cá no jardim de sua casa. João Pedro se deita na grama e ri. João Pedro ri. João Pedro se pergunta quando voltará pra escola. João Pedro quer mesmo é saber o que teremos hoje para jantar. João Pedro vive. Quero imaginar que os 72 tiros contra casa de João Pedro não o definem. Quero imaginar que os meninos negros mortos têm nome, sonhos e viviam. Vinte e quatro adolescentes foram baleados na Grande Rio; desses, 11 morreram, de acordo com o levantamento de abril do laboratório de dados de violência Fogo Cruzado. Em abril deste ano, aumentaram em 58% os óbitos em operações policiais no RJ ...

    Leia mais
    arquivo pessoal

    Morre-se em casa por Covid-19

    “No dia seguinte ninguém morreu.” É assim que começa o livro de José Saramago sobre um país onde a Morte, em pessoa, decide parar de matar. Intitulada “Intermitências da Morte”, a obra joga luz sobre a engrenagem social da morte —médicos, funerárias, cemitérios, igrejas, jornais. Se ali se parou de morrer, aqui se principia a morrer silenciosamente. Em casa, por Covid-19. Enquanto ministros de Estado se enfileiram atrás de um projeto político já defunto e os cavaleiros do apocalipse político desviam nossa atenção da pandemia, a morte não para. E é ela que deveríamos focar neste momento. Reportagem em O Globo deste domingo (26), de autoria de Yan Boechat e Gustavo Basso, sugere o tamanho da tragédia silenciosa. Em São Paulo, o número de mortes em casa dobrou durante a pandemia de Covid-19. Histórias se repetem. Pacientes com sintomas leves procuram serviço de saúde, voltam para casa, e subitamente pioram, ...

    Leia mais
    arquivo pessoal

    Por que a Covid-19 é tão letal entre os negros?

    Raça estrutura condições desiguais de enfrentar pandemia Por Thiago Amparo, da Folha de São Paulo Thiago Amparo (Arquivo Pessoal)   “Como nas pragas anteriores, todos que podiam se dar ao luxo de fugir de Londres o fizeram, mas as classes mais pobres nos subúrbios populosos de ambos os lados do rio Tâmisa foram deixadas para trás e foram elas que mais sofreram.” Não se trata de uma descrição da atual pandemia, mas, sim, do impacto das pestes europeias em Londres no século 17 por Scott e Duncan no livro “Biology of Plagues” (Biologia das pragas), de 2001. Seja a Inglaterra setecentista ou o Brasil de hoje, pandemias agravam desigualdades preexistentes. Fatores de risco, como diabetes e doenças cardíacas, atingem em maior intensidade os mais pobres, demonstram Luiza Pires, Laura Carvalho e Laura Xavier no relatório “Covid-19 e desigualdade”. Ali elas apontam que acesso aos sistemas de ...

    Leia mais
    Thiago Amparo - Folha de São Paulo

    Truculência nas ruas materializa autoritarismo nada gradual

    Para negros, LGBTs, pobres e mulheres, a deterioração democrática é endêmica Por Thiago Amparo, da Folha de S.Paulo Thiago Amparo, pesquisador na área de direitos humanos - Arquivo Pessoal Abra o jornal deste domingo (01). Na noite de sábado (30), em Salvador, um homem entrou num bar LGBT e, arrastando uma mulher pelos cabelos, ameaçou de morte a todas pessoas ali presentes, em sua maioria mulheres lésbicas. Foi preso em flagrante, sendo liberado em seguida. Mesmo dia, em São Paulo, nove pessoas em uma festa morreram pisoteadas em Paraisópolis, sadicamente, no que a PM paulista chamou de “ação de controle de distúrbios civis". No Rio de Janeiro, até outubro deste ano, 1.546 pessoas foram mortas pela polícia, maior índice desde o começo da série histórica em 1998. Spoiler: Bolsonaro não é um democrata. Nunca foi. Não o era quando em 1999 defendeu em entrevista “matar uns 30 ...

    Leia mais
    arquivo pessoal

    Queimem os livros

    Weintraub e Damares preferem lutar contra moinhos de vento a formular políticas sérias Por Thiago Amparo, da Folha de São Paulo Thiago Amparo (Arquivo pessoal) “Vê agora por que os livros são tão odiados e temidos? Eles mostram os poros no rosto da vida. As pessoas acomodadas só querem rostos de cera, sem poros, sem pelos, sem expressão.” Este é um dos meus trechos favoritos do livro “Fahrenheit 451” de Ray Bradbury. Publicado em 1953, o livro narra uma sociedade distópica onde livros são proibidos, constantemente queimados por esquadrões de bombeiros. Distopia cada vez mais presente nos dias atuais. O problema de viver em uma distopia é perceber seu caráter irritantemente repetitivo. Quiçá até entendiante. Aos poucos privilegiados o bastante pra se arrogarem o lugar de espectadores, resta morrer de tédio antes de morrer de autocracia. Repetimos o que ocorre na Hungria e Polônia. Desde que ...

    Leia mais
    arquivo pessoal

    Trincheiras raciais

    Experiência internacional aponta alternativas à guerra às drogas Por Thiago Amparo, da Folha de São Paulo Thiago Amparo (Foto: Arquivo Pessoal) Quantos DJs de festas onde dança a elite paulistana estão presos hoje por associação ao tráfico como DJ Rennan da Penha está? Quantas vezes helicópteros policiais atiraram sobre Ipanema ou Leblon como ocorre no Complexo da Maré, no RJ? Quantos empresários foram condenados, com base nas palavras de policiais, a 11 anos por tráfico de drogas por supostamente carregar consigo pequena quantidade de droga como foi Rafael Braga? Quantas pessoas levam jatos de água em operações de zeladoria urbana como na cracolândia, em SP? Ao país falta coragem. Se a tivéssemos, já teríamos avançado no debate sobre guerra às drogas. Na iminência de ter sua constitucionalidade analisada pelo STF, a criminalização do porte pessoal de drogas é a pedra no meio do caminho que nos ...

    Leia mais
    arquivo pessoal

    Quanto valem os direitos

    Entre a austeridade e a defesa de direitos sem lastro econômico, mora a política Por Thiago Amparo, da Folha de São Paulo Thiago Amparo. (Foto: Arquivo Pessoal) Um debate travado no tudo ou nada. Alguns alertam que não está no momento de alterar o teto de gastos. Fazê-lo levaria a uma elevação da carga tributária ou a maiores níveis da dívida pública. Ou seja, caos econômico, segundo eles. Outros sustentam, sob a pecha de sonhadores, que o teto de gastos corrói o mínimo que a Constituição de 1988 dispõe obrigatoriamente para saúde e educação. Ou seja, ou o fim do teto de gastos ou a barbárie social. A esse coro somou-se o STF, que decidiu (com razão) suspender no último dia 11 o teto de gastos do estado de Goiás. Argumento que falta algo entre esse tudo ou nada. Falta política, em sentido genuíno. E aqui ...

    Leia mais
    blank

    Essas e as outras 6.800 chicotadas

    Dentro de uma unidade da rede de supermercados Ricoy, na zona sul de São Paulo, um adolescente negro de 17 anos foi chicotado em vídeo produzido por seus próprios torturadores. Pause por um minuto. Pondere o que comunica a violência, e para quem. Pense no poder da imagem. Do corpo negro adolescente fazemos um palco para o espetáculo da violência: curtido, compartilhado, desumanizado. Não é apenas o corpo negro nu que os torturadores querem açoitar. Filmando-no, querem destituí-lo de sua própria humanidade. No estado de São Paulo, entre 2008 e 2017, 6.800 adolescentes entre 15 e 19 anos foram vítimas de homicídio, sendo que a probabilidade de um adolescente negro ser morto é 75% maior do que a de um adolescente branco. Apesar dos avanços em São Paulo na redução de homicídios da população em geral neste período (15,3 para 10,6/100 mil habitantes), adolescentes tem sido mortos a proporções ainda ...

    Leia mais
    https://www.geledes.org.br/caso-agatha-inquerito-da-policia-civil-aponta-que-pm-causou-morte-da-menina/https://www.geledes.org.br/caso-agatha-inquerito-da-policia-civil-aponta-que-pm-causou-morte-da-menina/https://www.geledes.org.br/caso-agatha-inquerito-da-policia-civil-aponta-que-pm-causou-morte-da-menina/

    “Pessoas pensam que racismo não é sobre elas”, diz Thiago Amparo, da FGV

    Os desafios da diversidade nas empresas foi tema de painéis na Conferência Ethos 360º Por Marina Filippe, do Exame Thiago Amparo, pesquisador na área de direitos humanos - Arquivo Pessoal A diversidade étnico-racial, de gênero e de orientação sexual nas empresas foi tema de dois painéis na Conferência Ethos 360º, nesta terça-feira. Para especialistas, a diversidade racial só acontece quando há essa pauta estruturada na agenda da empresa. Além da contratação, o modelo de inclusão prevê a permanência do profissional negro que encontra desafios externos. Um exemplo é o fato de que 40% dos jovens negros não concluem o ensino médio. A falta de estudo, diretamente atrelada a fatores socioeconômicos, não deve ser vista como falta de competência. “Um jovem que tem o inglês básico talvez tenha mais capacidade de aprender línguas do que alguém que passou uma década estudando numa escola renomada”, diz Thiago Amparo, ...

    Leia mais
    Thiago Amparo - Folha de São Paulo

    O que nos ensina Shakespeare sobre tirania

    Livro de cabeceira de Angela Merkel nos diz como lutar contra autoritarismos de hoje por Thiago Amparo no Folha de São Paulo Thiago Amparo - Folha de São Paulo “Baseando-se na indiferença à verdade, falta de vergonha e autoconfiança hiperinflacionada, o demagogo tagarela entra em uma terra de fantasia —'Quando eu for rei, como rei serei'— e ele convida seus ouvintes a entrar nessa mesma terra da fantasia com ele. Nela, dois e dois não são quatro.” Não, esta não é uma análise política dos tempos atuais, tampouco uma descrição de governos populistas como são os de Maduro, Bolsonaro e Trump. Ao menos, não diretamente. Este é um trecho do livro “Tirano: Shakespeare sobre Política” (ainda sem tradução ao português) de Stephen Greenblatt, professor de Harvard e um dos maiores especialistas do mundo no autor inglês. Nesta semana, Angela Merkel, chanceler alemã de centro-direita, foi fotografada lendo ...

    Leia mais

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Instagram

    Twitter

    Facebook

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist